quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Palestra: "A Pobreza na Cidade do Porto"

Hoje realizou-se na Escola uma Palestra subordinada ao tema "A Pobreza na Cidade do Porto" apresentada pelo Padre Lino Maia presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e que foi direccionada para os alunos de Geografia A do 11º I e do 11ºJ.

Gostaria que os alunos que participaram na palestra dessem o seu testemunho sobre o modo como viram esta actividade. Gostaram? Em que medida foi importante para a vossa formação pessoal e para o conhecimento das situações de pobreza na cidade do Porto e em Portugal?

30 comentários:

Anónimo disse...

Eu sei que deveria utilizar este blog, mais concretamente este post para comentar como foi a palestra, mas tenho que deixar aqui certas coisas que ja deveriam ter sido ditas á algum tempo.
Este comentario é dirigido para si professor!

Muitos dos seus alunos estao bastate indignados e desiludidos consigo. O professor diz que anda cansado e um pouco farto, mas os seus alunos é que andam a ficar fustrados.
Acho, e nao é apenas a minha opiniao, que o professor devia repensar bem a forma em como aborda certos assuntos, e que tente nao discriminar, nao sei se esta é a palavra correcta, mas nao defender sempre alguns alunos, que sao os seus protegidos, porque cada um é como é, e nao temos que ser todos como o professor quer, ou que desejava que fossemos todos meninos de 20, uns paus mandados!
Espero que saiba aceitar uma critica.

Eduardo Vales disse...

Relativamente ao comentário anónimo anterior, gostava de dizer o seguinte:

1º - Nunca tive qualquer tipo de problemas em aceitar as críticas que as outras pessoas me fizeram ao longo da minha carreira profissional, especialmente aquelas que são feitas pelos meus alunos. Aliás, sempre acreditei que a crítica construtiva, o diálogo construtivo, a partilha de ideias e de pontos de vista diferentes ajudam-nos a evoluir como profissionais e como pessoas. Não devemos fugir às críticas e temos que ter consciência que ninguém é perfeito e que todos podemos e devemos procurar ser melhores, corrigindo os erros que cometemos e trabalhando cada vez melhor para potencializarmos as nossas capacidades. Procurei sempre partilhar estas ideias com os meus alunos, porque acredito sinceramente nelas.

2º - As críticas são bem vindas, mas devem ser feitas de uma forma muito clara, objectiva, no lugar e no momento certo, sem medos e assumidas por quem as faz e não de uma forma anónima. Sentir-me-ia muito mal se, de facto, um ou mais alunos meus tivessem qualquer tipo de receio em fazer-me uma crítica de uma forma assumida e frontal. Não deveria ser necessário recorrer ao anonimato se estamos seguros daquilo que pensamos. Não há que temer qualquer represália. Vivemos em democracia e em liberdade já há quase 35 anos e, naturalmente, não temos que ter receio de assumir as nossas posições e críticas, desde que estas sejam feitas com o devido respeito pela pessoa criticada. Quem recebe uma crítica construtiva pode até nem concordar com ela, mas tem a obrigação de a ouvir. E este vosso humilde professor nunca foi, nem nunca será, uma pessoa vingativa.

3º - Teria preferido que as críticas que me são feitas neste comentário anónimo tivessem sido feitas noutro espaço que não o do blogue e, muito menos relativamente a um “post” que não tinha qualquer relação com o assunto. Havia outras formas mais adequadas e específicas de apresentar as críticas, como a sala de aula ou qualquer outro espaço físico dentro ou fora do recinto escolar. Utilizar o blogue para tornar públicas estas críticas, e, ainda por cima, sob a capa do anonimato, não me parece correcto, nem muito leal da parte de quem as faz. Posso estar enganado, mas dá a impressão que teve como objectivo ser mais do que uma simples crítica. Parece-me que quem o fez quis que este assunto fosse o mais público possível, o que me entristece profundamente.

4º - Quanto ao conteúdo do comentário, fico muito triste por saber que, de acordo com a opinião do anónimo, há alunos que estão "frustrados", "indignados" e "desiludidos" comigo e que consideram que eu discrimino alunos, que defendo sempre alguns alunos, que são os meus protegidos. São críticas muito duras que, sinceramente, não me parecem justas, mas que registo. Se há assunto que me incomoda enquanto professor é ser acusado de qualquer tipo de injustiça ou de discriminação em relação a qualquer aluno meu. Procuro fazer sempre o meu melhor por todos os meus alunos, independentemente das classificações alcançadas por estes. Reconheço que sou exigente com os alunos, porque também sou muito exigente comigo próprio. Reconheço que gosto de elogiar o esforço e o empenho dos alunos, pois acho fundamental reforçar positivamente o seu mérito. Também reconheço que, frequentemente, pressiono alguns alunos no sentido de estes trabalharem mais, de melhorarem os seus resultados, o seu comportamento, a sua pontualidade e assiduidade, porque acredito que todos podemos e devemos ser melhores e que a maior parte das pessoas só com muito trabalho, esforço, dedicação, sacrifício e disciplina consegue alguma coisa da vida. São valores que me foram transmitidos em pequeno, pela minha família e pela Escola, e em que eu acredito e que gosto de partilhar com os meus alunos. Tenho pena que nem sempre seja bem compreendido.

