quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Os Óscares para "Maridos do Ano"

Recebi há dias um mail bastante divertido que partilho agora convosco.




OS ÓSCARES PARA OS MARIDOS DO ANO




3º Lugar para: Grécia





2º Lugar para: Polónia





1º Lugar


E o vencedor, indiscutível, do ano é: Irlanda. Definitivamente, não se pode evitar de amar os irlandeses. Os irlandeses são românticos demais. Veja com quanta ternura ele pega a mão dela.




e ainda Menções honrosas para:



E.U.A



e México

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Palestra sobre "Relações Interpessoais" - Dr. Abel Magalhães


Este post é dirigido especialmente aos alunos do 11º I. Gostava que dessem um testemunho relativamente à palestra em que participaram hoje (29/10/08) sobre "Relações Interpessoais" dada pelo psicólogo Dr. Abel Magalhães.
  • Gostaram?
  • Até que ponto foi útil para a vossa formação pessoal?
  • Valerá a pena apostar neste tipo de iniciativas?
P.S.: esta actividade foi desenvolvida apenas para os alunos do 11ºI, no âmbito do Projecto Curricular de Turma, não estando relacionada directamente com a disciplina de Geografia. Recordo aos meus alunos das outras turmas que sou Director de Turma do 11º I.

Assciação Reviravolta - Comércio Justo

No site da Associação de Comércio Justo "Reviravolta" tem um post relacionado com uma das palestras desenvolvidas no ano lectivo anterior na turma do 12º H. Passo a transcrever:


A 25 de Fevereiro de 2008, o Comércio Justo esteve na Escola Secundária de Rio Tinto e o aluno Vasco Pereira da Silva do 12.º ano escreveu o seguinte (um excerto do seu relatório):


«Creio que nenhum dos participantes ficou indiferente a estas e demais questões. Foi uma palestra muito enriquecedora, surpreendente e didáctica. Mais uma vez o Clube dos Direitos Humanos da nossa escola está de parabéns pela excelente iniciativa e, igualmente, a Associação Reviravolta, representada pela Dra. Ana Luísa Coelho, que tem vindo a desenvolver importantes iniciativas de educação e formação junto da comunidade educativa do Grande Porto. É de facto, uma honra para a nossa escola estar envolvida em projectos deste género; os alunos agradecem e valorizam-se. Seguem-se algumas opiniões de alguns dos alunos que participaram nesta actividade:


“Na minha opinião pessoal, a distribuição dos preços dos produtos, assim como tudo ou quase tudo no mundo, é extremamente desigual e injusta, beneficiando sempre os que deveriam receber menos”
Maria João Marques, aluna 12.º ano


“Na representação de um produtor de café proveniente do Uganda, aprendi que estes trabalham em condições miseráveis, o seu trabalho é manual, desde a plantação das árvores até à colheita de cada pequena semente de café. (…) fiquei chocada. Esta palestra foi muito dinâmica, e fez-me compreender de uma forma realista e com um exemplo que é verdadeiro, que no mundo ainda há muita desigualdade. E que juntos podemos fazer do Mundo um espaço de comércio justo!”

Ana Medeiros, aluna 12.º ano


“Penso que este género de iniciativas, que pretendem divulgar a ideia de um comércio mais justo para todos, é bastante enriquecedor; permite-nos ter uma outra visão do que realmente consumimos e o trabalho que isso implica, desde o produtor até ao consumidor. (…)”

Ricardo Caldas, aluno 12.º ano»


Esta é uma pequena mostra do resultado da nossa visita.


Obrigada Vasco. Obrigada a todos. "
Associação Reviravolta
Espero que neste ano lectivo também seja possível desenvolver na nossa Escola actividades relacionadas com o Comércio Justo.
Para recordarem o que significa Comércio Justo fiquem com um vídeo em animação alusivo ao tema.





Aproveito ainda para informá-los que a Associação Reviravolta organiza no dia 13 de Novembro, às 21:30h, uma conversa na livraria café-bar "Gato Vadio" sobre o comércio justo e as suas virtualidades face às relações económicos desiguais estabelecidas entre o mundo rico, dito civilizado, e o mundo pobre, dito terceiro mundo. Os convidados são Hugo Roegiers (OXFAM, Bélgica) e Rafael Cezimbra Souza (CEALNOR, Brasil). A entrada é livre.


O comércio Justo procura valorizar o produtor, nomeadamente pequenos agricultores dos países não-industrializados, protegendo-os das cadeias de distribuição e das leis de mercado, com o objectivo de garantir uma remuneração justa ao produtor e contribuir para a sustentabilidade de uma economia simples, muitas vezes artesanal e amiga do ambiente.

Nova tabela nutricionista


O nutricionista David Katz, da Universidade de Yale (EUA), coordenou uma equipa de investigadores que compilou a mais recente lista de alimentos que são bons para a nossa saúde. A ideia é simples: recebem mais pontos os alimentos que são mais nutritivos. Por exemplo: proteínas e vitaminas dão pontos; sal, açucar e gorduras saturadas tiram pontos.
Para verem melhor o conteúdo da lista cliquem sobre a imagem deste post.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Pavarotti & Bono (U2) - Ave Maria de Schubert (Live)

Com tantas desgraças no Mundo, hoje apeteceu-me escolher um momento musical mais espiritual. Fiquem com mais uma actuação dos célebres concertos de Pavarotti & Friends, hoje com a presença de Bono Vox dos U2 que acompanha Pavarotti no "Ave Maria" composto por Franz Schubert.

Tennessee: detidos dois radicais que planeavam matar Obama


Agentes federais detiveram dois radicais de extrema-direita, no estado do Tennessee, que estariam a planear assassinar o candidato democrata, Barack Obama, e vários estudantes negros daquele estado. Segundo fontes judiciais citadas pela AP e Reuters, os dois jovens, de 18 e 20 anos, confessos simpatizantes neonazis, foram detidos em Jackson, no Tennessee, na posse de várias armas, incluindo uma caçadeira de canos cerrados. As autoridades dizem que o par planeava assaltar uma loja de armas, no estado do Tennessee, com o objectivo de matar depois "o maior número de não caucasianos possível", explicou um responsável da ATF (entidade federal responsável pelo controlo da venda de álcool, armas e explosivos), que falou à Reuters sob condição de anonimato. A AP, que cita documentos apresentados pela acusação ao tribunal, refere que o objectivo inicial dos suspeitos era uma escola secundária daquele estado, frequentada maioritariamente por alunos negros. Em declarações àquela agência, Jim Cavanaugh, responsável da ATF no estado, explicou que os dois jovens confessaram que queriam desencadear uma matança em vários pontos do país, que teria como alvo final Barack Obama. "Eles disseram que o seu último acto seria tentar matar o senador Obama. Não acreditavam que o conseguiriam, mas iriam tentar", afirmou. Os dois jovens deverão ser presentes hoje a tribunal, acusados de ameaças à vida do candidato, posse de armas ilegais e conspiração para roubo de armas. A campanha democrata não fez ainda qualquer comentário sobre as notícias vindas a público. Esta é a segunda vez que as autoridades norte-americanas anunciam a detenção de pessoas suspeitas de planear um atentado contra a vida de Barack Obama, que poderá tornar-se o primeiro negro a chegar à presidência dos EUA. No final de Agosto, a polícia de Denver, cidade que acolheu a convenção democrata, anunciou a detenção de três supremacistas brancos que diziam ter um plano para assassinar Obama. Um deles, com cadastro criminal, foi interceptado pela polícia quando seguia num carro onde transportava armas, munições e coletes à prova de bala. Mais tarde, disse à polícia que tinha planeava matar o candidato durante a convenção e denunciou dois cúmplices, mas as autoridades garantiram que o grupo não constituía uma ameaça real à segurança de Obama.

Extremistas islâmicos da Somália lapidam mulher acusada de adultério


Os extremistas islâmicos da Somália executaram uma mulher de 23 anos, por lapidação. A mulher foi acusada de adultério na localidade de Kismayu, no sul do país. Esta é a primeira execução pública levada a cabo pelas milícias islâmicas da Somália desde 2006, quando o grupo dominava a capital somali Mogadíscio. Desde então os movimentos extremistas foram afastados após a aliança entre os governos somali e etíope. Centenas de pessoas assistiram à execução e segundo os presentes no local as milícias terão informado a população que a mulher se tinha oferecido para ser castigada. Mas a irmã da vítima afirmou que esta foi uma execução sem lógica nem respeito pelos princípios religiosos. Segundo as regras do islão a mulher só poderia ser executada se quatro testemunhas e o próprio homem com quem cometeu o adultério confirmassem publicamente o crime. Segundo as milícias, a mulher foi executada porque violou a lei islâmica. Para controlar a população indignada com a execução, os guardas islâmicos dispararam sobre a população e mataram acidentalmente uma criança.
Nota: A Lapidação é uma forma de execução de condenados à morte. Meio de execução muito antigo, que consiste em os assistentes lançarem pedras contra o réu, até matá-lo. Como uma pessoa pode suportar golpes fortes sem perder a consciência, a lapidação pode produzir uma morte muito lenta. Aparece na Bíblia em várias passagens, como na narração da intervenção de Jesus salvando da lapidação uma adúltera ("Quem tiver sem pecados que atire a primeira pedra!") e a morte de Santo Estêvão, por dar testemunho de Jesus.
Ainda hoje, tal forma de execução ainda é utilizada em vários países muçulmanos. Apesar do Corão não mencionar a lapidação como pena, a Lei islâmica aplicada em certos países justifica essa prática por relatos da vida de Maomé. (Wikipédia)

