sábado, 10 de janeiro de 2009

Mais de 300 “casamentos brancos” feitos em Conservatória de Gondomar


A Conservatória do Registo Civil de Gondomar terá efectuado num ano entre 300 e 400 casamentos brancos entre cidadãos de origem paquistanesa e mulheres portuguesas, para viabilizar a legalização de centenas de imigrantes.Os noivos muitas vezes conheciam-se no próprio dia da cerimónia e seria consumada pela responsável daquela conservatória, que hoje à tarde integra um grupo de 12 detidos apresentados pela Unidade Nacional Contra-Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária no Tribunal Central de Investigação Criminal, em Lisboa.Este expediente era destinado a facilitar o processo de legalização de imigrantes daquela país asiático, e as mulheres aliciadas para celebrarem casamentos de conveniência seriam de origem muito humilde, recebendo em troca entre 500 e 2500 euros. A consumação da boda dava ao “noivo” acesso a passaporte português e a inerente livre circulação no Espaço Scheghen. No inquérito aberto no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) terão sido detectados indícios de que algumas portuguesas terão sido aliciadas para se deslocarem a países estrangeiros para participarem em “casamentos brancos”. E foi também verificado que em alguns casos os imigrantes ilegais paquistaneses se deslocavam a Gondomar provenientes de alguns países da Europa do Sul e também da Holanda e da Bélgica.

Rede dirigida por paquistaneses

A rede seria dirigida por indivíduos de nacionalidade paquistanesa e estaria dotada de capacidade para emitir documentos falsos, contratos de trabalho e documentos da segurança social, obtidos através de um funcionário deste departamento que estava colocado num serviço na zona de Lisboa. Os contratos de trabalho seriam assinados entre os imigrantes e várias empresas, umas fictícias e outras que terão sido adquiridas por cúmplices portugueses dos líderes da rede e que se encontravam em situação económica difícil. Nas buscas determinadas pelo juiz Carlos Alexandre, e que se prolongaram durante o dia de ontem, nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, foram confiscados documentos que reforçarão os indícios que levaram Helena Fazenda, procuradora da República do DCIAP, a emitir os 12 mandados de detenção. Associação criminosa para auxílio à imigração ilegal, corrupção e falsificação de documento são os crimes que a magistrada do Ministério Público imputa aos arguidos.

António Arnaldo Mesquita (Público, 10.01.09)


Fonte: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1355638&idCanal=62

3 comentários:

cristiana_alves disse...

Crescemos aprendendo que o casamento se trata de uma união entre duas pessoas que se amam, e que querem ir mais além dando visibilidade á sua relação efectiva, querendo construir familia, ter uma certa estabilidade tanto economica como social, mas no entanto vemos qe nos dias de hoje existem praticas de casamento ilegais.

Quando falo nestes tais casamentos ilegais refiro-me ás uniões que refere este post que são os casamentos brancos, ou então casamentos por conveniência.

Pela pesquisa que fiz acerca do assunto, vi que há cada vez mais portugueses a casar com imigrantes ilegais de forma a receber uma recompensa monetária, sendo que este negocio pode chegar a render milhares.

O principal objectivo deste tipo de casamento é a possibilidade do imigrante ilegal poder receber o desejado passaporte que permite a estadia em território europeu.

Pelo que vi durante a pesquisa várias fontes referiam que as brasileiras são quem mais casam por conveniência.

De lembrar ainda que esta prática é punível com penas de prisão que vão desde um e quatro anos.


Cristiana Alves
12ºH

Filipe Ribeiro disse...

Esta noticia deixoume impressionado, como é que aqui em Gondomar isto acontecia, mas por outro lado, já se espera de tudo, tudo por dinheiro... Cada vez, dou menos importância a religião e a Deus, porque obviamente Deus não é real e a Igreja é uma fonte de ostentação para alguns.Cada vez me afirmo mais um agnóstico pelas razões referidas anteriormente. Supostamente o casamento é um acontecimento lindo, é a concretização de um amor, mas agora a realização de um casamento já não significa nada, agora o que interessa é a melhor maneira de fazer dinheiro nem que seja ilegal, nem que seja de uma forma errada!
Por min podem ir todos presos pelo período de 4 anos...

superior disse...

You these things, I have read twice, for me, this is a relatively rare phenomenon!
handmade jewelry