5º - Não gosto nem nunca gostei de "paus mandados" e sempre procurei orientar os meus alunos no sentido de serem autónomos e assertivos e não se deixarem influenciar facilmente pelos outros.

6º- É referido, ainda no comentário do anónimo, que eu devia repensar a forma como abordo certos assuntos. Gostaria de saber ao certo que assuntos são esses a que se refere o comentário. Devemos ser mais objectivos de forma a não deixar qualquer tipo de dúvidas no ar.

7º- Para terminar, gostaria de dizer que gosto muito de ser professor, ainda que seja cada vez mais difícil ser-se professor, por todas as razões que toda a gente conhece. Independentemente de todas as dificuldades que são colocadas hoje em dia ao trabalho dos professores, há uma coisa que eu gostaria de dizer: a maior gratificação que um professor pode receber é o reconhecimento da qualidade do seu trabalho por parte dos seus alunos. É por vocês que ainda vale a pena ser professor. Tudo farei para merecer o vosso reconhecimento.

Professor Eduardo Vales

Shukran disse...

Desculpem desde ja a entrada neste comentário, nem sei se me deveria meter, mas creio que deve de haver opiniões diferentes e digo desde já que fiquei ESTUPIDO ao ver o comentário desde aluno(a) ou grupo de alunos referido como anónimo.

Em primeiro lugar este anónimo não sabe avaliar o potencial nem o profissionalismo de ninguém.
Se há professor competente e bastante profissional que já passou por mim nos últimos anos foi o Professor Eduardo Vales. E não me interessa que venham com comentários ainda mais infantis que este com a celebre ideia do "dar graxa". Eu não preciso de dar graxa porque eu sei avaliar quando um pessoa se esforça a um nível profissional como o nosso professor se esforça, que cria espaços como este para criar maior interacção com os alunos.

Acho que também relativamente aos comentário de " paus mandados" o professor se incentiva os alunos é para que estes consigam ter melhores rendimentos. Tirar boas notas nunca matou ninguém e acho que todos se deveriam esforçar para as conseguir e com a ajuda deste professor só não consegue quem não quer.

Posso não ser exemplo para ninguém se calhar muitos que vão ler nem me conhecem mas a vida já me ensinou a saber avaliar as coisas. E antes de fazermos comentários imorais, sem fundamento e com criticas nada objectivas, devemos fazer um introspecção e talvez pensar no que a pessoa criticada já fez e continua a fazer por nos.
Espero nao ser mal interpretado pelos leitores deste blog mas achei necessario fazer este comentario porque neste momento devemo-nos preocupar mais com o nosso desempenho e no nosso futuro do que o dos professores.
"Espero que saiba aceitar uma critica"

Cumps
Ivo Pereira

Mariana Magalhães disse...

Peço desculpa por estar a comentar esta situação, mas devo dizer que a minha reaçcão ao comentário anónimo foi bastante semelhante à do Ivo. Fiquei chocada com o que li.
Primeiro penso que criticar o Professor desta forma, publicamente no blog, demonstra falta de carácter e, segundo, o Professor é um óptimo profissional, muito dedicado a todos os seus alunos ao contrário do que o comentário anónimo refere.
Penso também que quando não se concorda com algo, o ideal é ser-se frontal e dizer o que se pensa na altura.
Há sempre uma altura propícia para apresentar críticas, quer estas sejam positivas ou negativas.
Penso que o comentário foi uma falta de consideração pelo Professor porque, em primeiro lugar, não se encontra assinado, é completamente anónimo e sem identidade, e em segundo lugar, por ter sido colocado no blog que é uma própria demonstração da grande dedicação do Professor aos alunos.
Não sei de que situação específica fala o comentário anónimo mas se o professor elogia alguns alunos é porque esses mesmos alunos merecem o elogio. Não creio que o Professor fosse elogiar alguém que não merecesse.
Penso que o Professor não negligencia os restantes alunos, até pelo contrário, sendo aluna do Professor, vejo que o Professor tenta, sempre que possível, incentivar todos os alunos a melhorar as classificações e os seus vários parâmetros de avaliação.
Logo, creio que o comentário anónimo não faz qualquer sentido e mostra falta de coragem, pela falta de identificação.
Para terminar, quero só deixar uma pequena mensagem ao Professor: O Senhor Professor faz um óptimo trabalho, as suas aulas são excelentes, e eu não tenho qualquer razão de queixa porque sei que o Professor é muito dedicado e também muito justo para com todos os seus alunos.
Mais uma vez, peço desculpa pela invasão, mas não conseguir deixar de comentar...

Mariana Magalhães
12ºH nº22

Vitor Coelho disse...

Peço também desculpa por me intrometer, mas quem conhece o professor, e vem fazer uma visita ao blogue do professor e encontra críticas como aquelas dirigidas a uma pessoa com um elevado valor humanístico...Não me parece correcto.
Porém há que respeitar opiniões sejam elas do nosso agrado ou não.

Eu não me considero um protegido do professor, sendo eu talvez a pessoa que ele mais tem protegido nos últimos tempos.
Um aluno com média de 10 e não de 20 a ser protegido? Parece que vai contra o que vocês pensam...
Mudando um pouco de opinião acho que todos somos protegidos do professor, visto que nunca o vi mandar ninguém dar uma curva ou ignorar qualquer problema que fosse.
Já tive em risco de ser suspenso talvez mais que uma vez e não fui porque o professor pôs a sua pele em causa.
Por isso e por outras mais coisas, acho que o professor é merecedor de respeito, de lealdade e acima de tudo uma relação de amizade com os seus alunos!
Agora não sei bem se o que tens é mimo a mais, ou queres te afirmar ou seja lá o que for...É a tua opinião...Mas não tens razão...
E esse grupo de alunos que se sente inferiorizado, não se façam de mártires ... Não têm razão para isso...Não têm aulas com o professor? Falem !

Bom deixando este assunto um pouco de lado.

Gostei da palestra, não tanto como a outra que tivemos da outra vez mas sim, gostei.
Acho que falou-se de um assunto do qual é urgente encontrar uma solução...
Pobreza e miséria deste tamanho num país considerado desenvolvido e membro da União Europeia parece um pouco mal...
Só de saber que há mães capazes de deixar filhos sozinhos desde a manhã há noite ... É arrepiante...
Depois queixam-se de criminalidade...Miúdos que são criados nas ruas...Sem presença da mãe ou do pai...
Que fazer?
Não se consegue mudar a mentalidade de mães negligentes...

Anónimo disse...

Olá! Também não sei se deveria estar a comentar isto mas não consegui ficar indiferente ao que li.

Discordo plenamente com o que o anónimo disse.
Primeiro, penso que se o anónimo tinha uma critíca a fazer deveria tê la feito de outra forma, a melhor forma seria falar com o professor pessoalmente e não publicar isto no blog.

Segundo, no meu percursso escolar nunca tive um professor que incentivasse tantos os alunos a estudar, que nos fizesse compreender o quão é importante tentarmos lutar sempre por mais e por melhores resultados.

Claro que não podemos ser todos alunos de 20 mas também não é isso que o professor nos pede, o professor pede-nos sim para tentarmos dar o nosso melhor e lutarmos pelo nosso futuro.

Não acham que isto deve ser valorizado? é claro que sim, atitudes destas só demonstram o profissionalismo e a qualidade de um professor.

Tenho a certeza que a grande maioria dos alunos do professor Eduardo Vales concordam comigo.

Não estou a dizer isto para "dar graxa" como diz o Ivo, mas sim para expressar a minha opiniãõ, aliás é para isso que o blog serve.

Professor continue assim , profissional e acima de tudo um bom professor.

Andreia Macedo 12ºH

MariaCosta disse...

Concordo que críticas podem e devem ser feitas, por alguma razão foi implementada a liberdade de expressão.
Eu própria as ouço, acho que todos ao longo da sua vida as ouvem, ou pelo menos deviam de as ouvir, porque uma crítica construtiva, e sublinho "construtiva", não só nos abre os olhos para aspectos que ás vezes nos passam despercebidos, como também nos ajudam a melhorar e a crescer.
Eu sei que o professor criou este blog para melhorar a participação dos alunos, e não para um confronto verbal, mas visto que isso foi, digamos, esquecido uma vez, não resisti em comentar.
Paralelamente ao que foi dito pelos meus colegas anteriormente, não concordo com as críticas que aqui foram atribuídas ao professor, e muito menos concordo com o facto de ser anónimo. Em relação ao que pensam de uma determinada pessoa, não comento, porque isso vem da opinião de cada um, mas o facto de ser anónimo traz ainda menos credibilidade ao que foi dito. Aconselho a um diálogo calmamente conduzido, na presença do professor.
E sem querer dar "graxa": Acho o professor um excelente profissional, o que se encaixa perfeitamente na resposta que deu.

ClaudiaSilva disse...

Já que este post do professor foi feito em vão e que todos os comentários estão direccionados para o acto que um ou vários alunos decidiram fazer acerca do prof vou aproveitar e dar também a minha opinião.
Como já toda a gente sabe ninguém é perfeito, nem jesus agradou a toda a gente não iria ser este professor que iria agradar. No entanto, tenho a verificar que este aluno só pode ser daquele tipo de aluno que está 90min numa aula para não ter falta, porque não tem mais nada para fazer, ou que por simplesmente nesse dia estava de mau humor e deu-lhe para criticar as pessoas pela negativa. Acerca do que esse “anómimo” disse estou completamente em desacordo e parece que não sou a única. Pode por vezes este prof. Não demonstrar ser o professor ideal mas foi sempre presente que nunca tomou um acto de discriminação, nem fez alguns alunos dos seus protegidos. Pelo menos eu estando presente.
Essa parte de “fossemos todos meninos de 20, uns paus mandados” não vejo nenhum mal na parte do 20, porque não um professor querer o melhor para o seu aluno? Porque não ele querer que nós sejamos alguém no futuro? Que mal tem alguém pensar no nosso futuro? Alguém mais experiente e que sabe que a vida não é um mar de rosas.
Eu digo sinceramente agrada-me o facto deste professor ter posto uma meta de 14 na minha turma. Penso que assim estamos a trabalhar um pouco em conjunto para conseguir essa meta que pode ou não ser obtida e que se for é uma mais valia para nós, somos nós que saimos benificiados no futuro.
Sinceramente esse comentário anónimo foi de alguém que não faz mais nada na vida.
Agora dirigido a ti, anónimo:
Se queres ser alguém na vida, não vás por aí, por criticar os outros quando essencialmente não tens mais nada para fazer, para a próxima faz um comentário mais construtivo e dirigido ao tema que é falado, porque se tens algum mal contra o prof. Eduardo diz-lhe numa aula quando tiveres com ele frente a frente e não por comentários sem argumentos aparentes. Se queres que o professor mude apesar de ele estar bem, acho que não é com estes comentários principalmente anónimos que vais conseguir alguma coisa.
Só um ultimo aspecto, quando te referes a “muitos dos seus alunos”, faz primeiro um questionário, elabora gráficos como prova que é mesmo muitos porque parece que nestes comentários que tem surgido não estás em vantagem.