Coreia do Norte ameaça reduzir a Coreia do Sul a "estilhaços"


A Coreia do Norte, denunciando a campanha de propaganda contra o seu líder Kim Jong-il, acusou hoje a Coreia do Sul de preparar um ataque preventivo contra Pyongyang e ameaçou, em forma de represália, reduzir Seul a “estilhaços”. O exército norte-coreano ameaçou lançar “um ataque preventivo mais potente e sofisticado” se a Coreia do Sul desencadear, por seu lado, um ataque preventivo.“As autoridades fantoches (de Seul) deverão ter presente que os nossos ataques preventivos reduzirão tudo... a estilhaços”, ameaçou o Exército norte-coreano num comunicado difundido pela agência oficial norte-coreana KCNA.“Provará ser uma guerra justa... com o objectivo de construir um Estado independente reunificado”, acrescenta o comunicado. O exército norte-coreano descreveu a sua capacidade de ataque como sendo “bem superior àquilo que se poderá imaginar, respondendo que uma força de ataque bem mais potente que a arma nuclear”. O regime de Pyongyang conta com um Exército de 1,1 milhões de homens.Estas ameaças de Pyongyang, utilizando a já habitual retórica forte, acontecem depois de terem sido enviados para a fronteira intercoreana milhares de folhetos apelando à queda do líder Kim Jong-il. Os militantes, entre os quais se encontravam refugiados norte-coreanos, apelaram à população de Pyongyang que se revolte contra o seu líder, acusando-o de ser um ditador sanguinário.Ontem, a Coreia do Norte ameaçou novamente expulsar do seu território responsáveis sul-coreanos ainda presentes num complexo industrial explorado conjuntamente pelos dois países se Seul não puser fim à sua campanha de propaganda. As relações entre as duas Coreias tem vindo a degradar-se desde a chegada ao poder a Seul do Presidente Lee Myung-bak, em Fevereiro último, um conservador que propõe uma linha intransigente face a Pyongyang. (Público)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Os Deolinda

Hoje dou o lugar à música popular portuguesa e a um projecto verdadeiramente desconcertante - os Deolinda.
Deolinda é um projecto original de música popular portuguesa inspirado pelo fado e as suas origens tradicionais. Formado em 2006 por 4 jovens músicos com experiências musicais diversas (jazz, música clássica, música étnica e tradicional), procuram, através do cruzamento das diferentes linguagens e pesquisa musical, recriar uma sonoridade de cariz popular que sirva de base às composições originais do grupo.
"Fado Toninho" é uma canção muito divertida e jucosa, ilustrada por um videoclip com uma estética suburbana.


"Movimento Perpétuo Associativo" é uma canção, sugerida pela Mara da 12ºH num comentário a um post anterior, que também tem muita piada sobre a disponibilidade das pessoas afirmarem a sua cidadania e de intervir activamente nos problemas das sociedade. Muito irónica, não é?

E agora "Fon fon fon"




Para saber mais sobre os Deolinda clica aqui.

Rebeldes atacam sede do refúgio para gorilas na República Democrática do Congo


Parque Nacional de Virunga


Numa acção inédita, forças rebeldes tomaram ontem a sede do Parque Nacional de Virunga (República Democrática do Congo), em Rumangabo, refúgio para cerca de 200 dos únicos 700 gorilas da montanha do planeta. A agência Associated Press cita locais que dão conta da morte de várias pessoas, entre elas soldados, rebeldes e civis num ataque perpetrado de madrugada. Na manhã seguinte, as tropas governamentais foram enviadas para a região. Os rebeldes cortaram a estrada que liga a sede do Parque Nacional à capital da província de Kivu do Norte, Goma, a 45 quilómetros. “A tomada de assalto da nossa sede em Rumangabo pelos rebeldes é algo sem precedentes, mesmo em todos os anos de conflito na região”, declarou Emmanuel de Merode, director do Parque Nacional de Virunga, num comunicado divulgado ontem pelo Parque Nacional. Mais de 50 guardas florestais do parque foram obrigados a fugir para Kibumba (a 20 quilómetros de Rumangabo), através da floresta. “O conflito no terreno é caótico e perigoso. Não podemos deixar que os nossos guardas sejam transformados em alvos”, disse Merode.“Quando os rebeldes se começaram a aproximar da sede pensámos que íamos morrer. Não somos combatentes militares, somos guardas florestais que protegem a vida selvagem de Virunga”, contou Bareke Sekibibi, guarda florestal de 29 anos, por telemóvel quando estava ainda a atravessar a floresta. Os rebeldes que atacaram a sede do parque, leais ao líder dos rebeldes Laurent Nkunda, alegam que estavam apenas a responder a um ataque do Exército e a tentar proteger a minoria Tutsi. Há quase um ano que parte do Parque Nacional, perto da fronteira com o Ruanda e o Uganda, foi ocupada pelos rebeldes. Já a 8 de Outubro os rebeldes tinham tomado de assalto uma base militar a apenas três quilómetros da área protegida. Nessa altura, a porta-voz do Parque Nacional, Samantha Newport, disse à Reuters que os guardas florestais deviam abandonar a zona com as suas famílias, porque existia uma “verdadeira ameaça de que o conflito possa chegar à sede do parque”. Segundo Samantha Newport, “será impossível para os guardas fazerem o seu trabalho se a sede for tomada”.Há quase um ano que os confrontos entre os rebeldes leais ao general Nkunda e o Exército têm sido intermitentes naquela região. Em Agosto, o conflito intensificou-se, ameaçando o chamado Sector Gorila do parque nacional.Só na última década morreram 120 guardas do Parque Nacional de Virunga, em confrontos com grupos armados e caçadores ilegais. Nesta zona de conflitos, dez gorilas foram mortos no ano passado, o que chocou o país. Os gorilas da montanha são uma espécie criticamente ameaçada e o seu habitat está reduzido à Área de Conservação dos Vulcões Virunga (região onde vivem 380 animais e é dividida pela República Democrática do Congo, Ruanda e Uganda) e na Floresta de Bwindi, no Uganda (onde vivem 320 animais). Com 7800 quilómetros quadrados, Virunga é o parque nacional mais antigo do continente africano, criado em 1925 com o nome de Parque Nacional Alberto, e é património da Humanidade desde 1979. (Público)

E agora fiquem com imagens do trailler de um filme de 1988 "Gorilas na Bruma", com a actriz Sigourney Weaver no papel de Dian Fossey uma cientista que estudou o comportamento do gorilas que foi assassinada por apenas defender e proteger esses animais.


sábado, 25 de outubro de 2008

Epidemia de cólera mata 201 pessoas na Guiné-Bissau


A epidemia de cólera que há cinco meses afecta a Guiné-Bissau já infectou 12.225 pessoas e matou 201, segundo os números oficiais, temendo os trabalhadores das organizações humanitárias que o problema tenda a agravar-se, pois todos os meses estão a aparecer mais de mil pessoas infectadas só na área da capital, Bissau - quanto ao interior, nem sempre existem dados seguros, dadas as dificuldades de circulação. As agências das Nações Unidas que actuam no país receiam que os grandes ajuntamentos que se irão verificar durante a campanha para as legislativas de 16 de Novembro possam disseminar ainda mais a chamada "doença das mãos sujas", que se pode propagar por meio de água contaminada que seja bebida ou utilizada para cozinhar. No ano de 2005 ficaram infectadas 25.000 guineenses e morreram mais de 400, sendo o problema mais comum durante a época das chuvas, que vai de Maio a Novembro. O país, quase completamente desprovido de infra-estruturas, não tem conseguido fazer diminuir os surtos de cólera, ao contrário do que acontece em outros Estados africanos, como o Senegal, o Mali, o Níger e o Benim.Na cidade de Bissau, onde quase nunca há electricidade e os pavimentos se encontram em muito mau estado, só um quinto da população é que tem acesso a água corrente; e mesmo assim não muito apropriada para se beber, segundo destacou a Unicef. Além disso, certos ritos fúnebres, nos quais os parentes bebem a água utilizada para lavar o cadáver do defunto, também poderão ajudar a propagar os casos de cólera, com diarreias agudas e eventual paragem dos rins. As Nações Unidas já gastaram um milhão de dólares (786.000 euros) para tentar controlar este problema, mas ainda não o conseguiram, devido à falta de saneamento básico, num território de milhão e meio de habitantes onde a esperança de vida não chega sequer aos 48 anos e onde, para além da cólera, também se sofre de febre tifóide, malária, febre amarela e outras doenças infecciosas.

Grande Depressão


Ontem, 24 de Outubro de 2008 fez 79 anos que ocorreu a tristemente famosa "Quinta feira Negra" em Wall Street (Bolsa de Valores de Nova Iorque), que é normalmente considerado o início da Grande Depressão dos anos 30 do século XX. Para recordarmos esse facto leiam o artigo que se segue sobre a Grande Depressão da Wikipédia.




