quinta-feira, 12 de março de 2009

Galiza quer travar competitividade do aeroporto Francisco Sá Carneiro


Uma consultora espanhola especializada no sector aéreo propõe a criação de uma rede aeroportuária que coordene os três aeroportos galegos e os torne mais competitivos em relação ao aeroporto do Porto, revelam os jornais da Galiza.
A ideia agrada à transportadora espanhola Ibéria, devido à sua potencial rentabilidade.
Javier Alonso, director de vendas da Ibéria, disse ao jornal La Voz de Galicia, que um aeroporto central da Galiza seria mais rentável para as companhias.
Para além da criação da rede aeroportuária galega, as medidas sugeridas pela consultora RL&L, para travar a competitividade do aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, vão, também, no sentido de aumentar os destinos dos três aeroportos galegos.
Isto porque, segundo disse à Agência Efe o consultor Rubén López, especializado no sector aéreo, os três aeroportos galegos juntos apenas apresentam 20 destinos, ao passo que o aeroporto do Porto conta com 56.
Rubén López salientou, ainda, que quase 500 mil galegos utilizam o aeroporto Francisco Sá Carneiro para as suas deslocações, estimando-se que, nos próximos quatro anos, um milhão de passageiros galegos escolherá este aeroporto português.
López defende, por isso, a necessidade de criar um consórcio aeroportuário da Galiza, que trabalhe coordenadamente com os três aeroportos galegos.
Os principais objectivos desta entidade seriam, de acordo com a consultora, chegar aos 6 milhões de passageiros em 2012, implantar 10 novas rotas, nacionais e intercontinentais, e melhorar as infraestruturas dos três terminais.
"Como rede podemos competir. Individualmente, não", frisou López, ao jornal Faro de Vigo.
Rúben Lopéz já remeteu o plano ao presidente da Junta da Galiza, às organizações empresariais da Corunha, Santiago de Compostela e Vigo, aos autarcas e aos partidos da oposição das três cidades.
O Conselho Internacional de Aeroportos (ACI) classificou o aeroporto Francisco Sá Carneiro como o melhor da Europa em 2007.
O aeroporto do Porto foi ainda considerado o quarto melhor do Mundo, na categoria dos aeroportos que processam até cinco milhões de passageiros por ano.
O Governo já admitiu privatizar a ANA - Aeroportos de Portugal, no âmbito da construção e da concessão da exploração do novo aeroporto de Lisboa.
Vários agentes nortenhos têm reivindicado a separação do Aeroporto Francisco Sá Carneiro da ANA, com vista a permitir a sua autonomização relativamente ao futuro aeroporto de Lisboa. (JN, 12.03.09)



1 comentário:

beatriz disse...

É curioso ler esta notícia dado que numa das últimas aulas, a propósito das áreas de influência, ter sido referido que a área de influência do aeroporto Francisco Sá Carneiro abranger a Galiza. Isto significa que o Porto tem a capacidade de influenciar a Galiza ao nível deste serviço.

Na minha opinião este poder atractivo ao qual se associa a grande qualidade do aeroporto são uma mais-valia para dinamizar e projectar o Porto, cidade que muitos dizem estar “esquecida”!
Por isso espero que essa tentativa de “criar um consórcio aeroportuário da Galiza, que trabalhe coordenadamente com os três aeroportos galegos,” não vá avante.