quinta-feira, 17 de abril de 2008

"Os Retornados - Um Amor Nunca Se Esquece" de Júlio Magalhães


Hoje, segunda feira, 21 de Abril, pelas 12:15h (durante a aula de Geografia C), o jornalista Júlio Magalhães, fez a apresentação do seu livro "Os Retornados - Um Amor Nunca se Esquece". Trata-se de um romance que retrata o período conturbado da descolonização de Angola, assunto que foi abordado nas aulas de Geografia A e Geografia C.
De seguida é apresentada a sinopse do romance, que é editado pela Esfera de Livros.


Sinopse do livro:

Outubro, 1975. Quando o avião levantou voo deixando para trás a baía de Luanda, Carlos Jorge tentou a todo o custo controlar a emoção. Em Angola deixava um pedaço de terra e de vida. Acompanhado pela mulher e filhos, partia rumo ao desconhecido. A uma pátria que não era a sua. Joana não ficou indiferente ao drama dos passageiros que sobrelotavam o voo 233. O mais difícil da sua carreira como hospedeira. No meio de tanta tristeza, Joana não conseguia esquecer o olhar firme e decidido de Carlos Jorge. Não percebia porquê, mas aquele homem perturbava-a profundamente. Despertava-a para a dura realidade da descolonização portuguesa e para um novo sentimento que só viria a ser desvendado vinte anos mais tarde. Foram milhares os portugueses que entre 1974 e 1975 fizeram a maior ponte área de que há memória em Portugal. Em Angola, a luta pelo poder dos movimentos independentistas espalhou o terror e a morte por um país outrora considerado a jóia do império português. Naquela espiral de violência, não havia outra solução senão abandonar tudo: emprego, casa, terras, fábricas e amigos de uma vida

Para mais informações sobre o livro e o autor, aconselho a leitura de um artigo do jornal Correio da Manhã que inclui uma entrevista ao autor e um excerto da obra.
Gostaram da sessão de apresentação do livro?

4 comentários:

Vasco PS disse...

Foi uma óptima sessão, a desta manhã. A exposição do livro foi sucinta e clara.
O facto de Júlio Magalhães nos ter falado um pouco da sua vida profissional foi excelente.
Quanto aos seus conselhos foram igualmente muito bons, sobretudo para quem quer seguir Jornalismo. Realmente, o domínio da nossa língua é essencial, não se trata somente de uma questão de ter ou não uma disciplina, de ter ou não boa nota, boa média. Fiquei satisfeito com esta análise do orador; pelos vistos ainda há quem dê valor ao que realmente é importante nunca carreira profissional como a de jornalista.
Sou céptico em alguns pontos; continuo a acreditar (e cada vez mais) que o famoso "factor C" domina quando o tema é a selecção de novos jornalistas. Mantenho, no entanto, a minha fé naqueles que pelo seu esforço e amor à camisola (futura camisola, espero), consigam atingir os seus objectivos profissionais.
Quanto aos restantes, os que vivem na ilusão de "aparecer", serem famosos, e que não têm sequer noção do que é o Jornalismo, espero que não tirem lugar aos vocacionados. Nem aí, nem em nenhuma das restantes áreas.

Soraia disse...

De facto, uma óptima apresentação.Júlio Magalhães é sem dúvida um grande comunicador. E devo dizer que após a sessão fiquei com vontade de ler o livro que lançou recentemente.
Concordo plenamente com o Vasco, quando ele afirma que o factor "C" é determinante, no entanto penso que isso aplica a todas as profissões, não só ao jornalismo. Mas nós somos o futuro e cabe-nos a nós lutar para mudar essa situação.

Rute Cruz disse...

A apresentação foi muito bem conseguida. Eu adorei. Apreciei sobretudo a atitude humilde transmitida por Júlio Magalhães, quando falava do seu livro e da sua história de vida, pois na verdade passou pela situação que o seu próprio livro mais destaca e tenta explicar. Este facto, dele próprio já ter vivido na pele, a situação pela qual passaram todos os portugueses residentes em Angola naquela época, ainda tornou a apresentação mais interessante. Fiquei com muito boa impressão deste fantástico comunicador, de maneira que no fim até lhe fui pedir um autógrafo. Acredito na Soraia quando referiu estar cheia de vontade de ler o livro, pois eu também partilho da mesma vontade.

Paulo disse...

Fico muito contente pelo facto dos meus amigos terem apreciado tanto a palestra, já que foi o meu grupo de AP que organizou este colóquio. Eu também gostei muito. Acho que os conselhos do Júlio Magalhães foram muito bons e sensatos, principalmente para mim que espero vir um dia a ser jornalista. Aliás, algumas das suas frases ficaram-me na mente, e gostei de saber que nem toda a gente consegue aquilo que quer graças ao "factor C", apesar de ganhar uma importância cada vez maior.
Além disso, pareceu-me uma óptima pessoa, muito simpático e comunicativo. É sempre importante ouvir o testemunho de alguém que sabe o que faz e faz aquilo que eu gostaria de fazer.