«A Grande Depressão, também chamada por vezes de Crise de 1929, foi uma grande depressão económica que teve início em 1929, e que persistiu ao longo da década de 1930, terminando apenas com a Segunda Guerra Mundial. A Grande Depressão é considerada o pior e o mais longo período de recessão econômica do século XX. Este período de depressão econmica causou altas taxas de desemprego, quedas drásticas do produto interno bruto de diversos países, bem como quedas drásticas na produção industrial, preços de acções, e em praticamente todos os indicadores da atividade económica, em diversos países no mundo.
O dia 24 de outubro de 1929 é considerado popularmente o início da Grande Depressão, mas a produção industrial americana já havia começado a cair a partir de julho do mesmo ano, causando um período de leve recessão económica que se estendeu até 24 de outubro, quando valores de acções na bolsa de valores de Nova Iorque, a New York Stock Exchange, caíram drasticamente, desencadeando a Quinta-Feira Negra. Assim, milhares de accionistas perderam, literalmente da noite para o dia, grandes somas em dinheiro. Muitos perderam tudo o que tinham. Esta quebra na bolsa de valores de Nova Iorque piorou drasticamente os efeitos da recessão já existente, causando grande inflacção e queda nas taxas de venda de produtos, que por sua vez obrigaram o fencerramento de inúmeras empresas comerciais e industriais, elevando assim drasticamente as taxas de desemprego. O colapso continuou na Segunda-feira negra (o dia 28 de outubro) e Terça-feira negra (o dia 29).
Os efeitos da Grande Depressão foram sentidos no mundo inteiro. Estes efeitos, bem como sua intensidade, variaram de país a país. Outros países, além dos Estados Unidos, que foram duramente atingidos pela Grande Depressão foram a Alemanha, Austrália, França, Itália, o Reino Unido e especialmente o Canadá. Porém, em certos países pouco industrializados naquela época, como a Argentina e o Brasil, a Grande Depressão acelerou o processo de industrialização. Praticamente não houve nenhum abalo na União Soviética, pois por se tratar de um país socialista, estava com a economia fechada para o capitalismo. Os efeitos negativos da Grande Depressão atingiram seu ápice nos Estados Unidos em 1933. Neste ano, o Presidente americano Franklin Delano Roosevelt aprovou uma série de medidas conhecidas como New Deal.» (Wikipédia)





Vejam a seguir uma notícia do dia de hoje do "Público" e que se refere ao pânico vivido ontem nas bolsas mundiais (24/10/08, 79 anos depois da famosa Quinta Feira Negra de Wall Streeet)



Suspensão de futuros criou pânico nas bolsas
25.10.2008


Alguns índices europeus perderam quase 10 por cento.


Os mercado accionistas viveram ontem mais um dia negro. A situação foi de quedas generalizadas nas bolsas mundiais, mas atingiu níveis mais dramáticos nas praças asiáticas e na primeira metade da sessão na Europa. O arranque das bolsas europeias não podia ser feito da pior maneira. As bolsas asiáticas acabavam de fechar com quedas próximas dos 10 por cento (Nikkei, de Tóquio), por receio de recessão na Coreia e no Japão. A estragar a envolvente dos mercados europeus ainda a forte contracção do produto interno do Reino Unido e os maus resultados de empresas, com destaque para o sector automóvel. Mas o pior estava para vir. A notícia de suspensão técnica da negociação de futuros - negócios combinados hoje para serem realizados a prazo - do S&P 500 e do Dow Jones, porque as desvalorizações, da ordem dos seis por cento, ultrapassaram os limites fixados para quedas diárias, não foi bem recebida. A bolsa da Rússia também foi suspensa. "O receio de que não pudessem ser negociados mais derivados na sessão de ontem espalhou pânico nos mercados", explicou ao PÚBLICO um operador, lembrando que, apesar de não ser a primeira vez a acontecerem suspensões técnicas do género, desta vez teve uma leitura mais negativa. O pânico, que atirou alguns índices para quedas momentâneas de 10 e 11 por cento, só se dissipou com a abertura, sem qualquer restrições, das bolsas de Nova Iorque. As praças de Wall Street abriram fortemente negativas, atingindo rapidamente quedas da ordem dos cinco por cento, mas a normalidade da negociação gerou um movimento de correcção nos índices europeus, que conseguiram recuperar mais de metade das perdas atingidas.


Europa no vermelho


A bolsa alemã, uma das maiores praças europeias em derivados, chegou a perder mais de 11 por cento (DAX), acabando o dia a recuar 4,96 por cento. A praça de Frankfurt está em mínimos de 2003, situação comum à maioria dos restantes índices europeus. Paris, que esteve a perder 10 por cento, encerrou a cair apenas 3,5 por cento. O AEX de Amesterdão, que também esteve perto de uma queda de 10 por cento, encerrou negativa em 4,63 por cento. Londres, onde se concentra o segundo pólo importante na negociação dos derivados e onde os dados macroeconómicos revelados ontem não são animadores, chegou a perder oito por cento, reduzindo a queda no fecho da sessão para cinco por cento. A praça de Lisboa esteve à margem das maiores quedas, estando boa parte da sessão a perder na casa dos cinco por cento, mas também não registou o movimento de correcção do final do dia. Assim, o PSI-20 terminou a perder 5,63 por cento, em linha com Madrid, apresentando as maiores quedas da Europa.Em Nova Iorque, o dia voltou a ser impróprio para cardíacos. Os índices - Nasdaq, Dow Jones e S&P 500 - revelaram elevado nervosismo, com variações de quedas a oscilarem permanentemente entre os três e os cinco por cento.




Será que a História repete-se (mesmo)?

Nirvana - Come As You Are (Unplugged in New York)

Hoje é o momento de recordar os Nirvana e o seu vocalista (já falecido) Kurt Cobain.

Nirvana foi uma banda de Grunge fundada em 1987 em Seattle, nos EUA. A sua música foi inspirada no Punk Rock, no Rock Alternativo, no Hard Rock e foi chamada Grunge pela imprensa e meios de comunicação da época. O grupo desfez-se em 1994 com a morte de seu líder e vocalista, Kurt Cobain.
Fiquem com Come As You Are do album Unplugged in New York.




quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Praxes académicas - Rituais iniciáticos ou tradições inocentes?


O ressurgimento das tradições académicas na universidade portuguesa é um fenómeno que parece ter vindo para ficar. Depois de um período em que falar de capa e batina, praxe ou o cortejo, era sinónimo de "passadismo" e de "antigo regime", hoje, quem não é pela praxe é visto como um "careta" e não sabe entrar no "espírito universitário". A questão está longe de ser pacífica, já que, ao contrário de outras que habitualmente unem os estudantes, esta é das poucas, senão mesmo a única, a despertar claras reacções de amor-ódio.O Hugo Couto, por exemplo, tem 20 anos e não esconde um ligeiro orgulho em afirmar que este ano foi praxado "todos os dias", apesar de tal significar - como ele próprio admite - "ter feito coisas estúpidas no meio da rua". "Saí à rua todo vestido de preto, com a cara pintada e com pensos higiénicos na cabeça e no corpo, mas estava na boa...". No seu entender, esta e outras práticas revelam-se, no limite, "interessantes", quanto mais não seja porque se "perde vergonha de passar por situações embaraçosas". Mas esta não foi propriamente uma praxe "inteligente", o que, na sua opinião, consiste em ser-se submetido a brincadeiras engraçadas, "das quais todos gostemos, e não apenas as de que os "doutores" gostam", diz. "Ele foi sem dúvida o mais malhado", diz Virgínia França, de 19 anos, aluna do mesmo curso, e uma das "doutoras" que acompanhou caloiros como o Hugo na sua entrada na universidade. Mas não a todo o custo: "Deixei de praxar a partir do momento em que vi certos elementos exagerar no comportamento. A praxe deve servir para integrar o caloiro e não para o humilhar", afirma, não se inibindo de fazer uma autocrítica à hierarquia que se estabelece entre caloiros e "doutores", com a qual não concorda. Ainda por cima, acrescenta, "quando o mais "burro" é o que costuma mandar mais". Luís Fernandes, psicólogo de formação, desenvolve investigação no campo da etnologia na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (UP). Apesar de este não ser um tema que o apaixone, tenta fazer uma análise objectiva das tradições académicas e, designadamente, da praxe: "Qualquer ritual que se mantém sem ir contra a vontade dos indivíduos é porque deve fazer algum sentido. Não faço ideia é qual será...", diz Fernandes, recuando à sua própria experiência estudantil - entre 1979 e 1985 -, numa altura em que estes rituais "simplesmente não existiam", substituídos por outros de carácter eminentemente político. (Ricardo Jorge Costa)

Se quiserem ler o artigo completo de Ricardo Costa cliquem aqui.

O que é que pensam das praxes académicas? Concordam com elas ou nem por isso?


quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Eleições norte-americanas


Agora que se aproximam as eleições presidenciais norte-americanas (4 de Novembro), é o momento certo para reflectirem sobre a importância para todo o Mundo destas eleições e para fazerem um prognóstico do seu resultado. Quem vai ganhar estas eleições?


  • o candidato do Partido Democrata - o Senador Barack Obama?

ou

  • o candidato do Partido Republicano - o Senador Jonh MacCain?

Sondagem "Um Mundo Global":

Para além do vosso comentário a este post, convido-vos, também, a participar numa sondagem sobre o mesmo assunto que se encontra na parte inferior da coluna do lado direito deste blogue. É só clicar na opção escolhida. Participem.

Para compreenderem melhor como funciona o complicado processo eleitoral presidencial nos EUA cliquem aqui.

Eric Clapton - Tears in Heaven

Hoje, deixo-os com uma canção de 1993 do guitarrista, cantor e compositor britânico Eric Clapton. "Tears in Heaven" é uma canção triste que exprime a dor do cantor devido à perda do seu filho Conor de quatro anos, que tinha morrido dois anos antes ao cair da janela de um apartamento.