Peço desculpa ao professor por não ter comentado o tema do post mas há coisas que uma pessoa observa e não consegue ficar indiferente.

Anónimo disse...

Realmente todos os comentários têm passado por criticar ou dar opiniâo sobre o comentário de um tal anónimo, mas nao é disso que este post nos fala por isso vamos deixar esse assunto de parte!

A palestra foi bastante alusiva i foi abordada de uma forma em que os alunos nao achassem "seca" logo no inicio, apesar do tema nao ser para ser de "seca".
Abordou uma realidade muito presente no porto, e que secalhar muitas pessoas ainda nao se aperceberam disso.

*tenho pena que alunos do 11º I nao venham comentar o blog, pois nao dao motivo para outros fazerem abordagem aos seus comentarios.

NUNO SOARES 11ºI

Cátia Cunha disse...

Antes de mais, relativamente à palestra, devo dizer que gostei imenso. Apesar eu não me considerar uma pessoa nada religiosa - aliás, confesso que tenho más experiências no que toca a contactos com padres - o Padre Lino Maia revelou-se uma agradável excepção. Ainda que não estivesse na nossa escola propriamente para "Pregar aos peixes", não deixou totalmente de lado a sua profissão, dando de vez em quando uns palpites que remetiam à religião, mas de uma forma tão subtil e terra-a-terra, que era impossível não o ter em boa conta.
No fundo, foi essa a ideia com que fiquei do convidado, que era uma pessoa muito humana, que sabia lidar com as pessoas, que estava habituado a ver situações de vida tão negras e mesmo assim, conseguia manter um lado positivo.
O tema da palestra foi de grande importância para nós, como habitantes do Porto e como cidadãos, pois no que toca à pobreza, há sempre qualquer coisa, por mais pequena que seja, que podemos fazer para melhorar a situação.
Tal como o padre Lino Maia disse, por vezes é a maior pobreza de todas é a falta de esperança, e é essa pobreza que todos devemos tentar combater ao máximo. A esperança, assim como o sonho, comanda de facto a vida.

Não poderia, contudo, terminar este comentário sem também eu me pronunciar sobre a crítica feita ao professor neste blog.
Antes de mais, o que é que ser um aluno de 20 tem que ver com ser-se "um pau mandado"? Todos os alunos de 20 que conheci na vida eram tudo menos isso, possuindo todos grandes personalidades e capacidades de decisão e juízo próprios.
Segundo, e o mais importante, como aluna do professor há quase 5 anos, posso dizer que é tudo menos injusto em relação aos alunos. Nunca o vi descriminar quem quer que fosse, muito pelo contrário, sempre nos apoiou, sempre tentou ver os dois lados de cada história, sempre nos deu todo o aconselhamento possível. De todos os antigos alunos do professor que conheço, nenhum se queixou - pelo contrário, todos eles guardavam boas recordações das suas aulas e, acima de todo, dos seus conselhos, aqueles que não se prendiam com a matéria propriamente dita, mas com a componente humana que faz parte de ser-se professor.
Uma crítica? Não, este comentário foi mais uma acusação mal estruturada, que para além de não apresentar argumentos concretos, situações concretas, ainda perde mais credibilidade pelo facto de ser anónimo. Se realmente tem algo a criticar, o mínimo que se espera é que assuma responsabilidade por isso.
Peço desculpa pelo aparte.

Mara disse...

Eu que por vezes tem por hábito fazer longos comentários, após ler o primeiro só tenho a dizer uma coisa:

ABSURDO !

Cátia Teixeira disse...

Quando soube da existência deste post anónimo tive a necessidade de vir dar a minha opinião porque todos os que são alunos do professor Eduardo Vales são capazes de ver que isto não passa apenas de uma forma de atingir o professor e deitar abaixo o seu trabalho.
Foi uma cobardia, da parte da pessoa que o fez, não deixar a sua identificação só salienta que não sabe o que realmente é uma critica! Porque sejam elas positivas ou negativas o professor sempre as ouve, é uma forma de aprendermos e tornarmo-nos em melhores pessoas!
Fiquei extremamente revoltada com a parte que diz "que tente não discriminar" , o professor Eduardo NÃO DISCRIMINA NINGUÉM! Apenas elogia o trabalho de quem merece. Eu nao tenho as melhores notas e o professor não me discrimina incentiva-me a continuar e a lutar por melhores resultados.
É notável o esforço e dedicação do professor nas suas aulas ! Sempre dá o melhor para que todos os alunos entendam as matérias.

