quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Em qual deste tipo de pessoas confia?


No fim de semana passado, os meios de comunicação social divulgaram uma sondagem mundial do Instituto Gallup para o Fórum Económico Mundial efectuada a 61 600 pessoas em 60 países.


A pergunta era: "Em qual deste tipo de pessoa confia?"


Os professores são os profissionais em que os portugueses mais confiam (quem diria!...); os políticos ficam no fim da tabela. 42 por cento dos portugueses consideram que os professores não só são considerados os profissionais mais merecedores de confiança como são aqueles a quem os inquiridos dariam mais poder (32 %).

A seguir aos docentes surgem, no capítulo das pessoas tidas como mais dignas de confiança, os líderes militares e da polícia (24 %), os jornalistas (20 %) e os líderes religiosos (18 %). Bem no fundo da lista, com um sexto das respostas obtidas pelos professores, ficam os políticos (7%).

Quanto à questão de quais as profissões a que dariam mais poder no seu país, os portugueses privilegiaram os professores (32%), os intelectuais (28%) e os dirigentes militares e policiais (21%), surgindo em último lugar, com 6%, as estrelas desportivas ou de cinema


A confiança dos portugueses por profissões não se afasta dos resultados médios para a Europa Ocidental. Os advogados, que em Portugal apenas têm a confiança de 14% dos inquiridos, vêm em terceiro lugar na Europa Ocidental. A nível mundial, os professores são também os que merecem maior confiança ( 34%) dos inquiridos, seguindo-se os líderes religiosos (27%) e os dirigentes militares e da polícia (18%). Os políticos surgem, uma vez mais, na cauda, com apenas 8% a darem-lhes a sua confiança. Os docentes apenas perdem o primeiro lugar para os líderes religiosos em África, que têm a confiança de 70% dos inquiridos. A Europa Ocidental daria mais poder aos intelectuais (30%) e professores (29%). A nível mundial voltam a predominar os professores (28%) e os intelectuais (25%), seguidos dos líderes religiosos (21%).



Comenta os resultados deste estudo.


5 comentários:

Vasco PS disse...

Acho que venho sempre a tempo de deixar uma "amostra" de comentário nesta notícia. Viva os professores!

Este estudo é uma verdadeira vitória para a classe (que tem perdido toda a classe, infelizmente)...aliás, muita gente deve estar roídinha de inveja. No entanto, confesso, não entregava o poder a alguns professores, só se quisesse reviver a Pré-História (o que até poderia ser bastante pedagógico).

O resultado acerca dos advogados assusta-me; até me formar ainda voltam a instituir a Inquisição ou assim.

Observações à parte, admira-me que os portugueses confiem tantos nos professores, quando, a população idosa ainda os toma como armas ao serviço do antigo regime ditatorial (de régua na mão); a população adulta, muitos deles encarregados de educação, amam ir à escola arranjar maneira de "queimar" os professores por tudo e por nada; por fim, os alunos, que na maioria nem os podem ver pelas costas (a não ser que seja para atirar papéis, ou melhor, actualmente será mais cadeiras).

É uma observação fria e crua, mas não andará muito longe da verdade...não sei. Como são sempre os números e as estatísticas que contam, que esta notícia sirva para alegrar o ânimo dos professores, que têm sido humilhados de mais nos últimos tempos. Viva a educação e formação! Bem haja a todos os professores que diariamente passam as maiores atrocidades numa sociedade que deveria ser democrática e educada.

Caldas disse...

Esta notícia foi sem dúvida a qe mais me surpreendeu. Já vi notícias de acontcimentos inacreditáveis aqui no blog mas esta chega a ser, de certo modo, cómica. Nestes últimos meses ou anos têm sido postas em práctica reformas que vieram alterar o estatuto do professor e do aluno no ensino em Portugal. O professor passou de um herói, que era essencial a todos que queriam subir na vida (ou pelo menos não crescer na ignorância), a um funcionário público que se aproveita do salário mais ou menos seguro do Estado e que falta e não faz nada nas aulas. Isto claro na opinião de gente com baixa qualificação ou que precisa de óculos.
Não estou aqui para defender os professores, porque como em todas as profissões existem bons e maus profissionais, mas quero apenas realçar o facto de que a profissão de professor não é tão banal como se "pinta" actualmente e SIM a saúde está em primeiro lugar e os médicos por exemplo são muito importantes, mas sem professores também não existiriam médicos. Isto tudo para dizer que se os dados da sondagem mundial do Instituto Gallup para o Fórum Económico Mundial fossem apenas em Portugal os professores eram os últimos ou penúltimos em quem os portugueses confiariam (isto também pelos valores que são transmitidos actualmente neste país da cauda da Europa).

Vasco PS disse...

Os políticos devem andar cabisbaixos por estes dias. Foi uma boa bofetada de luva branca, foi sim senhor. Ainda fico a pensar: Será que isto não foi encomendado para eludir algumas pessoas? Não que eu duvide que os professores deveriam ser quase alvo de culto, ou até que em países minimamente desenvolvidos se confie em quem tem um papel de relevo na formação de toda a sociedade...mas serem os preferidos? Entregar-lhes o poder? Os portugueses que responderem aos inquéritos quiseram ficar bem na fotografia, só pode. Realmente, Ricardo, esta é uma notícia "wow". Fantástico.

Soraia disse...

Poder aos professores!

Meus amigos Vasco e Ricardo,realmente vocês têm razão, esta notícia tem tanto de surpreendente como de cómico.

Eu para ser honesta, não acredito que os portugueses confiem assim tanto nos professores (infelizmente), pois os encarregados de educação, só sabem criticar o trabalho dos professores, que ultimamente têm sido "os escravos" desta sociedade de fachada.

Há também que dizer, que se há professores dignos desta confiança (e nós temos o privilégio de ter alguns), também é verdade que há alguns que nem sabem o que significa ser professor.

Seria realmente muito bom, que a importância dos professores fosse reconhecida, porque eles têm um papel muito importante na educação e na formação dos jovens.

Espero que aqui em Portugal, estas estatísticas divulgadas sirvam (como disse o Vasco)de incentivo para que os professores continuem o bom trabalho e tenham sempre em mente aquilo que os fez escolher esta profissão: a paixão por ensinar.

Professores de Portugal: CORAGEM! "Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena".

Vasco PS disse...

Oh Soraia...queria criar debate, mas não estou a conseguir. (estou a brincar, claro) O teu comentário tem algo que me chamou a atenção "é verdade que há alguns que nem sabem o que significa ser professor." Se calhar é por causa destes que há tanta gente que contesta os professores...mas como disse o nosso Pessoa "Quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor."