quinta-feira, 8 de julho de 2010

Saíram os resultados dos exames nacionais: os resultados de Geografia A da ESRT melhoraram e ficaram acima da média nacional


Saíram finalmente os resultados da 1ª fase dos exames nacionais. Este ano os resultados de Geografia A dos alunos da Escola Secundária de Rio Tinto subiram consideravelmente em relação aos do ano passado. A média geral subiu de 10,09, em 2009 para 11,7, este ano. Este valor é superior à media nacional que ficou pelos 11,0. Boas notícias portanto! Só foi pena que alguns alunos tivessem registado quebras significativas relativamente à classificação de frequência. Em compensação, muitos alunos conseguiram manter a nota de frequência e alguns até obtiveram neste exame classificações superiores à avaliação interna.

Para terem uma visão do que se passou nas outras disciplinas leiam a notícia do Público on Line de hoje:




Resultados da 1.ª fase dos exames por disciplina

Um quarto dos alunos reprovou a Física e Química A

Um quarto dos alunos que fizeram o exame nacional de Física e Química A reprovou. Foi a esta disciplina, a que se submeteram 35.826 alunos, que a média nacional foi a mais baixa: 81 pontos (numa escala de 0 a 200), e de 85 para os alunos internos, ou seja, para aqueles que estiveram inscritos na escola e fizeram a disciplina. Os alunos internos, na maior parte das provas, obtêm melhores resultados do que os que se autopropõem a exame. O Ministério da Educação divulgou hoje os resultados da 1.ª fase dos exames nacionais do ensino secundário.

Entre as médias negativas, inferiores a 100 pontos (ou dez valores), estão, mais quatro disciplinas: a Geometria Descritiva A com média de 82 valores (89 para os alunos internos), onde reprovaram 17 por cento dos 8840 estudantes; a Matemática B, realizada por 6629 examinandos, com média de 87 (113 para os alunos internos); a Matemática Aplicada às Ciências Sociais em que a média dos 8844 alunos foi de 95 pontos (101 para os internos), tendo reprovado 12 por cento dos alunos; a Biologia e Geologia com 96 pontos de média total (98 pontos para os alunos internos) a que chumbou dez por cento dos 38.949 alunos.

Quanto à Matemática A, feita por 38.082 estudantes, a média é de 108 (122 para os alunos internos) e a taxa de reprovação desceu dois pontos de 15 para 13 por cento - a média nacional subiu de 100 para 108 pontos.

O exame nacional mais concorrido foi o de Português (639) com 66.958 provas realizadas e cuja média nacional desceu de 111 para 101 pontos, subindo a percentagem de alunos reprovados de quatro para seis por cento.

Houve uma subida das médias nacionais em dez disciplinas - de destacar os 146 pontos de média a Português Língua não materna (839) -, onze cadeiras viram as suas notas descer. Entre os dois novos exames introduzidos - Alemão (801) e Espanhol (847), com 168 e 123 pontos respectivamente, os alunos auto-propostos fizeram subir a média nacional, uma situação mais rara porque, de maneira global, o valor da média do total destes alunos situa-se entre o 0,1 e o 1 valor abaixo dos resultados alcançados pelos alunos internos.

Segundo o Ministério da Educação a 1.ª fase dos exames "decorreu com total normalidade, à semelhança do que se tem verificado em anos anteriores". As classificações "consolidam uma tendência de estabilidade dos resultados". Ao todo foram avaliadas 24 disciplinas e foram realizadas 264.581 provas menos 1600 testes do que no ano anterior.


Fonte: http://www.publico.pt/Educação/um-quarto-dos-alunos-reprovou-a-fisica-e-quimica-a_1445833

Para consultarem os dados a nível nacional cliquem aqui.

2 comentários:

nuno disse...

professor, onde posso encontrar o parecer da associação dos professores de geografia sobre os exames deste ano??

Obrigado,
Nuno Montenegro

Eduardo Vales disse...

Olá Nuno

Desconheço qualquer parecer da Associação de Professores de Geografia quanto ao exame deste ano. Já por vária vezes visitei o site da Associação (http://www.aprofgeo.geoelearn.com/), mas não encontrei qualquer parecer. Também não vi nada nesse sentido nos jornais. No ano passado houve um parecer porque havia um erro na prova, mas tal facto não foi reconhecido pelo GAVE.

Se precisares de mim para alguma coisa sabes como contactar-me.

Um abraço

Eduardo Vales