Professor não se deixe entristecer por este tipo de comentários porque o seu profissionalismo, dedicação e paixão é mais que obvio.

Cátia Teixeira 12ºH

Cátia Teixeira disse...

Antes de mais agredeço ao professor por ter avisado o nosso grupo de que haveria uma palestra que ajudaria no decorrer do nosso trabalho de área de projecto.
Achei que a palestra foi bastante interessante.
O Padre Lino Maia deixou bem claras as dificuldades presentes na cidade do Porto e como poderiamos ajudar nas suas resoluções.
A maioria da população prefere "apagar" da sua mente a existência de pessoas com dificuldades inferiores às suas.
Quando me refiro a dificuldades não me refiro somente a económicas, pois como o Padre Lino Maia disse a maioria destas pessoas tem uma fraca formação (havendo evidentemente excepções).
Como foi referido na palestra o maior condicionalismo destas pessoas é talvez o facto de já nascerem neste meio (toxicodepência, prostituição, etc..) Não lhes são dados nenhuns valores que possam fazer com que se evidênciem como pessoas.
Achei o Padre Lino Maia uma pessoa bastante sensata e humana. Porque apesar de lidar com estes problemas no seu dia-a-dia é realmente importante divulgar a sua luta contra estes probemas numa tentativa de melhoria da sociedade em que vivemos.

Telmo Conceição disse...

Eu quando entrei neste post e vi 13 comentarios, bem , é porque de facto os alunos tinham adorado a palestra. Mas depois comecei a ler os comentários dos outros e verifiquei que algo estava errado...

O "Anónimo" tem uma mentalidade de criança. Na minha opinião ele esta é com inveja dos que tiram 20 valores e depois diz que o professor protege esses alunos...
Só faltava dizer que o professor é obrigado a dar 20 a esses alunos...

Isto é completamente absurdo, visto que:
- o professor Eduardo Vales é uma excelente pessoa, como pessoa e professor;
- Ao contrário do que o Anónimo disse, o Prof. está sempre disposto em ajudar os alunos, a dar conselhos e até nos avisa quando estamos perto de atingir o limite de faltas;
- Gosto como este professor dá as aulas , a maneira como explica as matérias e ainda nos dá variadíssimos apontamentos;

Obs: Professor não se deixe ir abaixo por causa de um comentário , que nem se quer interessa ao menino Jesus !

Relativamente á palestra...

Gostei muito desta palestra, gostei como o Padre Lino Maia abordou o assunto ( pobreza na cidade do Porto )
Este apresentou medidas o que tornou a palestra bastante interessante.

Telmo Conceição
11ºI

marina vieira disse...

boa noite...eu chamo-me marina e sou da turma 11ºI estou-me a intrometer neste assunto devido a certas coisas pernunciadas que são mentira... nunca na vida pensei tal coisa de um professor, porque apesar de não ser tão boa aluna como desejava, sei perfeitamente que o professor Eduardo Vales sempre fez de tudo para o bem dos seus alunos sem nunca os prejudicar... E lamento que pessoas tão ignorantes e mentirosas digam tais coisas de uma pessoa que não as merece ouvir... se essa pessoa se sente tão incomodada com essa tal " discriminação" que no meu ponto de vista não existe então deveria de ser frontal e saber criticar na cara e não resolvendo fazê-lo em anónimo num blog feito para os alunos comentarem e não para este tipo de coisas que eu acho que são infantis e imaturas...
e esse se sente tão mal pelas notas que tem então devia de estudar mais para conseguir chegar a um nível mais elevado ou então que se cale e deixe que as pessoas que se fartam de estudar que sejam elogiadas conforme merecem porque trabalham para isso... qualquer pessoa pode conseguir notas altas desde que se esforce para isso...e mais deve-se falar sempre em singular e não em plural porque devias de falar por ti e não pela turma toda... com isto termino a minha opinião... ate uma próxima

Djalme disse...

Em relação à palestra dirigida pelo Padre Lino Maia tenho a dizer que foi de todo gratificante ter alguém como ele presente na nossa escola,visto que é uma pessoa pura e sem dúvida muito humana que tem preocupações com o outro.
Esta palestra foi muito informativa e acima de tudo útil para nós enquanto cidadãos e adolescentes.
Com isto, fiquei a saber que mesmo não tendo idade para praticar voluntariado por exemplo em hospitais, posso dirigir-me até uma instituição por exemplo de idosos e ajudar no que for necessário desde ensiná-los a funcionarem com computadores até mesmo ouvir as histórias da vida desles... Outra coisa que aprendi (entre muitas) é que pessoas que vivem em ambientes "pouco saudáveis" (toxicodependência, prostituição, etc) podem vir a ser instruídos e serem grandes cidadãos! O facto de serem pobres tanto em habilitações como nível económico e habitarem em bairros socias degradados , podem ser, sem dúvidas, cidadãos com cargos responsáveis profissionalmente.
Avalio esta palestra positivamente desde o ício até ao fim. Desde os docentes até aos alunos demonstraram interesse. O que podia ter sido melhor foi a intereecção entre o padre Maia e os discentes, dado que ele iria gostar imenso de dialogar com os alunos...

