terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Portugal vai ser atingido por uma vaga de frio até 10 de Janeiro

Mapa isobárico previsto para o dia 08/01/2009 à 01:00 h.

Como já deve ser do vosso conhecimento, os próximos dias vão ser bastante frios, especialmente durante as noites e início das manhãs. Estão previstas temperaturas mínimas para o Porto entre os 0º C e os - 2º C. Sem querer criar qualquer tipo de alarmismo, é bom saberem que o Instituto de Meteorologia emitiu alerta amarelo (3º nível de alerta) para todos os distritos do país, à excepção do distrito de Braga que está em alerta laranja (2º nível mais elevado de alerta).

Transcrevo de seguida informações dos sites do instituto de Meteorologia e da Protecção Civíl que podem ser úteis.

Devido a uma massa de ar polar inserida na circulação de um anticiclone localizado nas Ilhas Britânicas, prevê-se para o território do Continente, tempo frio com céu pouco nublado ou limpo durante a semana. Haverá formação de geada e registar-se-á uma descida gradual de temperatura, salientando-se que as noites vão ser muito frias, com valores negativos da temperatura mínima, em especial nas regiões do interior.



De acordo com as previsões do Instituto de Meteorologia, a situação nos próximos dias (até 10 JAN) caracterizar-se-á por tempo frio e seco, nomeadamente nos seguintes parâmetros:
  • Descida das temperaturas, em especial da mínima para valores que em vários locais podem ser negativos;


  • Vento fraco, soprando moderado a forte nas terras altas (aumentando assim o desconforto térmico);


  • Formação de gelo ou geada;


  • Ausência de precipitação até 6ªfeira (09 de Janeiro), sendo possível a partir desse dia a ocorrência de aguaceiros fracos que poderão ser de neve acima dos 500 metros.

As temperaturas mínimas, conjugadas com o vento moderado a forte nas terras altas, poderão provocar a sensação de um aumento do desconforto térmico nas populações, exigindo cuidados acrescidos para os grupos mais vulneráveis, nomeadamente sem-abrigo, crianças e idosos. Também nas estradas com pouca incidência de raios solares poder-se-á verificar formação de gelo

Face ao exposto, a ANPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de precaução com especial atenção:



  • Mantenha-se atento às informações da Meteorologia e às indicações da Protecção Civil transmitidas pelos órgãos de comunicação social.


  • Use várias camadas de roupa em vez de uma única peça de tecido grosso. Evite as roupas muito justas ou as que o façam transpirar.


  • O ar frio não é bom para a circulação sanguínea. Evite as actividades físicas intensas que obrigam o coração a um maior esforço.


  • Se suspeitar que você ou alguém que o rodeia está com hipotermia ligue imediatamente para o 112.


  • O consumo excessivo de electricidade pode sobrecarregar a rede originando falhas locais de energia. Procure poupar energia, desligando os aparelhos eléctricos que não sejam necessários. Tenha à mão lanterna e pilhas, para o caso de faltar a luz.


  • Aumento do número de acidentes de viação, devido à existência de piso escorregadio motivado pela eventual formação de gelo.


Recomendações para o aquecimento do lar:


  • Tenha cuidado com as lareiras. Em lugares fechados sem renovação de ar, a combustão pode originar a produção de monóxido de carbono, um gás letal.


  • A combustão liberta gases tóxicos – não se esqueça que a ventilação é muito importante; se utiliza aquecedores desligue a garrafa de gás quando tiver de a substituir;


  • Evite secar roupa no aquecedor;


  • Afaste o aquecedor de cortinados, tecidos ou mobílias;


  • Não se aproxime muito do aparelho;


  • Se utiliza lareiras, use um resguardo próprio para evitar que quaisquer faúlhas saltem para fora;


  • Tenha um anteparo fixo para impedir uma possível queda de pessoas para o seu interior, especialmente crianças ou idosos;


  • Nunca use petróleo, gasolina ou álcool para atear a lareira;


  • Mantenha a chaminé sempre limpa;


  • Se ocorrer um incêndio na chaminé, chame imediatamente os bombeiros. (Autoridade de Protecção Civil)

Fonte: http://www.proteccaocivil.pt/Pages/Noticias.aspx?NoticiaId=319

6 comentários:

cristiana_alves disse...

aiii odeio o frio , que saudades que tenho do verão, do calor, da praia :D

Mas é Inverno, e o frio não perdoa, mas esta situação do meu ponto de vista, é principalmente grave para os sem-abrigo :(
Terem que viver na rua já uma situação horrível, então ter que passar ao relento estes dias gelados deve ser terrível mesmo :(
O que vale é ainda a ajuda de diversas associações e pessoas com bom coração que prestam ajuda para que estas pessoas mais debilitadas possam não sofrer tanto com esta situação.

Em relação ás estradas, espero sinceramente que as pessoas tenham a sensatez de conduzir com maior atenção e precaução visto que as condições meteorológicas não são tão favoráveis á segurança na condução.