Site oficial de Eric Clapton: http://www.ericclapton.com/


terça-feira, 21 de outubro de 2008

Portugal no topo das desigualdades da OCDE

O México é o país com mais desigualdades na OCDE

Portugal é um dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) com maiores desigualdades na distribuição dos rendimentos dos cidadãos, ao lado dos Estados Unidos e apenas atrás da Turquia e México. No seu relatório “Crescimento e Desigualdades”, hoje divulgado, a OCDE afirma que o fosso entre ricos e pobres aumentou em todos os países membros nos últimos 20 anos, à excepção da Espanha, França e Irlanda, e traduziu-se num aumento da pobreza infantil. Os autores do estudo colocam a Dinamarca e a Suécia à frente dos países mais justos, com um coeficiente de 0,23, e o México no topo da tabela dos mais injustos (0,47), seguido da Turquia (0,42) e de Portugal e dos Estados Unidos (ambos com 0,32).“Em três quartos dos 30 países da OCDE, as desigualdades de rendimentos e o número de pobres aumentaram durante as duas últimas décadas” – lê-se no relatório.Todavia, alguns países registaram melhores resultados do que outros: desde 2000, por exemplo, o fosso entre ricos e pobres aumentou sensivelmente no Canadá, Alemanha, Noruega, Estados Unidos, Itália e Finlândia, mas diminuiu no México, Grécia, Austrália e Reino Unido.

Risco de pobreza deslocou-se para crianças e jovens

Nos países onde as diferenças sociais são mais importantes, o risco de pobreza é maior e a mobilidade social mais baixa, segundo a organização.“As famílias ricas melhoraram muito a situação” em relação às mais pobres e, por outro lado, “o risco de pobreza deslocou-se das pessoas idosas para as crianças e os jovens adultos”. A OCDE define como situação de pobreza a de pessoas com rendimentos inferiores a 50 por cento da média de cada país. A pobreza das crianças, que aumentou nos últimos 20 anos, “situa-se hoje acima da média geral” e “deveria chamar a atenção dos poderes públicos”, sublinha a OCDE.“A Alemanha, a República Checa, o Canadá e a Nova Zelândia são os países onde a pobreza das crianças mais aumentou”, segundo um dos principais autores do estudo, Michael Foerster. Em contrapartida, a faixa etária entre 55 e 75 anos “viu os seus rendimentos aumentar mais nos últimos 20 anos”, sendo a pobreza entre os pensionistas actualmente inferior à média do conjunto da população da OCDE.

Pedidas medidas preventivas

A organização pede aos países membros para “fazerem muito mais” para que as pessoas trabalhem mais, em vez de viverem na dependência das prestações sociais, sendo que a taxa de pobreza das famílias sem emprego é quase seis vezes superior à das famílias activas. Mas embora o trabalho seja “um meio muito eficaz para lutar contra a pobreza”, não chega para a evitar: “Mais de metade dos pobres pertencem a famílias que recebem fracos rendimentos de actividade.”A OCDE encoraja a implementação de medidas preventivas, nomeadamente a promoção do acesso a um trabalho remunerado. “Ajudar as pessoas a inserirem-se no emprego e a converterem-se em cidadãos autónomos tem um papel preventivo que evita o agravamento das desigualdades”, considera.De facto, a organização assinala ser nos países com maiores taxas de emprego que o número de pobres é menor. “O que importa não é a igualdade das situações, mas a igualdade das oportunidades”, afirma-se no relatório, que preconiza também esforços em matéria de educação e saúde para reduzir as disparidades. (Público)

Fonte: http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1346881&idCanal=57

Mais uma má notícia para o nosso país. Que medidas deveriam ser tomadas para diminuir as desigualdades sociais no nosso país?

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A economia das sete maiores economias mundiais vai registar no próximo ano a maior contracção desde a Grande Depressão - anos de guerra excluidos


A economia das sete maiores economias mundiais vai registar no próximo ano a maior contracção desde a Grande Depressão - anos de guerra excluídos - na sequência da crise de crédito que atinge empresas e consumidores, antecipa o Deutsche Bank. O Produto Interno Bruto (PIB) conjunto do G7 - o grupo das sete nações mais industrializadas - vai recuar 1,1 por cento em 2009, após uma progressão de 0,8 por cento este ano, prevêem os economistas do banco central da Alemanha, Peter Hooper e Thomas Mayer, numa nota de análise hoje divulgada. A Zona Euro deverá contrair-se 1,4 por cento, a norte-americana um por cento e a do Japão 1,2 por cento, dizem os analistas. O cenário de recessão é sustentado na crise de crédito que causou a falência de bancos de primeiro plano, como o Lehman Brothers, e arrasou os mercados bolsistas, com o índice Standard & Poor's a registar a pior quebra semanal desde 1933. Os custos mais altos do crédito vão estrangular as despesas do consumo e os investimentos das empresas, enquanto o desemprego irá aumentar, sublinham os economistas do Deutsche Bank. "Esperamos agora uma recessão séria para a economia mundial no próximo ano", disse Mayer. "Um corte significativo do crédito à economia real em todo o mundo levou a uma deterioração das previsões. Não estávamos a antecipar um choque financeiro tão grande, após as nossas previsões do 3 de Outubro", acrescentou. O crescimento em todo o mundo vai abrandar para 1,2 por cento contra 3,2 por cento este ano, o ritmo mais lento desde o início dos anos de 1980, segundo as previsões do Deutsche Bank. Os economistas prevêem ainda que tal cenário levará os bancos centrais - Reserva Federal norte-americana, Banco Central Europeu (BCE) e Banco do Japão a baixar as taxas de juro para apoiar a economia. As previsões apontam também para um corte da principal taxa directora da Reserva Federal norte-americana para um por cento, já na reunião de política monetária de 29 de Outubro, contra os actuais 1,5 por cento. As estimativas sugeriam a redução das taxas a este nível num horizonte de 12 meses e uma estagnação da economia em 2009. Mayer observou nunca ter cortado previsões económicas "de tal valor num espaço de tempo tão curto", em vinte anos de trabalho no sector financeiro. Os economistas do Deutsche Bank prevêem que o BCE venha a baixar a sua principal taxa directora para um mínimo histórico de 1,5 por cento, daqui a 12 meses, contra os actuais 3,75 por cento. As previsões do Deutsche Bank apontavam antes para um corte para três por cento da taxa directora do BCE. O Banco do Japão deverá acompanhar esse movimento de corte de taxas, acrescenta o banco central da Alemanha, para 0,25 por cento no início de 2009, contra uma previsão anterior de manutenção nos actuais 0,5 por cento. Os economistas esperam uma retracção da economia nipónica de 1,2 por cento, que compara com uma previsão anterior de crescimento de 0,4 por cento. A inflação global vai abrandar para 3,1 por cento, contra os 5,6 por cento deste ano, segundo a análise do Deutsche Bank. (Público)



domingo, 19 de outubro de 2008

Duzentas pessoas na marcha contra exploração de urânio em Nisa


Trabalhadores da Urgeiriça juntaram-se ao protesto

Cerca de 200 pessoas, com os antigos trabalhadores das minas da Urgeiriça (Viseu) à frente, estiveram hoje em Nisa numa marcha contra a exploração de urânio na região. Os participantes na marcha, que registou uma grande presença de jovens, percorreram os dois quilómetros que separam aquela vila alentejana da principal jazida de urânio existente no concelho. Foram erguidas cruzes de madeira no local, onde são visíveis os vestígios da prospecção de urânio realizados há mais de 50 anos, e desdobrados cartazes com palavras de ordem contra a exploração daquele mineral radioactivo – “Urânio – aqui jaz para sempre”, “Saúde é diferente de exploração de urânio” e “Não lixem (ainda) mais o ambiente”, entre outros. José Pedro Almeida, presidente do Movimento Urânio em Nisa Não, recordou no local a contestação promovida há quase dez anos contra a anunciada intenção de começar a extrair o urânio na região. “Éramos meia dúzia de pessoas e depois toda a população foi envolvida”, disse. “A agricultura da região quer-se afirmar pela qualidade dos seus produtos e do ambiente. Mas uma exploração destas é impeditiva de continuarmos com este modelo de desenvolvimento.”Representantes da Quercus, Adenex (associação ambientalista da Extremadura) e da organização ambientalista internacional Amigos da Terra manifestaram a sua solidariedade com esta luta, que trouxe a Nisa várias dezenas de ex-trabalhadores das minas de urânio da Urgeiriça. Numa tribuna cívica realizada durante a manhã, estes últimos deram conta dos seus problemas actuais e do grave estado ambiental em que ficou a zona depois do encerramento da Empresa Nacional de Urânio. As sucessivas intervenções apontaram para a responsabilização do Estado, acusado de crimes contra a saúde dos trabalhadores por negligência de informação quanto aos riscos decorrentes do contacto prolongado com urânio. Foi ainda exigida a aceleração da recuperação ambiental da zona, onde existem mais de seis dezenas de minas abandonadas, águas poluídas e materiais tóxicos espalhados de forma incontrolada. (Público)

Será que se justifica, mesmo, voltar a explorar o urânio em Portugal?