Djalme Lopes, 11ºJ

Djalme disse...

É de importância referir que o padre Lino Maia falou num programa da RTP2, ontem, sobre o assunto proferido na sexta-feira...

Anónimo disse...

Gostei muito da palestra que o professor Eduardo Alves nos proporcionou. Achei que o padre Lino Maia é das poucas pessoas que se preocupa por estes problemas que estão presentes na nossa sociedade. Dou os parabéns ao Padre Lino pleo trabalho que têm feito pelas familias mais carênciadas dá cidade do Porto

miguel 11J

Vicent Russell disse...

Há já algum tempo acompanho, silenciosamente, este blog, no qual destaco, com prazer, a actualidade noticiosa, pela qual o mesmo se debate, bem como outros temas bastante acutilantes e prementes.

Permitam-me, hoje, uma moderna forma de homenagem, à míngua de outras formas bem mais próximas, que a celeridade do mundo de hoje trata de diluir. Sou um antigo aluno do Professor Eduardo Vales, de nome Fábio Ribeiro (irmão do Filipe Ribeiro, aluno do 12.º H, o qual me apresentou este blog que regularmente leio) e cumpre-me afirmar, perante todos os leitores, deste espaço o profissionalismo, competência pedagógica e genuíno saber do meu eterno Professor Eduardo Vales, que indubitavelmente elejo como um dos meus melhores professores e, notem, que sou bastante exigente.

Sempre me caracterizei por alguma irreverência e posicionamento crítico nas aulas e, só com algum esforço e empenho, consegui atingir resultados interessantes na disciplina de Geografia. Nunca notei no Professor qualquer preferência por algum aluno, qualquer cuidado especial que não o dedicado a todos, consoante a específica necessidade de um concreto aluno. As críticas e discordâncias, se bem fundadas e movidas pela ideia de progresso, têm de ser afirmadas perante os seus actores, sob pena de, existindo, nunca serem corrigidas – fica a nota pedagógica.

Por último, um humilde reforço de alento para o professor: continue o seu muito bom trabalho, pois eu sinto-me positivamente influenciado pelos seus ensinamentos, não apenas geográficos, também gramaticais e, até, muito humanos (num dimensão de cidadania).

Com saudades dos passeios do saudoso “Clube do Ar Livre”,
Um abraço de Fábio Ribeiro.

Eduardo Vales disse...

Era só para agradecer a todos os alunos que se mostraram solidários comigo, quer nas salas de aula, quer através dos comentários escritos neste blogue. É muito bom e gratificante saber que ainda há muitos alunos que nos valorizam e que reconhecem o nosso trabalho e dedicação profissional. A todos quero dizer MUITO OBRIGADO e acima de tudo que continuem a comentar este blogue, não só porque me dá muito gozo pessoal e profissional mas, também, porque ele foi feito para vocês. Os vossos comentários valorizam e enriquecem o blogue e, também, ajudam-vos a desenvolver a vossa expressão escrita e a capacidade de argumentação.

Eduardo Vales disse...

Olá Fábio!

Bem-vindo ao blogue "Um Mundo Global"! Os meus ex-alunos são sempre bem-vindos e estão sempre no meu coração. Não sabia que acompanhavas regularmente este blogue e muito menos que o Filipe era teu irmão!

Já agora, o que é feito de ti? O que é que fazes na vida?

Já vi que também tens um blogue!

Também agradeço-te profundamente pela tua palavra amiga e solidária.

Gostaria que, sempre que quiseres e puderes, participasses no blogue e deixasses os teus comentários. Há outros ex-alunos que também, de vez em quando, passam por aqui e deixam as suas reflexões.

Até um dia destes Fábio. Um abraço amigo.

cristiana martins disse...

Acho que os meus colegas já disseram tudo o que havia para dizer. mas reforço..

Acho que fazer uma critica em anónimo é um acto de pura cobardia por parte do(a) aluno(a), pois não tem coragem de dizer frontalmente e pessoalmente o que pensa ao próprio professor.
Se algo não esta bem (na opinião dele) e se se sente indignado e discriminado deveria falar pessoalmente com o professor, não era vir fazer um comentário em anonimo. O anonimato só mostra que não tem coragem de dizer às pessoas o que pensa.

Na minha opinião, o professor Eduardo Vales não DISCRIMINA NINGUÉM. É um optimo professor, competente e um excelente profissional, bastante dedicado aos seus alunos, incentivando-os a para estes terem melhores notas/resultados.
Apesar de ser meu professor apenas há 6 meses já deu para perceber que além de ser um excelente profissional também é uma excelente pessoa.

Espero que o stor não se deixe ir abaixo com aomentários que são de uma completa infantilidade, e que continue a ser o profissional que é.

