sexta-feira, 20 de março de 2009

Projecção do filme: "Good Bye Lenin!"

Na próxima Segunda Feira, os alunos do 12º H (Geografia C) vão assistir à projecção do filme "Good bye Lenin!", do realizador alemão Wolfganger Becker. O filme é uma comédia dramática que retratas as mudanças que ocorrem na antiga Alemanha de Leste com o fim da Guerra Fria. É um filme que tem tanto de divertido como de dramático e que acima de tudo conta uma bela história de amor de um filho pela sua mãe. Podem ver agora o trailer do filme



Ficha Técnica do filme

Título Original: Good Bye, Lenin!

Género: Comédia dramática

Tempo de Duração: 118 minutos

Ano de Lançamento (Alemanha): 2003

Site Oficial: http://www.good-bye-lenin.de/

Realização: Wolfganger Becker

Argumento: Wolfganger Becker e Bernd Lichtenberg

Música: Yann Tiersen

Fotografia: Martin Kukula

Interpretação: Daniel Brühl (Alexander Kerner), Katrin Sab (Christine Kerner), Maria Simon (Ariane Kerner), Chulpan Khamatova (Lara), Florian Lukas (Denis), Alexander Beyer (Rainer), Burghart Klaubner (Robert Kerner), Michael Gwisdek (Diretor Klapprath), Christine Schorn (Frau Schäfer), Rudi Völler (Rudi Völler), Helmut Kohl (Helmut Kohl)

Depois de visionarem o filme "Good bye Lenin" gostava que reflectissem sobre o mesmo. Ficam aqui alguns pontos que poderão abordar:

Gostaram do filme? Porquê?

O que é que mais vos marcou no filme?

O que ganharam e o que perderam os cidadãos da ex-RDA com o fim do comunismo e com a reunificação da Alemanha?

10 comentários:

Mariana_Magalhães disse...

Após a visualização do mesmo filme, devo dizer que gostei muito.
Não estava à espera de um filme tão realista mas, ao mesmo tempo, tão divertido.
Gostei muito porque retrata a Alemanha, antes e depois da queda do Muro de Berlim.
Penso que os cidadãos da RDA tanto ganharam com perderam com o fim do comunismo.
Os mesmos cidadãos estavam habituados ao emprego assegurado, com o regime comunista e, com a reunificação da Alemanha, esse aspecto, de certa forma, "perdeu-se" devido à abertura de fronteiras e do mercado nacional.
Embora o fim do emprego seguro ou para toda a vida tivesse visto o seu fim, penso que a abertura das fronteiras e do mercado foi um aspecto muito positivo, porque permitiu a afirmação económica da Alemanha.

Mara disse...

Penso que na generalidade todos os alunos gostaram do filme, pelo seu inconvencional forma de abordar um assunto constrangedor , ainda para algumas pessoas.
A personagem Alex, foi para mim a mais marcante e entusiasmática, após sua mãe sofrer uma paragem cardiaca, que posteriormente ficou em coma.
Este jovem faz de tudo , quando a mãe "acorda do coma", para que esta não se aperceba da volta "radical" que a Europa Oriental sofreu.
É incrivelmente tratado neste filme a modificação , num abrir e fechar de olhos, que a Alemanha obteve com a queda do muro de Berlim.
A solidificação da RFA, trouxe vantagens mas tambem alguns que incovenientes que foram retratados explicitamente ao longo do filme, como o caso do cómercio nacional, o desemprego.
O fim da guerra fria é bastante recente, (1989), e a liberdade que se fez sentir perante as pessoas que viviam como cativas, com a queda do muro sentiram-se completamente livres, o acesso à globalização foi imediato, e a livre circulação para aqueles cidadãos foi algo indescritivel.
Obviamente que isto para os alemães exacerbadamente socialistas foi bastante tenebroso, visto como um grande "mostrengo" europeu .
Espectacularmente neste filme e que remete bastante para o titulo do filme , é quando visionamos a estátua de Lenine sendo transportada dando a sensação de despedida à mãe da personagem Alex, de certo modo despedindo-se do marxismo . E aí a Mãe descobre ou desconfia que a Alemanha reunifica-se.

