quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Petróleo sobe aos 101,32 dólares!


O preço do petróleo atingiu já hoje, em Nova Iorque, o seu valor mais elevado de sempre, nos 101,32 dólares (68,7 euros). A especulação parece sustentar estes movimentos repentinos de agravamento do preço do petróleo, já que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo tem repetidamente defendido que não há falta de crude no mercado.

Fonte: http://economia.publico.clix.pt/

7 comentários:

Vasco PS disse...

Realmente é difícil entender-se. Se existem mais jazidas exploradas hoje do que há umas décadas atrás, se, segundo a OPEP há mais petróleo e maiores reservas, o aumento dos preços só poderá resultar da especulação. E não esquecer, pois claro, o aumento da procurar desta fonte de energia pelas potências emergentes, com especial atenção para a China...Depois, temos a Venezuela e as suas ameaças...Em pouco tempo o barril de petróleo chegará aos 200 dólares.

Rute Cruz disse...

O valioso Ouro Negro

Grande descoberta esta... Tornou-se numa valiosa fonte de energia, os países produtores ganham milhões e o mundo encontra-se completamente dependente deste. Talvez esse seja o principal erro… ou não, pois sem ele não teriam sido inventadas muitas das inovações que tornam a nossa vida mais agradável, no entanto, também não teriam existido tantos conflitos como os que hoje se verificam devido a este precioso produto.

É tempo de se pensar em energias renováveis e de se esquecer de uma vez por todas o poluente petróleo, se é que isto é possível. É bem provável que não o seja imediatamente, nem mesmo num futuro muito próximo, mas acredito que daqui a alguns anos se consiga substitui-lo completamente por outras fontes alternativas. Enquanto estes tempos não chegam, a verdade é que vamos ter de continuar a aguentar o aumento do preço do petróleo, sendo que este varia segundo a vontade e as atitudes de alguns. Passo a explicar: segundo a vontade de alguns, pois os países produtores é que decidem a variação do seu preço; e segundo as atitudes de alguns, pois a crise do petróleo que hoje em dia decorre resulta, principalmente, da guerra no Iraque, que se iniciou e só terminará quando a vontade dos EUA assim o desejar. Agora temos de pagar bem caro este tipo de atitudes.

Enquanto isso, países como a Venezuela, afirmam ter grandes jazidas de petróleo, e quando apenas estes o possuírem, acredito que o preço ainda subirá mais. Mas não é preciso chegar a tanto, pois isso ainda não aconteceu e o preço do petróleo já sobe e muito, o seu preço.

The American disse...

Petróleo! O tema de conversação de muitos países...

Sinceramente até penso que se criam acordos a mais se a finalidade de muitos deles na maior parte das vezes vai dar ao petróleo... Sim, é verdade, esta energia não renovável é poderosa e tem também criado conflitos por todo o Globo, porque se é a energia mais lucrativa para a maioria, é também a que todos pretendem ter. E têm. Uns mais outros menos. Talvez o mal seja esse. Concordo com a minha amiga Rute quando diz que está na altura de apostar mais nas energias renováveis e concordo com o meu amigo Vasco quando diz que toda esta subida só pode resultar da especulação. Está portanto aqui uma deixa para que as gerações presentes e futuras metam mãos à obra e apostem "no ventinho" e "no solzinho" para fazer frente à dependência do Ouro Negro....

Soraia disse...

Dependência do petróleo...
E que tal procurar alternativas?

Esta notícia não é de todo surpreendente, pois há muito que se regista uma subida no preço do petróleo. Hugo Chávez, deixou bem claro que tudo faria para que o barril de petróleo chegasse aos 200 dólares e esta notícia mostra que estamos a caminhar nesse sentido.

Diz-se que há mais petróleo,e cada vez mais jazidas exploradas(lembrem-se que agora até o Brasil tem petróleo), o que significa que este aumento do preço do petróleo é pura especulação.
Confesso que isto dos países da OPEP ameaçarem constantemente os países importadores deste produto com a subida do preço por barril, começa a ser um pouco irritante e o Sr. Hugo Chávez, devia era preocupar-se em melhorar as condições de vida dos seus habitantes e deixar-se de ameaças que lhe podem sair muito caras.

Resta-nos esperar pelas cenas dos próximos episódios, se bem que o desfecho desta situação é bastante previsível.

Pedro disse...

Em busca do tesouro negro…

Realmente esta situação está a tornar-se muito repetitiva…nos últimos tempos o petróleo está a atingir níveis até então impensáveis o que se revela bastante preocupante.

Tendo em conta que o Mundo está muito dependente desta preciosa fonte energética (tão preciosa ao ponto de se invadirem países em seu nome), esta situação poderá acarretar consequências gravíssimas para a conjuntura económica mundial.