No que diz respeito aos aquecedores e outros meios de aquecimento, é importante ter-se responsabilidade e muitos cuidados.
Infelizmente todos os anos existem casos de incêndios causados por lareiras, aquecedores, cobertores eléctricos, etc.


Cristiana Alves
12ºH

Mara disse...

Ao contrário da Cristiana eu adoro o Inverno e tenho pena que não neve cá na nossa "terrinha".
O certo é que as pessoas mais vulneráveis a estas temperaturas baixas, como é o caso dos octogenários e crianças nomeadamente bebés, podem mesmo sofrer directamente e precisar de cuidados muito especiais. Já para não falar nos óbidos , que estas temperaturas proporcionam.
Esta estação , é a altura do ano que nós mais gastos fazemos para produzir calor, daí nos dias frios sentirmos maior necessidade de alimentos com alto teor de calorias. O apetite é maior, temos necessidade de alimentos mais energéticos, em quantidades maiores ou intervalos menores.
E é nesta ocasião, recorrendo à aula, que é virtuoso um "copo de leite quente com cacau" !!!
Quanto aos sem-abrigo evidenciado pela Cristiana Alves , encontrei isto no Correio da manhã de hoje :
"No Porto, serão distribuídos cobertores, uma bebida quente, uma refeição ligeira e estará disponível uma casa junto da Sé.
A Câmara do Porto conta ainda com a colaboração do Metro do Porto que irá abrir algumas estações para dar guarida aos sem-abrigo.
A população é ainda convidada a ajudar os mais desfavorecidos, com a entrega de roupas ou alimentos na junta de freguesia da sua área de residência."
É uma ajuda não vitalicia mas pelo menos dá para fechar 8um pouco) os olhos a esta situação.
Deveria assim existir uma resolução destas pessoas que vivem na rua afinal são PESSOAS , junto das entidades competentes, deixando-se do "pão e circo" que este governo nos habituou!

Cátia Cunha disse...

Tal como disse a Mara, e muito bem, os sem-abrigo são um grupo em grande risco devido a esta vaga de frio. Se até nós, no conforto das nossas casas, quase sempre aquecidas por lareiras ou aquecedores, sentimos bem o frio que se faz sentir, imagine-se as pessoas que vivem na rua, dormindo ao relento e não tendo refeições quentes para consumir. Confesso que é um cenário que me causa muita pena e compaixão.
No entanto, apesar do esforço que muitas associações estão a fazer para resguardar os sem-abrigo, oferecendo-lhes pernoita e refeições quentes, a realidade é que são as próprias pessoas a recusar qualquer ajuda. Não será isso preocupante?
além dos sem abrigo, também os idosos, com as suas baixas reformas, são um grupo muito afectado. Vi ainda ontem no jornal um idosa de 80 e poucos anos queixar-se, dizendo que com uma reforma de 200€, lhe era impossível a compra de qualquer meio para aquecer a sua habitação. E como ela há tantos outros a padecer o mesmo. É triste, que em pleno século XXI, num país "desenvolvido", se observem estas situações.

Mara disse...

Aproveito este tópico para divulgar o projecto do meu grupo em Área de Projecto, que irá consistir em angariar alimentos e mantimentos para oferecer "a gente que vive na rua" / os sem abrigo , a gente que deve ser tratada como Pessoas!
O grupo é constituído por: Daniel, Márcia, Filipe e finalmente por mim.
Se alguém estiver interessado em ajudar o próximo e fazer parte de uma causa nobre, por favor que nos contacte na escola.

Espero a compreensão do professor por divulgar este projecto no "seu espaço", mas foi escolhido devido há quantidade de jovens que participam .

Um muito obrigada .

Alunos do 12º H

Eduardo Vales disse...

Mara, fizeste muito bem em aproveitar este blogue para divulgar a vossa iniciativa, que é muito meritória. Espero que façam um bom trabalho e que consigam, de facto, ajudar os sem abrigo que são, sem dúvida, um dos grupos mais excluídos da nossa sociedade. Já agora, os outros colegas também podem utilizar o blogue para divulgar diferentes iniciativas.

Anónimo disse...

Concordo com a Cristiana , uma das coisas que não gosto nada é do frio, para mim é bastante desconfortavel e por mais roupa que tenha vestida, parece que não passa.Hoje foi um bom exemplo disso, foi sem duvida um dos dias mais frios e mesmo em casa o frio faz.se sentir . Até neve caiu, uma coisa que não é nada normal aqui nesta zona do porto, não foi muita, mas foi bonito ve.la .
Realmente também mete bastante pena pensar que muitos sem abrigo andam lá fora com estas temperaturas, mesmo sabendo que muitos não querem ser ajudados. Qualquer pessoa gosta de estar a frente da sua lareira bem quentinha, longe da chuva e do frio, penso que os sem abrigo não são excepçao.

Diana Felicidade. 12ºH