quinta-feira, 15 de julho de 2010

Exame de Geografia A de 11º ano - 2ª Fase

Hoje decorreu o exame nacional de Geografia A de 11º ano. Mais uma vez, tal como já tinha ocorrido na primeira fase, continha algumas perguntas, no mínimo, estranhas como a 3 do Grupo I e algumas do Grupo VI. A pergunta 2 do Grupo II pareceu-me mal formulada, sobretudo tendo em conta a figura 2 que serve de base a todo o Grupo. Os critérios de classificação da pergunta 4 do Grupo V pareceram-me demasiado exigentes no que toca a certos pormenores da evolução dos movimentos migratórios em determinados anos.

Quem faz estes exames devia elaborar provas mais previsíveis, ou seja, mais de acordo com o trabalho desenvolvido pelos professores e alunos ao longo dos dois anos e centrar as questões nos conteúdos que são essenciais e que normalmente são mais trabalhados / aprofundados. Questionar assuntos que são acessórios ou até periféricos aos programa é desonesto e põe em causa não só o trabalho dos professores mas também o esforço e dedicação dos alunos. Desculpem o meu desabafo.

Podem ver o exame aqui e os critérios de classificação aqui.

1 comentário:

Chico disse...

Eu fiz o exame e a pergunta 3 do grupo I também me levantou dúvidas, mas por causa da resposta que é dada nos critérios (opção A). Durante a resolução do exame, não tive dúvidas em escolher a opção C, na qual a temperatura sobe e desce de forma progressiva, como é suposto na passagem de uma frente polar.

Ora, os critérios escolhem o gráfico A, o que não me parece correcto, já que há dois momentos que registam várias temperaturas. Quando a temperatura sobe, no mesmo instante, segundo o gráfico, existem várias temperaturas no local, acontecendo situação semelhante quando a temperatura desce. Julgo que todos concordamos que é impossível que um dado local registe várias temperaturas distintas num dado instante...

Chegando a este ponto, resta concluir que, das duas, uma: ou a minha interpretação está errada e tudo o que disse não faz qualquer sentido ou os critérios de correcção têm um erro grosseiro que deve ser corrigido prontamente.