sábado, 18 de outubro de 2008

Oasis - Wonderwall

Plataforma continental portuguesa pode ser alargada


A plataforma continental de Portugal poderá vir a ser alargada. O alargamento dá-se com o reconhecimento jurídico internacional, no âmbito de estudos geológicos que têm vindo a ser realizados nos fundos marinhos. O estudo foi apresentado hoje em Coimbra na Conferência Internacional “As Geociências no Desenvolvimento das Comunidades Lusófonas". As informações actualmente existentes permitem “desde já confirmar que as perspectivas de extensão são boas”."As áreas estendidas revestem-se de enorme importância a vários níveis, designadamente económico, ambiental e mesmo estratégico, face à natureza dos recursos que poderão vir a ser explorados", referem os autores do estudo. Os estudos têm vindo a ser dinamizados pela Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC), criada por Resolução do Conselho de Ministros de 2005, e a funcionar sob a dependência do Ministro da Defesa Nacional.A sua missão é preparar, à luz da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM), uma proposta de extensão da Plataforma Continental de Portugal, para além das 200 milhas náuticas, a ser apresentada à Comissão de Limites da Plataforma Continental (CLPC), órgão constituído no âmbito daquela Convenção. A proposta de extensão terá de ser apresentada nas Nações Unidas até 13 de Maio de 2009 (dez anos após a publicação, pela CLPC, das Scientific and Technical Guidelines). Segundo os autores do estudo apresentado em Coimbra, para que um Estado costeiro possa estender a sua plataforma continental para lá das 200 milhas náuticas é necessário que se verifique nos fundos marinhos adjacentes um conjunto de condições definidas no artigo 76.º da CNUDM, que "tem a ver, essencialmente, com a forma do fundo marinho e da respectiva natureza geológica"."Com base nos dados adquiridos é elaborado um modelo de fundo a partir do qual é determinado o pé do talude, elemento fundamental de referência para a determinação dos parâmetros", explicam. Os trabalhos da EMEPC na zona da Península Abissal Ibérica estão a ser desenvolvidos em parceria com empresas petrolíferas, para avaliação do potencial de exploração desse combustível fóssil. No âmbito da cooperação internacional foi também atribuída à EMEPC a tarefa de preparar o processo de extensão da plataforma continental de Cabo Verde, e existem contactos para se estender a outros países de língua portuguesa, referem os investigadores. (Público)


sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Green Day - Boulevard of Broken Dreams

Nobel da Economia atribuído a Paul Krugman


O Nobel da Economia foi atribuído ao norte-americano Paul Krugman, 55 anos, pelo seu trabalho sobre os padrões do comércio e a localização das actividades económicas, anunciou hoje o Comité Nobel. Crítico da Administração Bush e professor da Universidade de Princeton, Paul Krugman elaborou uma nova teoria que integra pesquisas díspares sobre o comércio internacional e a geografia económica, indicou hoje a academia. No ano passado, o prémio foi atribuído igualmente a três norte-americanos. Leonid Hurwicz, Eric Maskin e Roger Myerson desenvolveram trabalhos sobre os mecanismos de trocas destinados a melhorar o funcionamento dos mercados. Os efeitos do comércio livre, a globalização e o que está por detrás das urbanizações em todo o mundo têm sido a base do trabalho de Paul Krugman. A teoria de Krugman é baseada na premissa de que muitos bens e serviços podem ser produzidos a preços mais baratos em grandes quantidades, um conceito conhecido por economias de escala. Mas é preciso ter em conta que os consumidores exigem uma grande variedade de produtos. A partir daqui se deduz que as pequenas produções, destinadas a um mercado local, têm tendência para serem substituídas por grandes produções para o mercado global, onde a competição é forte. A nova teoria de Krugman clarifica porque é que o comércio internacional é dominado por países não apenas com as mesmas condições, mas que também exportam produtos idênticos. As economias de escala combinadas com a redução dos custos de transportes ajudam igualmente a explicar a concentração da população mundial nas cidades e por que é que actividades económicas parecidas se encontram nos mesmos locais. Os baixos custos dos transportes podem incentivar as concentrações metropolitanas e dão corpo a produções cada vez maiores, a salários mais elevados e a uma maior diversificação de produtos ao dispor dos consumidores. Por sua vez, este fenómeno atrai mais migração para as cidades. Kurgman provou que no culminar deste processo as regiões passam a ter áreas urbanizadas centrais com alta tecnologia e outras áreas menos desenvolvidas na periferia.

Fonte:
http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1345827 (13/10/08)

18 por cento dos portugueses abaixo do limiar da pobreza


Vivem com salários mensais entre os 360 e os 366 euros. Número de famílias a procurar ajuda está a aumentar


O Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza assinala-se esta sexta-feira, sendo que em Portugal 18 por cento da população vive abaixo do limiar da pobreza, ou seja, com salários mensais entre os 360 e os 366 euros, segundo a Associação Cais.
Este é um dos alertas que a Associação Cais vai fazer esta sexta-feira, durante uma jornada dedicada à erradicação da pobreza, que conta com uma conferência de Carlos Vasconcelos Cruz subordinada ao tema Portugal Desigual.
Segundo dados divulgados pela Comissão Europeia, 16 por cento dos cidadãos da União Europeia viviam em 2006 abaixo do limiar de pobreza, definido como 60 por cento do rendimento médio do seu país.
A propósito do Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza, a Assitência Médica Internacional (AMI) alerta para o empobrecimento das famílias portuguesas, referindo que o número de pessoas que procuram os seus serviços de apoio não pára de aumentar.
Segundo a AMI, só nos primeiros seis meses deste ano recorreram aos seus serviços de apoio social um total de 4.695 pessoas, o equivalente a 64 por cento do valor total de pessoas que recorreram à AMI durante os doze meses de 2007.
Iniciativas marcadas
Além da iniciativa da Cais prevista, os Médicos do Mundo participam na entrega das deliberações da Rede Europeia Anti-Pobreza sobre pobreza e exclusão social ao presidente da Comissão Parlamentar dos Assuntos Constitucionais, Liberdades e Garantias.
No Porto, decorrerá uma jornada de reflexão promovida pela Fundação Filos, com a presença de Silva Peneda, Guilherme d'Oliveira Martins e Vieira da Silva, ministro do Trabalho e da Solidariedade.
Um pouco por todo o país decorre o «Levanta-te e Actua», uma iniciativa global que apela a que nos dias 17 e 19 de Outubro as pessoas se levantem, exigindo aos seus governos que cumpram as promessas de acabar com a pobreza extrema e que se alcancem os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio até 2015.
(IOL Diário)

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

No Dia Mundial da Alimentação, FAO defende a agricultura alimentar


Diante da progressão da fome no mundo, as organizações especializadas insistem na necessidade de se investir maciçamente na agricultura alimentar, por ocasião da comemoração, nesta quinta-feira, do Dia Mundial da Alimentação, que este ano acontece em plena crise financeira mundial.
Em meados de setembro, o director-geral da Agência da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO), Jacques Diouf, anunciou diversos dados alarmantes sobre a fome no mundo, que afecta de 923 a 925 milhões de pessoas contra 850 milhões antes da escalada dos preços e das revoltas que a seguiram.
Diouf acusou os dirigentes mundiais de terem ignorado as advertências lançadas pela sua agência sobre a crise alimentar, considerando que o que havia faltado para conter a crise tinha sido vontade política.
Segundo a FAO, os investimentos em agricultura entre 1980 e 2006 caíram de 17% para 3%, enquanto a população mundial aumentou durante esse tempo mais 78,9 milhões pessoas por ano. Paralelamente, os biocombustíveis privaram o mundo de 100 milhões de toneladas de cereais como o milho ou o trigo, que poderiam servir para alimentar seres humanos, ressaltou.
"O facto de a fome atingir quase um bilhão de pessoas no mundo obriga todos os proprietários de terras a reverem sua orientação e a voltarem-se novamente para a agricultura alimentar que tem sido um pouco negligenciada nos últimos anos, em benefício dos sectores de saúde e educação", ressaltou Stéphane Delpierre do Serviço de Ajuda Humanitária da União Europeia (ECHO).
"Relançar a actividade dos pequenos agricultores e lutar com programas coordenados contra a desnutrição, que ameaça de morte 19 milhões de crianças, são as duas prioridades actualmente para fazer frente à crise alimentar", afirmou Erika Wagner da Fundação Clinton.
"Durante anos, nós insistimos na falta de apoio ao desenvolvimento da agricultura do sul que tornou a crise actual amplamente previsível", ressaltou Catherine Gaudard, directora do Comité Católico contra a Fome e pelo Desenvolvimento -Terra Solidária (CCFD).
Para Caroline Wilkinson, da Acção contra a Fome, "mesmo que os programas que visam ao aumento da produção agrícola sejam extremamente importantes, a urgência hoje é tratar as 55 milhões de crianças que sofrem de desnutrição".
Em Agosto, o Programa Alimentar Mundial anunciou a realização de um programa de ajuda para lutar contra a crise alimentar de 142 milhões de euros em 16 países assolados pela fome, como o Afeganistão, Haiti, Libéria, Moçambique, Etiópia e Somália. Mas segundo a agência da ONU, a ajuda alimentar internacional caiu em 2008 a seu nível mais baixo em 40 anos. (AFP)


Simpsons - Homer nas eleições 2008

E agora vejam um pequeno vídeo de animação com Homer Simpson a tentar votar nas próximas eleições norte-americanas. As legendas são em Português do Brasil.