Cristiana Martins, 12ºH

Anónimo disse...

professor Eduardo Vales venho lhe comunicar que sou o responsável pelo comentário anónimo que tanto lhe desagradou... mas não tive coragem para ser directo e conseguir dizer-lhe frente a frente o que sentia respectivamente ao seu trabalho como professor e às maneira como lida com os alunos... lamento muito ser criança e colocar-lhe nesta posição...acho que tenho de crescer muito e ser mais maturo e saber respeitar o seu trabalho... lamento imenso pelo sucedido... lamento mesmo muito....



Alexandre Ferreira 11ºI nº1

Anónimo disse...

Boa tarde!!

Venho aqui falar sobre o suposto facto de o Alexandre ter assumido ter sido ele a fazer o comentário anónimo.

Embora não saiba quem tenha sido, sei perfeitamente que NÃO FOI O ALEXANDRE!! Sou amigo dele ha algum tempo e se ele me diz que não foi ele, eu acredito.

Como sabem, é facil comentar o blogue, mesmo não tendo uma conta Google. Qualquer pessoa pode comentar este blogue, e fazer o que alguém fez, que foi utilizar o nome de outra pessoa!!

Entendo que esta situação esteja a ser bastante embaraçosa para todos, mas agora é bastante embaraçosa, principalmente para o Alexandre, que nada tem a ver com o sucedido.

Quis so desfazer este mal-entendido, pois não suporto que gozem com os meus amigos.

Alexandre Moreira nº2 11ºI

Anónimo disse...

Joao Garcez 11I

Achei a palestra muito interessante, visto que o tema era " a pobreza na cidade do porto " um assunto que a todos nos diz respeito, ( a pobreza ) ainda por cima na nossa cidade!
Gostei da maneira como o padre Lino Maia a apresentou, cativando os alunos a participar na mesma, o que a torna ainda mais interessante!

Fugindo um pouco ao tema, quanto ao comentario anonimo que foi publicado aqui acho que o professor nao devia levar este "tipo de comentarios" tao a peito, visto que a maioria dos seus alunos nao concorda com o que la foi dito, a pessoa que o escreveu nao tem mesmo consciencia do que diz, fala nos alunos de 20.. que sao os protegidos etc.. sinceramente tenho pena da pessoa que o escreveu, nao so pela mentalidade de criança que tem mas tambem pela inveja que tem por esses alunos! Nao concordo de maneira nenhuma com o comentario ate porque o professor, como referiu anteriormente, pressiona os seus alunos para que estes se esforçem mais e estes nao sao alunos de 20, mas a pressao e feita para que estes consigam obter melhores resultados porque o professor acredita nas capacidades dos seues alunos sabendo que estes sao capazes de fazer melhor, obter melhores resultados com esforço!
Apareceu um comentario a dizer que tinha sido o alexandre, depois que ja nao tinha, nao sei quem foi mas este tipo de comentarios envergonham toda a turma.
Professor' acho que deve continuar a dar as suas aulas da mesma maneira que tem dado ate agora, reconheço que tem sido um optimo trabalho e espero que nao mude por causa de um comentario estupido, sem sentido.
Um abraço Garcez

Nuneinho disse...

Tenho muita pena que o motivo que me trouxe aqui seja um motivo tao triste, um motivo que me deixa completamente destroçado.
Sim, estou a falar do facto do Alexandre Ferreira ter vindo aqui publicamente assumir que foi ele que fez o comentário anónimo a criticar o professor ou a sua maneira de lidar com certas coisas.
Sinceramente, Alexandre Ferreira NUNCA MAS NUNCA PENSEI QUE FOSSES CAPAZ DE FAZER UMA COISA DESTAS, sempre pensei que fosses capaz de dizer as coisas directamente i sem medos cara a cara com o professor. Estou realmente muito triste i muito desiludido contigo Alexandre, partiste.me o coraçao ao fazeres uma coisa destas deixaste.me sem vontade nenhuma de sequer olhar para a tua cara, nao consigo sequer imaginar como vai ser lidar contigo amanha na escola. :(

BAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH
POR AMOR DE DEUS
ESTOU COMPLETAMENTE NO GOZO.
COMO É POSSIVEL ALGUEM SER INGÉNUO AO PONTO DE ACHAR QUE O ALEXANDRE FERREIRA FOSSE FAZER UMA COISA DESTAS, I DEPOIS VINHA.SE ASSUMIR DE UMA FORMA TAO PARVA, TAO ESTUPIDA, TAO COMPLETAMENTE ILARIANTE! XD
I PELA FORMA COMO O COMENTÁRIO É FEITO VE.SE MESMO QUE É OUTRO ALGUEM A FALAR DO ALEXANDRE.
I ESSE ALGUEM FICOU COMPLETAMENTE LIXADO(é so para nao dizer outra palavra) POR NAO TER CONSEGUIDO DEITAR AS CULPAS PARA CIMA DOS OUTROS E PRONTO TINHA DE ARRANJAR OUTRA MANEIRA DE LIXAR ALGUEM, NESTE CASO O ALEXANDRE!
TEM CORAGEM DE VIR AQUI FALAR POR VEZ DO ALEXANDRE MAS ASSUMIR QUE FEZ ISSO I DEIXAR QUE UM AMIGO(amigo!? por amor de deus, gente assim nao se pode considerar amigos nem sequer colegas nem conhecidos) FIQUE COM AS CULPAS.
SABE DIZER QUE NO COMENTÁRIO QUE O ALEXANDRE NAO TEVE CORAGEM PARA DIZER CARA A CARA!? --'
MAS FAZER ISTO PELO ALEXANDRE I UTILIZANDO O NOME DELE, ISTO SIM, ISTO É DE HOMEM!
SEMPRE SE DISSE. . . "QUEM TEM CU, TEM MEDO"!!!

