segunda-feira, 16 de junho de 2008

Exames do 12º ano - 2008


Queria desejar a todos vós, muita sorte nos exames. Acima de tudo, confiem nos vossos conhecimentos e nas vossas capacidades. Acredito que vão conseguir, com naturalidade, bons resultados. Vocês merecem, depois de tanto trabalho.


P.S.: se tiverem tempo, comentem aqui como estão a decorrer os vossos exames.

6 comentários:

Paulo disse...

Por razões óbvias, não tenho tido tempo para vir comentar as últimas noticias, mas já que o professor pede, venho dizer-lhe que o exame de Português me correu relativamente bem, até porque não se apresentava demasiadamente complexo. Era até bastante acessível. Apesar disso, algumas perguntas de interpretação do taxto eram um pouco confusas, para não dizer estúpidas.Tirando isso, e o facto de ter saído Lusíadas, a última coisa que eu queria, e também o facto de ter perdido pelo menos 1 valor na gramática, até me correu bem, com especial ênfase para a composição, que abordava um tema interessante e que nós estamos já fartos de saber, em grande parte devido à ajuda deste blogue,
Espero que os próximos dois exames me corram bem a mim e a todos os meus colegas.
Boa sorte para todos!

Paulo disse...

Acho que o pior já passou! Os exames mais dificeis(portugues e historia)já estão feitos. Ainda falta um, mas não me parece que vá ser muito dificil.
Em relação ao exame de história, penso que foi se calhar até mais acessível que o de português. Não estava à espera que saísse um grupo sobre a União Soviética, mas era relativamente fácil, principalmente a questão de desenvolvimento(Guerra Fria!). Em relação ao 2º grupo, era expectável que saísse algo sobre a UE. Não estava à espera de falar especificamente sobre o Tratado de Maastricht, mas não foi dificil, pelo menos para quem estudou.
Tenho esperança de conseguir um bom resultado neste exame, e depois de ver também os critérios de correcção do exame de português fiquei mais tranquilo.
Para já tenho boas expectativas.
Só faltam dois dias, e para quem trabalhou arduamente durante todo o ano, isso não é nada...

Vasco PS disse...

Obrigado Professor.
Os exames até agora têm sido equilibrados. No entanto, creio que continuam a fazer más apostas. O exame de Português, a meu ver, vai trazer muitos dissabores, porque havia perguntas muito mal estruturadas. Quanto ao de História, estava a espera de algo pior. Mesmo assim, a primeira parte, por ser muito específica, só sobre Estalinismo, pode ser prejudicial, pois os critérios cá para mim vão ser apertados.

Ana Oliveira disse...

Malsinho... é o estado dos meus exames!
O de portugues surpreendeu-me por sair novamente Os Lusíadas, até parece que a materia de 12º é pouca e não têm mais nada pra por!
O de história... é estupido por natureza (desculpe-me o termo), não acho certo serem tao poucas perguntas e a valerem tanto, mas quem sou eu...
Cá espero plas notas.

Soraia disse...

Professor obrigado pela preocupação.
Bem, agora que já fiz os 3 exames, penso que o balanço é positivo, dentro do possível. No entanto estou um pouco preocupada com a nota de português, pois valendo 40% da minha nota de entrada para a faculdade e tendo em conta a má estruturação de algumas perguntas do exame (às vezes pergunto-me se são de facto professores de português a elaborar o exame), penso que os resultados não serão tão bons quanto o esperado.

São três anos de trabalho deitados ao lixo, em duas horas, devido à incompetência dos professores que elaboraram o exame de portugûes.
Peço desculpa pela frontalidade, mas isto é revoltante.

Espero que os meus colegas tenham tido muita sorte e que tudo tenha corrido pelo melhor.

Paulo disse...

Bom, já acabou. Finalmente!
Já fizemos os três exames e , verdade seja dita, correram-me muito melhor do que esperava. Espero que isso se reflicta nas notas. Mas também estou muito preocupado com a nota de portugues, que como a Soraia recordou, vale 40% como prova de ingresso, pelo menos para nós, que queremos seguir jornalismo.
Mas também posso utilizar o exame de história como especifica, se tiver melhor nota do que no de portugues.
Mas é de facto revoltante como uma prova de 2 horas vale quase tanto como três anos de trabalho e esforço.
É a vida