sábado, 11 de outubro de 2008

Nobel da Paz para o finlandês Martti Ahtisaari


O Prémio Nobel da Paz foi hoje atribuído ao antigo Presidente finlandês Martti Ahtisaari "pelos seus importantes esforços, em vários continentes e durante mais de três décadas, para resolver conflitos internacionais", comunicou hoje o presidente do Comité Nobel, Ole Danbolt Mjoes, a partir de Oslo, na Noruega.“Esses esforços contribuíram para um mundo mais pacífico e para uma fraternidade entre as nações, dentro do espírito de Alfred Nobel”, indica ainda o Comité.“Durante toda a sua vida adulta (...) Ahtisaari [que foi Presidente da Finlândia entre 1994 e 2000] trabalhou em prol da paz e da reconciliação. Durante os últimos 20 anos, tornou-se uma figura proeminente nos esforços para resolver vários conflitos sérios e duradouros. Em 1989-90 jogou um papel muito significante no estabelecimento da independência da Namíbia; em 2005, ele e a sua organização, a Iniciativa para a Gestão de Crises [CMI, na sigla em Inglês] foram centrais na solução dos complicados problemas da província de Aceh, na Indonésia”, sublinhou ainda o Comité. Martti Ahtisaari, há muito considerado como um sério pretendente ao Nobel da Paz, fundou a sua organização não-governamental CMI em 2000, e foi através dela que conseguiu o acordo de paz entre o governo indonésio e os ex-rebeldes maoístas independentistas do Movimento Aceh Livre, pondo fim a um conflito que fez cerca de 15 mil mortos desde 1976. Nos termos do acordo mediado por Ahtisaari, os rebeldes pousaram as armas e o poder central retirou uma grande parte das suas forças armadas da província rebelde. "Em 1999 e, depois, em 2005-07 [na qualidade de enviado especial da ONU], tentou, em circunstâncias especialmente difíceis, encontrar uma solução para o conflito no Kosovo. Em 2008, através do CMI e em cooperação com outras instituições, Ahtisaari tentou encontrar uma solução pacífica para os problemas do Iraque. Fez igualmente contribuições construtivas para a resolução dos conflitos na Irlanda do Norte, Ásia Central e no Corno de África", especifica o comunicado de imprensa difundido hoje pelo comité, a partir de Oslo. O Trabalho no Kosovo tinha já valido a Ahtisaari uma nomeação para o Nobel da Paz em 2000. Até Março do ano passado Ahtisaari foi o mediador das conversações sobre o Kosovo enquanto enviado da União Europeia. O finlandês traçou um plano que defendia uma independência da província sérvia, sob supervisão europeia, com uma autonomia alargada para a minoria sérvia que habita o Kosovo. Mas este plano foi rejeitado pela Sérvia e pela Rússia, o que acabou por original a independência unilateral do Kosovo a 17 de Fevereiro deste ano. Foi igualmente Ahtisaari que investigou o ataque à bomba contra o quartel-general da ONU no Iraque, em 2003, que matou 22 pessoas, incluindo o chefe da missão, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello. Através do seu inquérito, que concluiu que a segurança em Bagdad era “disfuncional” e “desleixada”, levou a que o então secretário-geral da ONU Kofi Annan propusesse um reforço de 97 milhões de dólares para o sector da segurança do corpo de funcionários das Nações Unidas. A htisaari, de 71 anos, casado e com um filho, demonstrou igualmente as suas credenciais de liderança quando conduziu o seu país à União Europeia, em 1995, e a sua entrada no grupo da moeda única, em 1999. “Ahtisaari é hoje um excelente mediador internacional. Através dos seus incansáveis esforços e bons resultados, mostrou qual o papel que a mediação pode desempenhar na resolução de conflitos. O Comité Nobel Norueguês expressa a sua esperança em como outras pessoas possam inspirar-se nos seus esforços e nos seus resultados”. Este ano, 197 personalidades e organizações estavam “em linha” para a atribuição deste prémio. O Prémio Nobel, que consiste numa medalha, num diploma e num cheque de 10 milhões de coroas suecas (cerca de um milhão de euros), será atribuído numa cerimónia a decorrer em Oslo no dia 10 de Dezembro, data do aniversário da morte do seu fundador, o industrial e filantropo sueco, Alfred Nobel, igualmente conhecido por ter inventado a dinamite.
(10.10.2008)
Eis um bom exemplo para todos os políticos do Mundo.

Bush e países do G7 querem "resposta mundial séria" à crise financeira

Ministros das finanças do G7 posam numa foto de grupo depois de terem reunido ontem no Departamento do tesouro dos EUA

Encontro em Washington

O Presidente norte-americano George W. Bush, acompanhado dos líderes financeiros do G7, afirmou hoje em Washington que todo o mundo está de acordo sobre a necessidade de se dar “uma resposta séria, à escala mundial”, para combater a crise histórica que ameaça o sistema financeiro internacional.“Cada um de nós reconhece que se trata de uma grave crise mundial e, consequentemente, ela requer uma resposta séria à escala mundial”, declarou Bush, a partir da Casa Branca, após uma reunião de cerca de 40 minutos com os ministros das Finanças do G7, o presidente do Banco Mundial e o director-geral do FMI."Tenho confiança que as maiores economias do mundo vão conseguir enfrentar os desafios que enfrentamos", disse o Presidente norte-americano.Ontem à noite, os ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais do G7 adoptaram um plano de acção em cinco pontos, com o intuito de desbloquearem os mercados financeiros, permitirem aos bancos aumentarem os capitais junto dos sectores público e privado e desbloquearem o mercado do crédito imobiliário. Apesar disso, os analistas consideraram, logo após a reunião, que não saiu do encontro nada suficientemente forte que acalme os mercados. A Bolsa saudita, a primeira a funcionar depois do encontro do G7, abriu hoje em baixa (sete por cento), abaixo dos 6000 pontos. Washington deverá acolher igualmente, esta tarde, uma reunião do G20 reunindo os ministros e banqueiros centrais dos países mais ricos e emergentes. Paralelamente, os líderes dos 15 países da zona euro anunciaram que vão reunir-se de emergência amanhã, em Paris, para "definir um plano de acção conjunto da zona euro e do Banco Central Europeu (BCE) face à crise financeira".As grandes bolsas mundiais terminaram esta semana com resultados dignos da definição de “crash” – baixas de mais de 20 por cento durante alguns dias –, justificando assim as comparações com as crises de 1929 e de 1987. Nem as baixas nas taxas de juros, nem as operações maciças de apoio aos bancos com fundos públicos, nem as garantias dos depósitos decididas pelos governos e nem os apelos à calma dos grandes banqueiros internacionais têm conseguido travar o pânico.




Como já devem ter reparado, quer o G7, quer a UE, face à crise global no sistema financeiro, falam numa"resposta séria à escala mundial" (G7) e num "plano de acção conjunto" (UE). É a globalização meus amigos!...

Coldplay - Fix you

De regresso aos Coldplay, agora com Fix You, que é, sem dúvida, uma canção fantástica e um dos grandes "hinos" deste grupo inglês.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Mosquito de Dengue na Madeira


Autoridades não conseguem erradicar o 'Aedes Aegypti '


O mosquito que transmite a febre-amarela e a dengue está instalado na Madeira. O “Aedes Aegypti” chegou ao arquipélago há cerca de três anos. Desconhece-se a origem exacta mas a espécie é oriunda de países africanos e da América do Sul. O combate dura há dois anos e meio e as estratégias a aplicar têm sofrido alterações. O objectivo é aumentar a eficácia. Ainda assim, as autoridades lamentam que não seja possível erradicar o insecto. A população está avisada no sentido de evitar os vasos com água, bidões ou outros recipientes que possam manter as águas paradas. Afinal, esta é uma espécie que gosta de água limpa até dentro de casa, se for possível. Esta espécie tropical é bastante resistente, em África e na América do Sul, com os níveis de Humidade a rondar os 100 por cento e muita chuva, este mosquito consegue sobreviver em folhas de árvores caídas no chão de uma floresta. Entretanto, a Madeira já recebeu armadilhas oriundas do Brasil e em breve chegarão mais vindas de países europeus. Também o Instituto de Medicina Tropical está a colaborar no sentido de descobrir um insecticida eficaz no combate ao “Aedes Aegypti”.

Fonte: SIC online
Esta situação é mais uma consequência do aquecimento global e trata-se de uma verdadeira ameaça para o nosso país que vai aquecendo de ano para ano, começando a atrair as chamadas doenças tropicais.