MárciaFilipa disse...

Tal como já foi referido nas aulas, eu considero que o filme retrata de uma maneira muito precisa o tempo da Guerra-Fria.
Os soviéticos, com a consequente reunificação alemã após a queda do Muro de Berlim, viram-se numa situação de desemprego, algo a que não estavam habituados.
Constatamos que os soviéticos adoptaram novos costumes, nomeadamente, os costumes ocidentais.
Por vezes esses costumes levaram os soviéticos a cometerem exageros, quiça devido à euforia que poderiam sentir.
Na minha opinião a imagem que mais me marcou foi a figura do Lenine a sobrevoar, porque marca o fim do comunismo e representa um sinal de liberdade do mundo de leste.

Suzy Conceição disse...

Fiquei surpreendida com este filme, pois estava há espera de uma coisa e foi outra completamente diferente.
Apesar de ser dramático também tem alguma comédia pelo meio.

Nunca imaginei que a Alemanha tinha vivido assim..eram dois mundos diferentes

Este filme mostrou-nos a realidade vivida naquele tempo, e não foi há muitos anos.

No fundo, só posso dizer que adorei ver este filme, fiquei com uma outra visão da Alemanha.

diana.felicidade disse...

Concordo com a suzy, era um filme muito diferente do que eu esperava. Pensava que iria ser um pouco mais aborrecido, mas gostei bastante de o ver.

Com a visualizaçao deste filme, percebe-se bem as mudanças ocorridas com a queda do Muro De Berlim, principalmente, e como já foi referido, o desemprego. Uma outra e grande diferente foi no comércio. Viu-se bastante nas lojas que já não tinham os mesmos produtos (os produtos tradicionais) mas sim produtos de outros locais (globalização). Notou-se, por exemplo, quando afixaram o cartaz da coca-cola que dantes era proibida.

Houve bastantes mudanças positivas, e outras mais preocupantes.

Maria Ferreira disse...

Pelo nome do filme devo dizer que esperava algo diferente mas quando vi filme achei uma historia impresionante de mãe e filho, que tenta acima de tudo proteger a mãe da terrivel verdade da queda do muro de Berlim.
Para a mãe que era apoiante do comunismo, seria um trama se soubesse que tudo tinha acabado.

Mas na minha opinião a queda do muro de Berlim provocou grandes mudanças, por exemplo no filme podemos observar a entrada da empresa coca-cola, de novos produtos e de população na RDA, o que é uma grande evolução para os cidadãos.
Para concluir eu gostei do filme pela forma que foi realizado,porque apesar de ser um filme que retrata assuntos importantes também têm momentos de diversão.

Aconselho a todos a verem este filme porque é muito interesante porque não só retrata a fase da queda do muro de Berlim como também retrata a relação familiar.

cristiana_alves disse...

Tal como os meus colegas, eu também gostei bastante do filme, e acaba por retratar uma Alemanha antes e depois da Guerra Fria de uma forma dramática mas ao mesmo tempo com momentos engraçados que acabam por dar ao filme uma certa graça.
Sem dúvida o que mais me marcou no filme foi a demonstração de amor e carinho que o filho mostrou ter pela mãe, e todo o seu esforço em manter as coisas tal e qual como eram antes.
Em relação ao que mudou com a reunificação da Alemanha foi principalmente o desemprego e o facto de que os produtos nacionais desapareceram para dar lugar a outros estrangeiros.

Cristiana Alves
12ºH

MariaCosta disse...

Gostei bastante deste filme, acho que nunca tinha assistido a uma comédia dramática.
Este filme transmitiu-nos a rapidez com que depois da queda do muro de Berlim (fim da Guerra Fria) a parte Leste da Alemanha se "capitalizou", quando vemos o personagem principal à procura de produtos alemães e só encontra produtos internacionais.
Transmite, de forma um pouco cómica, a queda da principal figura do Comunismo\Socialismo, Lenine, quando a sua estátua é removida da cidade.
Achei muito interessante retratar um acontecimento tão "frio" e tenso de uma forma cómica, sem dúvida, uma forma muito inovadora de abordar o tema da Guerra Fria.

