terça-feira, 9 de setembro de 2008

Regresso às Aulas


5 comentários:

Vasco PS disse...

Penso que esta imagem reflecte bem o sentimento que vive a maioria dos professores ao regressar à escola, a um novo ano lectivo.

A violência nas escolas portuguesas é um problema cada vez mais significativo. E mais uma vez, há quem tente desacreditar as afirmações de professores e alunos que todosos dias se confrontam com situações preocupantes para um país que quer continuar a construir um estado democrático sólido.

Por outro lado, não pude deixar de interpretar esta imagem de outra forma. Será que os professores chegam à escola para um ambiente de "guerra" com os seus alunos? Ou também com alguns dos seus colegas de profissão? Pelos vistos a avaliação tem dado origem ou agravado o ambiente nas salas de professores de norte a sul do país. Imaginem o que será ser avaliado por alguém pouco adequado ou até que não nos suporta ver nem pintados!

Pois é, pode parecer excessivo mas é uma triste realidade nas escolas portuguesas. Se os alunos já não acreditavam muito que os seus professores se dessem muito bem, as guerras com as alterações no sistema educativo não vieram a unir este grupo, mas a aumentar a competição negativa, as tentativas de superioridade e um ror de habilidades ginásticas que tentam mostrar a toda a comunidade escolar as capacidades (inexistentes) em alguns professores.

De momento, parece que todos querem ser o "professor perfeito". Pena que muitos destes docentes não se preocupem em educar alunos dedicados, cidadãos íntegros, nem nada que se pareça.

Espero que este não seja um regresso às aulas que suscite a intervenção da NATO em Portugal...é que esta parece ser uma guerra para durar. E triste é que no fim os bons caem sempre por terra...

Eduardo Vales disse...

Vasco, não sejamos tão pessimistas! Espero que em todo este processo da avaliação do desempenho dos docentes prevaleça o bom senso, quer dos avaliadores (como é o meu caso), quer dos avaliados (como também é o meu caso). Os professores têm que saber viver com esta situação nova e lutar para que este modelo de avaliação seja melhorado, retirando-lhe tudo aquilo que está errado e que é excessivo, para que seja mais equilibrado e exequível e os próprios alunos não venham, também, a ser prejudicados. Só para dar um exemplo, para poder observar aulas de colegas vou ter que faltar às minhas aulas muitas vezes! Isto não faz sentido, mesmo que a Escola assegure a minha substituição! Uma aula de substituição não é a mesma coisa que uma aula dada pelo professor da turma, pois não?

Vasco PS disse...

Eu creio que todos devemos ser avaliados. Mas pelo que tenho lido as famosas grelhas de avaliação são autênticas armadilhas...

Se um professor falta a sua aula para avaliar colegas, os alunos ficam prejudicados. E depois ainda vêm com lirismos como as aulas de substituição!

A avaliação tem de ser feita, mas muito bem pensada e elaborada. Por muita areia que nos atirem aos olhos, nós alunos bem sabemos que há muitos professores ansiosos por "queimar" colegas. Por serem professores, nunca deixam de ser humanos.

Mas espero que este seja um processo coerente. De qualquer das formas, estou prestes a mudar de ministério...

The American disse...

Olá professor! Antes de mais espero que tenha tido umas óptimas férias, apesar do curto prazo. Não pude vir aqui antes porque desde do dia 15 de Agosto que não tive internet. Cheguei anteontem de férias.
Relativamente a esta imagem acho sinceramente que ilustra muito bem o clima de tensão vivido agora nas escolas. O Vasco tem toda a razão, se cada vez assistimos mais ao aumento da violência nas escolas, a situação dos professores não está muito melhor. Todos querem passar a frente uns dos outros nem que tenham que pisá-los. É triste mas não ponho as culpas todas nos professores. Muita dessa culpa é das constantes reformas que se têm vindo a fazer. Relativamente à avaliação que irá ser feita do modo que o professor referiu, sinceramente, acho uma palhaçada porque se um dos parâmetros suponho que seja a assiduidade, o professor que vai avaliar estará também a faltar. Não tem lógica. Já pra não falar nas substituições. Tenho esperança que isto ainda mude a tempo de um "crash" no sector da educação.
Um bom começo do ano lectivo para si e para todos os professores competentes como o nosso professor de geografia.

Eduardo Vales disse...

Um bom ano lectivo também para ti, Ricardo, e que consigas entrar no curso mais pretendido.