Descoberta doença nos pinhais de Setúbal


Praga de vermes pode alastrar a todo o país


Uma praga que até agora era inexistente em toda a Europa, está a matar os pinheiros de Setúbal e ameaça atingir os pinhais espalhados por todo o país. A praga, descoberta pelos técnicos da Direcção Geral de Florestas, foi detectada entre a Marateca e Pegões, pelo que os especialistas já estão no terreno para tentar circunscrever a área afectada. Descoberta há cerca de dois meses, em Setúbal, esta praga de insectos que transportam uma larva responsável pela destruição e morte dos pinheiros, apenas era conhecida no Japão e nos Estados Unidos onde já levaram ao abate de milhares de árvores contaminadas. De acordo com os especialistas da Direcção Geral de Florestas, que descobriram o problema, esta praga poderá ter vindo parar a Setúbal através do transporte de madeiras feito pelo porto de mar ou pela estrada, uma vez que a região é "privilegiada para o transporte deste tipo de material". Quem o diz é o director da DRARO, Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste, Fernando Varela, que já confirmou ao "Setúbal na Rede" a existência desta praga dos pinheiros em Setúbal e a sua perigosidade que advém da destruição que provoca nos exemplares afectados e da facilidade com que a doença se propaga. Questionado sobre as razões que levaram à não divulgação da descoberta, logo no mês de Junho, Fernando Varela disse que não o fez por não querer alarmar os sectores industriais e comerciais ligados à exploração da madeira, até porque a doença foi rapidamente identificada e circunscrita ao local onde foi descoberta. No entanto, o director da DRARO diz não poder dar garantias de que a praga não se propague pelo país, uma vez que nada impede que outros carregamentos de madeira importada possam estar contaminados. Mas para já, foram tomadas medidas de precaução, em colaboração com as indústrias do sector sediadas em Setúbal, no sentido de "precaver qualquer propagação da doença", acrescenta este responsável. Enquanto isso, uma equipa de especialistas da União Europeia prepara-se para se deslocar a Setúbal, no dia 13 de Setembro, para analisar os problemas, no local, e tomar medidas de precaução no sentido da doença não se propagar a outros países da Europa comunitária. Uma situação que pode vir a preocupar seriamente as indústrias ligadas a esta matéria prima, porque se a situação for mesmo grave, Portugal corre o risco de ver embargada a exportação de madeira de pinho. Contactado pelo "Setúbal na Rede", o presidente da associação ambientalista Quercus, Francisco Ferreira, diz-se preocupado com a recente descoberta que poderá colocar em perigo todos os pinhais do país, que constituem a maior parte da mancha florestal nacional. E chega mesmo a apontar o dedo ao Governo ao garantir que a culpa é de quem "permite a cultura intensiva de apenas uma ou duas espécies", como é o caso do pinheiro e do eucalipto, "o que faz com que possa suceder uma razia" na floresta portuguesa em casos como este. Quanto à possibilidade destes insectos terem sido 'importados' conjuntamente com alguns lotes de madeira, o presidente dos ambientalistas afirma que isso "só prova que em Portugal a fiscalização não funciona". E aponta o exemplo negativo dos Estados Unidos, que "só depois de terem visto as florestas destruídas é que se lembraram de fazer um apertado controlo das matérias importadas".

Fonte: “Setúbal na Rede” - 06-09-1999

Marisa Monte - Amor I LOVE YOU

Parlamento rejeitou casamentos homossexuais


O PS, PSD e CDS-PP chumbaram hoje no Parlamento as propostas sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Segue-se a transcrição da notícia do site da RTP:


«A bancada do PS justificou o seu voto contra os dois projectos, recuperando argumentos já avançados ao longo das últimas duas semanas, como o "sentido de oportunidade" da discussão dos diplomas, defendendo a necessidade de um "amplo debate" prévio na sociedade. Em declaração de voto, que acompanhou o voto contra na votação dos projectos dos Verdes e do Bloco de Esquerda, a bancada socialista declara que o partido "não é contra os casamentos das pessoas do mesmo sexo, está é contra a oportunidade", ao mesmo tempo que garantiu a intenção do partido maioritário de abolir todos os tipos de discriminação. O deputado socialista Jorge Strech assegurou "a vontade do PS" de consagrar os casamentos entre pessoas do mesmo sexo mas não se comprometeu com datas, depois de desafiado a esclarecer se o fará na próxima legislatura. "O PS assume aqui hoje a vontade de eliminar toda e qualquer a discriminação em função da orientação sexual. O PS considera no entanto que não o pode fazer de forma fracturante", afirmou o deputado socialista. Os projectos do Bloco de Esquerda e do Partido Ecologista “Os Verdes” foram rejeitados com os votos contra do PS, PSD e CDS. PCP votou favoravelmente o projecto do partido ecologista "Os Verdes" e absteve-se no projecto do BE. O Bloco de Esquerda absteve-se no projecto dos Verdes, que fizeram o mesmo relativamente ao do BE. No PSD, Pedro Duarte, José Eduardo Martins, Pedro Pinto, Miguel Almeida, José Raul dos Santos, Sérgio Vieira, André Almeida e Luís Carloto abstiveram-se em relação ao projecto dos Verdes. Manuel Alegre, deputado do Partido Socialista quebrou a disciplina de voto e votou a favor do casamento entre homossexuais. «Acho que houve uma votação, mas eu não concordo. Acho que é um erro político», já tinha considerado Manuel Alegre após reunião do grupo parlamentar do PS a que não assistiu e que aprovou a disciplina de voto. Paulo Pereira Coelho, deputado do PSD, juntou-se aos votos favoráveis aos dois projectos de casamento entre serem do mesmo sexo.


Portugueses recusam casamentos homossexuais


Posição maioritária dos partidos que corresponde, de acordo com sondagens de opinião recentemente publicadas, à opinião dos portugueses. De acordo com essa sondagem, 53% dos inquiridos demonstraram ser contra a introdução no sistema jurídico português do casamento homossexual, enquanto 42% se revelavam a favor. De acordo com a sondagem da Universidade Católica dos inquiridos que responderam que não ou que não sabem 33% afirmam que a lei não deve reconhecer de forma alguma os casais formados por pessoas do mesmo sexo, enquanto 11% entendem que a lei deve limitar-se a reconhecer a existência de uniões de facto, como sucede hoje em dia. 51 por cento dos inquiridos entendem, no entanto, que o tema desse ser objecto de uma consulta popular, enquanto para 44% não se coloca essa hipótese. A sondagem foi realizada pela Universidade Católica para a Antena 1, RTP e Jornal de Notícias nos dias 4 e 5 deste mês. Foram obtidos 1297 inquéritos. O nível de confiança é de 95% sendo a margem de erro de 2,7 por cento. »


Eduardo Caetano, RTP, 2008-10-10




Este é assunto, de facto, muito polémico e fracturante na sociedade portuguesa. Como vimos na sondagem realizada pela Universidade Católica, a maioria dos portugueses sondados é contra o casamento de homossexuais. E, já agora, têm alguma opinião sobre este assunto? Deveria haver um referendo para que os portugueses podessem decidir este assunto?

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Segunda-feira negra para as bolsas mundiais por temor de contágio da crise


As bolsas mundiais viveram uma segunda-feira negra e registraram quedas alarmantes, aterrorizadas pelo contágio da crise financeira e os riscos de uma cascata de falências bancárias.
"O pânico é geral", afirmou Adrian van Tiggelen, analista do banco holandês ING.
"Toda a gente esperava que, depois da aprovação do pacote dos Estados Unidos e os resgates bancários na Europa, as coisas acalmar-se-iam, mas, na realidade, ainda são fortes os temores que as dominaram", acrescentou.
Antes da abertura dos mercados na Europa, a bolsas asiáticas já haviam dado sinal da falta de confiança dos investidores.
O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio encerrou a sessão em forte retrocesso de 4,25%, uma perda de 465,05 pontos, 10.473,09 unidades, o seu menor nível desde 12 de fevereiro de 2004. Xangai fechou em queda de 5,23%, Hong Kong perdeu 5,0%, Seul retrocedeu 4,3%, Taipé perdeu 4,12%, Filipinas 2,6%, Sydney 3,3% e a Nova Zelândia 3,27%.
Seguindo a tendência asiática, as principais bolsas europeias tiveram uma quebra elevadíssima e, na Rússia, as transações chegaram a ser interrompidas e, por fim, registraram um retrocesso de quase 20%.
Paris fechou com uma queda assustadora de 9,04%, a maior de seu índice CAC 40 desde a sua criação, em 1988. Londres perdeu 7,85% e Frankfurt, o principal mercado da Eurozona, retrocedeu 7,07%. Madrid caiu 6,06% o índice Latibex, que reúne os principais títulos latino-americanos, perdeu 20,65%.
Bruxelas fechou em baixa de 6,87%, e Copenhaga seguiu com 11,06% negativos. Milão afundou 8,24%, Lisboa caiu 9,86%, Dublin 9,59% e Amsterdão 9,14%.
A queda da Bolsa de Nova York acelerava-se nesta segunda-feira, com o índice Dow Jones cedendo mais de 500 pontos. Na abertura, o Dow Jones perdia 5,23% e o Nasdaq 6,83%.
As bolsas da América Latina também sofreram com o movimento de pânico na sua abertura.
São Paulo, o maior mercado da América Latina, suspendeu automaticamente suas operações quando o índice Ibovespa perdeu mais de 15%.
A bolsa de Buenos Aires recuou 11% e a mexicana 6,07%.
"Há uma crise de confiança por trás dos movimentos de venda", explicou Patrick O'Hare, do site financeiro Briefing.com.
"É muito simples: os investidores estão reticentes em acreditar que o plano de resgate americano terá um efeito rápido no sistema financeiro e na economia mundial".
A adoção do Plano Paulson (com modificações em seu original) na sexta-feira passada pela Câmara de Representantes dos Estados Unidos não bastou para tranquilizar os investidores, nervosos com a chegada da crise financeira à Europa.
E o agravamento da crise na Europa aumentou o nível de ansiedade do mercado americano, acrescentou O'Hare.
Segundo os analistas, o temor desencadeado pela grande operação de resgate do banco hipotecário alemão Hypo provocou o desabamento das bolsas de todo o mundo e acabou com a ilusão de que as grandes intervenções estatais podem conter rapidamente a crise financeira mundial.
Nem o resgate do banco alemão Hypo Real Estate por 50 bilhões de euros (68 bilhões de dólares), nem a compra do banco belga-holandês Fortis pelo francês BNP Paribas ou a aprovação do histórico resgate financeiro americano de 700 bilhões de dólares não conseguiram aliviar o crescente sentimento de pânico que parece ter tomado de vez os mercados. (AFP)


Aqui está um exemplo (neste caso muito negativo) da chamada "Globalização". O que é que irá acontecer a seguir? Será que o Mundo vai definitivamente entrar numa grande crise de recessão económica?

