segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Avatar


Ontem tive a oportunidade de assistir ao último filme de James Cameron "Avatar". Gostei bastante do filme, tendo ultrapassado largamente as minhas expectativas prévias (que em abono da verdade não eram muitas). Dizem que se trata do filme mais caro de sempre (cerca de 500 milhões de dólares e é mais um produto típico da globalização. É um prodígio tecnológico, utilizando a tecnologia 3D digital e, esteticamente, um filme belíssimo. Conta-nos a história da redenção de um soldado humano como líder de um povo alienígena no planeta Pandora. Tem uma mensagem extremamente crítica em relação ao modo como os americanos intervêm no Mundo e como, muitas vezes, são extremamente egoístas só pensando em explorar e tomar posse, de uma forma autoritária, dos recursos naturais de outros países sem ter em conta as necessidades e as características culturais desses povos e o meio ambiente. O único aspecto negativo do filme, na minha opinião, tem a ver com o facto de as personagens serem excessivamente estereotipadas com os "bons" e os "maus", um problema muito típico em grande parte do cinema norte-americano.

Se puderem vão ver o filme. São cerca de 2 horas e meia de filme, mas não se dá pelo tempo. É puro entretenimento!

4 comentários:

Leandro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leandro disse...

Tive, realmente, a oportunidade de presenciar este belíssimo filme que é um grande sucesso do cinema americano e que faz transparecer, sem dúvida alguma, o fenómeno da Globalização. Assisti a este êxito a nível mundial com a magnífica tecnologia do 3D e fiquei abismado com o filme visto desta forma... Aliás já tinha assistido a filmes em 3D nomeadamente ao concerto dos U2. Contudo, ver o Avatar com aquelas figuras, paisagens magníficas é mesmo de espantar e com vontade saltar para dentro do ecrâ do cinema.
Quanto ao aspecto negativo deste filme menciono o mesmo que o professor postou aqui, que é a lenga-lenga do bom e o mau do cinema americano que sempre existiu desde o século XX continuando até ao presente século o que torna um pouco cansativo e, permitem-me a expressão, "enjoado" da forma como os Americanos pensam e se fazem de bonzinhos sempre em todos os filmes que produzem... Quando digo isto estou a ser realista, basta verem o 007 que demonstra e corrobora a afirmação que fiz.

Mafaldinha disse...

Também vi o Avatar ontem!
Adorei o filme!
Toda a gente me falava bem dele, e se calha por esse motivo estava a espera de mais :/
Mas sem sombra de dúvidas o filme é lindo! Adorei a sua Natureza flurescente e muiito abundante, era como um sonho :)
Concordo também com a opinião do porfessor e do Djalme, essa acentuada diferença entre o bem e o mal é já um clássico em Hollywood.

Rita disse...

Adorei o filme desde o primeiro segundo ao último, considerando-o mesmo melhor que o gigante do cinema "Titanic".
A vertente ambiental dos nativos Na'vi realmente apela ao sentido de preservação que nós, humanos, temos que ter perante o nosso planeta porque ele é o único onde nós podemos viver.
Quanto à bastante notória diferenciação dos bons e maus, não me importei muito porque a grandeza do filme sobrepôs-se a essa falha, no entanto já é comum no cinema norte-americano porque há sempre um lado bom e um lado mau ( filmes como X-MEN e outros super-heróis) e por vezes uma personagem que lucra com os dois lados, mas não podemos estar sempre a apontar isso porque senão tínhamos que apontar em todos...