Considerando que a OPEP defende que não há falta de crude no mercado mundial, podemos concluir que esta subida do preço do petróleo, que passou a barreira dos 100 dólares, não passa de especulação (como já foi referido pelos meus colegas).

Há ainda a agravante de o petróleo ser usado como forma de pressionar os países mais dependentes desta fonte energética, nomeadamente os EUA que ocupam o primeiro lugar no Ranking dos maiores importadores de petróleo (com cerca de 12,2 milhões de barris por dia), seguido do Japão (com cerca de 5 milhões de barris por dia), e da República Popular da China (com cerca de 3,4 milhões de barris por dia).

Há ainda que destacar a posição da nossa vizinha Espanha, que aparece como o 9º maior importador deste produto.

Esta estatística reflecte a posição de fragilidade do Mundo, nomeadamente das potências emergentes, face à flutuação do preço do petróleo.

É urgente repensar a forma como utilizamos esta fonte energética não renovável e altamente poluente, passando a apostar nas fontes energéticas renováveis e não prejudiciais ao ambiente, diminuindo a dependência em relação a este produto.

Paulo disse...

Isto já foi dito, mas nunca é de mais salientar. O petróleo é hoje em dia a principal fonte de energia a nível mundial. Serve para fabricar combustíveis, plásticos e até medicamentos. Não admira então tantas disputas e atritos que ao longo dos últimos dois séculos este recurso tem vindo a despoletar. A guerra Irão-Iraque, a primeira guerra do Golfo ou a mais recente invasão dos EUA ao Iraque são apenas alguns exemplos. No entanto, apesar de abundante, não é inesgotável. É isto que muita gente parece não compreender. Quando os meus colegas referem nos seus comentários que deveríamos apostar mais em energias alternativas, não podia concordar mais. Mas isto é algo que não irá de certeza acontecer enquanto continuar a haver gente que se preocupa mais com fortunas pessoais do que com o desenvolvimento sustentável do planeta.


Como já foi dito, esta subida avassaladora do petróleo só pode resultar de especulação, já que parece haver neste momento “mais petróleo que nunca”. Contudo, com a recente desvalorização do Dólar, são as grandes empresas de combustíveis que saem beneficiadas, que aumentam a gasolina em 4 ou 5 cêntimos, mas depois apenas baixam 1 ou 2. O mesmo se passa com os vendedores de produtos de primeira necessidade, como o pão ou o leite, cujos preços aumentam a par dos combustíveis. O problema é que esta relação não é directa, e quando os combustíveis aumentam, por exemplo, 10%, esses bens essenciais deviam apenas aumentar 1%. Elucidativo, não? Enquanto isso, nós os portugueses gastamos cerca de 575 euros anuais na importação de petróleo bruto.
Pois bem, estudos recentes mostram que em 2015 o preço do petróleo rondará os 137 dólares, o que não me surpreende nada, e se num espaço de 7 anos este produto aumentará à volta de 44 dólares, não me admiro que o preço do barril suba depressa, como disse o Vasco, aos 200 dólares.


Se é verdade que foram os novos usos do petróleo que nos permitiram, a partir do século XIX, desenvolver o Mundo e melhorar as condições de vida de grande parte da população, não será também verdade que esta fonte de energia já trouxe graves problemas à humanidade e que poderá num futuro próximo, tal como já fez no passado, agravar as relações entre os principais produtores, importadores, exportadores e consumidores deste recurso?
Uma coisa é certa. Enquanto nos mantivermos tão dependentes do “ouro negro”, só algo de muito grave conseguirá abrandar ou até mesmo parar a procura deste recurso NÃO-RENOVÁVEL.

Francisca Diogo disse...

Petróleo o tesouro que todos desejavam ter no seu país...

Mais felizmente são os países do Sul que mais têm esse ouro negro.
Eu entendo o porque das grandes súbidas do petróleo pois esses, paises vivem do petróleo e sendo este uma energia não renovável, e vendo a grande procura da China, e da India é normal que eles "abusem" e aumentem os preços do barril.
Isto também está acontecer por causa das famosas politicas de Hugo Chávez pra fazer frente aos EUA.
Ao meu ver,de certeza que os EUA e outras potências já estão a procura de alternativas. caso não estejam é facil vamos aderir as energias renovaveis =))
"Porque Renovar é viver"
Felizmente temos OPEP que têm dado alguma esperança para quem teme que o barril chegue aos 200 dólares,(dúvido que chegue)e eu acredito,que existe sim grandes reservas de petróleo no mundo,pois em Angola é sempre encontrado petróleo. ;P