Mamíferos e anfíbios estão a atravessar “crise de extinção

Cartoon (sem título) de Sevket Yalaz (Turquia) que ganhou uma menção honrosa no Porto Cartoon de 2008


Em contraponto ao post anterior, temos esta notícia do jornal público on line de hoje que nos mostra, mais uma vez, como o Homem está a destruir este Mundo maravilhoso que aludia a canção de Louis Armstrong:


"Os mamíferos e os anfíbios do mundo estão numa “crise de extinção”, diz a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). De acordo com a edição de 2008 da Lista Vermelha das espécies ameaçadas, divulgada hoje, há 1141 mamíferos em risco de extinção – cerca de 21 por cento das 5487 espécies conhecidas. Há ainda 836 mamíferos cujo estado de conservação ainda não é bem conhecido.

O lince ibérico – que só tem sido visto na natureza em Espanha, mas não em Portugal – voltou este ano a ser apontado pela UICN como um dos exemplos da crise mundial entre os mamíferos.

Também os anfíbios atravessam uma séria crise de sobrevivência, segundo a UICN. Praticamente uma em cada três espécies que existem no mundo corre o risco de se extinguir.

Mamíferos, anfíbios e aves são os únicos grupos de seres vivos cujas espécies estão maioritariamente identificadas e estudadas. O mesmo não ocorre com répteis, peixes, invertebrados e plantas.

Para estes grupos, a UICN lançou agora um índice que funciona como uma espécie de Dow Jones – o indicador da tendência das bolsas norte-americanas – para a biodiversidade. O índice SRLI avalia a tendência de extinção dentro de um grupo a partir de uma amostra aleatória de suas espécies. "

Fonte: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1345046&idCanal=13

Louis Armstrong - What a wonderful world

What a wonderful world, de Louis Armstrong é, sem dúvida, umas das canções mais bonitas, relaxantes e positivas de sempre. Comigo teve sempre o efeito de me acalmar e de me fazer acreditar que o Mundo é maravilhoso e que, quando tudo corre mal, há ainda a esperança que as coisas melhorem. Neste vídeo, criado pela brasileira MaLuiza Lobo, podem visualizar belíssimas fotografias que vão ilustrando de algum modo as letras da canção. Espero que gostem.


domingo, 5 de outubro de 2008

elvis costello- she (Notting Hill)

Agora fiquem com a canção "She", na versão de Elvis Costello e que faz parte da banda sonora do divertido filme "Notting Hill", que todos já vimos não sei quantas vezes na televisão e que foi realizado por Roger Michell e com as interpretações de Julia Roberts e Hugh Grant.


Cristãos enfrentam os piores ataques desde a independência da Índia


Pelo menos 34 pessoas morreram desde o início da violência. Milhares estão impedidos de regressar a casa se não se reconverterem ao hinduísmo


O pai do padre Manoj Kumar Nayak é cristão há 30 anos. Na semana passada encostaram-lhe um machado ao pescoço e avisaram-no de que, se quiser viver na sua aldeia, tem de regressar ao hinduísmo. Como milhares de cristãos indianos, fugira de casa para escapar à violência que há várias semanas tem sido dirigida contra os fiéis em várias regiões do país. Agora voltou, com o credo na boca, mas terá de rezar em silêncio se quiser manter a vida. É o próprio padre quem o conta ao PÚBLICO, por telefone a partir de Tiangia, uma aldeia do estado de Orissa, no Leste da Índia. Manoj Kumar Nayak, de 33 anos (e padre há cinco), ressalva que tem ouvido histórias bem piores contadas na primeira pessoa. Como a de um homem de 20 anos, que tentou fugir dos atacantes hindus para a floresta, levando mulher e filhos. "Foi apanhado e assassinado em frente à família. Cortaram-no pedaço a pedaço: primeiro os dedos, depois os braços, depois o pescoço. A mulher viu tudo."A comunidade cristã está a viver os seus piores momentos desde a independência indiana, há 61 anos. Pelo menos 34 pessoas morreram em pouco mais de um mês. Cerca de 50 mil tiveram de deixar as suas terras, muitas fugiram para a selva ou procuraram campos de refugiados. Casas e igrejas têm sido incendiadas; uma freira violada e várias agredidas; padres espancados. E se os números podem parecer curtos tendo em conta o quadro geral da violência inter-religiosa na Índia, que normalmente envolve hindus e muçulmanos, muitos vêem na actual crise apenas um início. Não parece haver muitas dúvidas quanto ao detonador desta onda: o assassínio em Orissa de Swami Laxmanananda Saraswati, um carismático líder religioso hindu, a 23 de Agosto. Não importa se as autoridades o atribuíram aos maoístas naxalitas, e se os próprios o reivindicaram. Para os fundamentalistas hindus, o crime foi obra dos cristãos. "O Swami só ajudava os pobres. Não foi nada morto pelos maoístas. Isso é propaganda dos cristãos. Foram eles que mataram o Swami a sangue-frio durante a noite", disse ao PÚBLICO Swami Vigyananand, secretário-geral adjunto do Vishwa Hindu Parishad (VHP, o Conselho Mundial Hindu), em Nova Deli. "Se não tivessem morto o Swami Laxmanananda Saraswati nada disto teria acontecido. Os cristãos têm uma forma de trabalhar silenciosa." Desde então tem havido incidentes em vários locais do país, alegadamente cometidos pelo Bajrang Dal, uma facção juvenil do VHP. Outubro começou com a violência instalada em cinco estados: para além de Orissa, Madhya Pradesh, Karnataka, Kerala e Uttar Pradesh. Centro, Sul e Norte.
50 mil cristãos tiveram de fugir das suas terras por causa da violência dos hindus. Muitos fugiram para a selva ou para campos de refugiados. Há quem veja nesta violência o início de algo mais grave.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Escolas do Porto estão "um barril de pólvora", acusa representante das associações de pais


Pais esbofetearam uma professora numa escola do Cerco; na EB1 do Bonfim, um aluno feriu funcionária

As escolas do Porto começaram o novo ano lectivo com cerca de 100 auxiliares de acção educativa a menos e, para o presidente da Federação das Associações de Pais do Porto, Manuel Monteiro, esse problema está na base das agressões dos últimos dias: no dia 21 de Setembro, uma professora da Escola do 1.º Ciclo do Cerco foi esbofeteada pelos pais de um aluno; anteontem, um aluno agrediu uma funcionária na EB1 do Bonfim com um pedaço de madeira. "As escolas estão, infelizmente, transformadas em barris de pólvora. A todo o momento há agressões porque não há funcionários que ajudem a controlar a situação", referiu Manuel Monteiro, dizendo que, anteontem, a Federação das Associações de Pais do Porto (FAPP) foi chamada a duas escolas "que os pais queriam fechar porque não têm funcionários que assegurem o bom funcionamento das escolas". Na Escola Secundária de António Nobre, com 850 alunos inscritos, há apenas 13 auxiliares de acção educativa, quando, "segundo os rácios da ministra [da Educação], devia ter menos 23", exemplificou o presidente da FAPP. "Ainda por cima, daqueles 13 funcionários, 11 estão na casa dos 60 anos", apontou, acrescentando que, nalgumas das escolas com funcionários a menos, não há porteiros. Assim, "os miúdos entram e saem da escola sem ninguém que os controle". O pior é quando a ausência de vigilância degenera em indisciplina. Anteontem, na Escola EB1 do Bonfim, um dos alunos terá pegado numa ripa de madeira e partiu o queixo a uma funcionária. Esta teve que receber assistência hospitalar. Na Escola do 1.º Ciclo do Cerco, foram os pais de um aluno que, no dia 21, esbofetearam uma professora, supostamente por discordarem do castigo imposto ao filho. "A professora mandou o aluno fazer qualquer coisa, ele negou-se a cumprir a determinação, pelo que ficou de castigo na cantina, enquanto os colegas foram para o recreio", descreveu à agência noticiosa Lusa o presidente da associação de pais, José Santos. Alguém terá telefonado aos pais do aluno a relatar o sucedido e estes, depois de vários insultos e ameaças a professores e funcionários, "fizeram cumprir a sua vontade, agredindo a professora". A docente meteu baixa médica e a Direcção-Regional de Educação do Norte anunciou que a escola vai avançar com uma queixa-crime contra os alegados agressores. Entretanto, todos os pais deixaram de poder entrar na escola. Quem for buscar o filho passa a ter que esperá-lo à porta. "É uma medida que se compreende, porque agressões deste tipo exigem medidas e punições exemplares", reagiu Manuel Monteiro. Umas semanas antes, um segurança e uma professora da Escola EB 2,3 do Cerco - outra escola do mesmo agrupamento, que congrega alunos do problemático Bairro do Cerco - foram agredidos por dois alunos que tinham sido suspensos. O caso seguiu para o Ministério Público.

O que pensam desta situação vividas nas escolas do Porto? O que é que deve ser feito para acabar com a violência e a indisciplina nas escolas?