sinceramente acho que o professor viu perfeitamente i acho que conhece o suficiente dos seus alunos para saber que nao foi o alexandre que fez "ambos os dois" comentários.
por fim reparei também na medida que o professor tomou em só se puder comentar com conta google, os meios justificam os fins, i obrigou.me a criar uma conta google, mas nao pudia deixar de vir deixar o meu comentário.
ainda mais por fim, acho que a intençao do moço/moça rapaz/rapariga homem/mulher que fez o primeiro comentário anónimo nao tinha a intençao de criticar o professor mas sim que o numero de comentários do blog aumentassem, pois duvido que exista postagem com tantos comentários como esta.

obrigado pelo tempo dispensado.

ALEXANDRE FERREIRA 11ºI Nº1. . .
ai nao, agora ja nao se pode comentar com o nome dos outros, UPS ENGANEI.ME!

Filipe Ribeiro disse...

Venho aqui para deixar uma dica ao 11ºI, se não foi o Alexndre deviam de comunicar isso ao professor Sexta Feira nas aulas não aqui... Penso que o blog já passou o suficiente, falem em privado com o professor, porque isto já passou dos limites. Ainda bem que o professor disse para criar contas google porque uma vez que nem todos conseguem as consequências são estas, comentários anónimos e vergonhosos... Agora o professor sabe o que penso acerca do primeiro comentário, e o meu irmão já falou por min, é um bom professor e uma boa pessoa que não merecia isto.
Alguém que tenha a decencia de admitir os seus erros e acabem com a situação. Estão a envergonhar quem não fez nada na vossa turma e não era este o objectivo do professor ao criar o blog. Professor lamento a situação e não ligue aos comentários anónimos ocupam espaço mas não tem conteúdo significativo. Desculpem a minha intrusão e se calhar um pouco ousada mas não pude continuar calado enquanto quem não sabe o que faz estraga o blogue.

Cumps
Filipe Ribeiro 12ºH

Suzy Conceição disse...

..
Quando me contaram que um "anónimo" tinha feito um comentário deste genero nao acreditei e tive mesmo que vir aqui ver....

Estou parva
Nao sei como é que alguém consegue dizer tantas barbaridades juntas!!!!
Penso que nao há nenhum aluno desiludidos com o stor,muito pelo contrario!
O stor ajuda-nos sempre que possivel, independentemente de ser um aluno de 20, de 10 ou ate mesmo de 9!

Acho isto miseravel....
Ainda para mais depois acusarem-se utilizando o nome de outra pessoa!

O ALEXANDRE FERREIRA não tinha coragem para fazer isto, o pouco que conheço dele, sei que não foi ele e acredito nele....

Sinto pena em existir pessoas como o tal "anonimo"...

Stor nao se deixe ir abaixo com um comentario destes..pois se existe um aluno que não gosta da sua maneira de ser e de dar aulas, existem uns 30 que gostam...

e peço desculpa por não mencionar no meu comentário o tema do post, mas não assisti a esta palestra.



P.S:ÓH Anonimo acusa-te la de uma vez -.-'

Vasco PS disse...

Penso que já venho tarde para comentar isto, ou talvez não. Esta situação é, de facto, ridícula. Uma crítica do género deve ser feita pessoalmente, independentemente de quaisquer considerações.

Professor, ter um blogue destes é estar exposto. E a blogosfera está repleta de situações semelhantes. Não desista da sua luta por uma melhor educação e preparação futura dos seus alunos. Quanto a mim, devo-lhe um enorme obrigado.

Relativamente aos alunos que frequentam “Um Mundo Global” com frequência, deixo os meus parabéns pela dedicação e esforço. Vão ver que na faculdade são estas pequenas/grandes actividades que compensam e vos levam mais longe. Na faculdade não estão à espera que decorem livros, mas que sejam diferentes, que construam uma personalidade crítica e inovadora. Aproveitem o Secundário, porque no ensino superior vão recordar com imensa saudade quantos vos apoiaram nessa escola, especialmente o Prof. Eduardo Vales.

Vasco Pereira da Silva

FabiaAlexandra disse...

Asério stor isto é uma tristeza a nossa turma é mesmo de crianças !
acho que depois do que disseram todas estas pessoas aqui não há muito para dizer, mas verdade é uma pode ser que quem fez isto ao alexandre pague muito caro mesmo !
ELE É MEU AMIGO E ACIMA DE TUDO NÃO FARIA ISSO, isto é tudo MUITA INVEJA, E FALTA DE PERSONALIDADE !

a pessoa do 1º comentário QUE CRESCA !