Andreia Macedo disse...

Tal como a maioria dos alunos que assistiram ao filme, eu também gostei e achei bastante interessante.

Foi um filme que apesar de retratar um assunto bastante sério, como a Guerra Fria,o seu fim e consequentemente as mudanças que isto acarretou, ao mesmo tempo tornou-se engraçado devido a tudo o que foi feito por um filho para que a sua mãe não sofresse com estas mudanças.

Eu tinha uma noção sobre como tinha ficado a Alemanha após a queda do Muro de Berlim, mas ao ver as imagens deste filme tudo me pareceu mais real.

Na minha opinião, penso que por um lado, as pessoas da RDA perderam com o fim do comunismo, pois viram-se confrontadas com o desemprego a que não estavam habituados.
Por outro lado, penso que beneficiaram, pois a abertura das fronteiras permitiram o reencontro de muitas familias que tinham ficado separadas pelo muro e também a abertura ao mercado nacional permitiu que a Alemanha se afirmasse economicamente.

A cena do filme que mais me marcou foi quando a estátua de Lenine estava a ser transportada, marcando o fim do comunismo e a libertação da Alemanha de leste, ou seja, marcando a reunificação alemã.

Não esquecendo que este filme também retrata o grande amor de um filho pela sua mãe.

É um filme interessante e engraçado.

Filipe Ribeiro disse...

Tenho que admitir que depois da Segunda Guerra Mundial, não sabia muito bem sobre o que se passava.
Penso que a razão desta lacuna no tempo entre 1945 e 2000 se deve, a ter dado 5 vezes o Napoleão no quinto ano de escolaridade até ao nono ano. Podia ter ao menos falado da Guerra Fria por alto para ao menos ter uma pequena ideia. Este ano a lacuna foi preenchida principalmente pelo professor de geografia que foi o professor que nos incutiu o conhecimento sobre esta época.
É claro, que depois de dar a Guerra Fria já pensavamos que sabíamos o que se passava nas duas Alemanhas. A verdade não podia estar mais longe, tinhamos uma ideia de que tudo o que não era nacional e tradicional iria ser rejeitado, mas o filme mostra um nível de rejeição que eu não imaginei. Uma mãe que entra em coma quando vê o filho a lugar contra o regime, que quase tem outro ataque quando vê o cartaz da coca-cola ser colocado.
As suas expressões faciais quando ela sai do eu quarto e caminha até a avenida e vê tudo diferente, carros, cartazes de anúncios e o expoente máximo do filme em relação ao fim do comunismo que acontece quando a mulher vê a estátua do Lenine ser transportada.
A mudança no filme pode-se ver em vários aspectos, na vertente do comércio vemos os velhos produtos, os nacionais e tradicionais a desaparecerem e a globalização a tomar conta das lojas e dos supermercados. Do lado económico, vemos muitas mudanças, o velho vizinho sempre a resmungar, que passou uma vida a trabalhar, os empregos já não são certos devido a fonteira estar agora aberta.
Um aspecto importantissimo também neste filme é o amor incondicional de um jovem pela sua mãe que faz de tudo para esta não sofrer outro ataque cardíaco. Vemos o filho, a mudar os rótulos dos fracos de comida, a mudar a mobilia, a usar roupas diferentes dentro de casa, a inventar empregos para o namorado da irmã. A irmã e o namorado trabalharem num Macdonald’s é outro sinal de globalização e um impulso no sector dos empregos.
Como conclusão gostava apenas de dizer que este filme, tem um grande significado, algumas lições de vida fortes e mostra a fraca qualidade de vida, as manifestações públicas pelo jovens e como um jovem luta contra tudo para poupar a sua mãe e ao mesmo tempo construir a sua vida.