terça-feira, 13 de maio de 2008

Irena Sendler

Aos 98 anos

Morreu Irena Sendler, a heroína polaca que salvou 2500 crianças do Gueto de Varsóvia
A polaca Irena Sendler, que salvou cerca de 2500 crianças de serem encaminhadas para campos de concentração nazi, morreu ontem, aos 98 anos. Sendler foi considerada como uma das grandes heroínas da resistência polaca ao nazismo, tendo estado nomeada para o Prémio Nobel da Paz. Sendler organizou a saída de cerca de 2500 crianças do Gueto de Varsóvia durante a violenta ocupação alemã, na Segunda Guerra Mundial. Ela - que trabalhava como assistente social - e a sua equipa de 20 colaboradores salvaram as crianças entre Outubro de 1940 e Abril de 1943, quando os nazis deitaram fogo ao Gueto, matando os seus ocupantes ou mandando-os para os campos de concentração. Durante dois anos e meio, Irena Sendler conseguiu ludibriar os nazis e fazer sair do Gueto adolescentes, crianças e bebés - muitos deles disfarçados sob a forma de pacotes - e enviá-los para o seio de famílias católicas, para orfanatos, conventos ou fábricas. Em Varsóvia viviam 400 mil dos 3,5 milhões de judeus que habitavam a Polónia. "Fui educada na ideia de que é preciso salvar qualquer pessoa [que se afoga], sem ter em conta a sua religião ou notoriedade", dizia Irena Sendler. Nascida a 15 de Fevereiro de 1910, a figura de Irena Sendler permaneceu relativamente desconhecida na Polónia, à imagem de Oskar Schindler, que morreu na pobreza, mas que viria a ser imortalizado no cinema pelo realizador Steven Spielberg na película "A Lista de Schindler". Só em Março de 2007 a polaca foi homenageada de forma solene no seu país, tendo o seu nome sido proposto para o Prémio Nobel da Paz. Em 1965, porém, o memorial israelita Yad Vashem tinha já atribuído a Sendler o título de "Justo Entre as Nações", reservado aos não-judeus que salvaram judeus.
Links:
De seguida, podem visionar dois vídeos sobre Irena Sendler




5 comentários:

Vasco PS disse...

Professor,

Obrigado. Este é um justo tributo a uma grande heroína, Justa Entre as Nações. Tem sido impossível vir comentar as notícias e o blogue está cheio delas. Vou esperar só que o teste de História passe e volto para comentar mais decentemente esta notícia.

Vasco PS disse...

Anjo do Gueto de Varsóvia

A questão que se levanta é tão simples.

Porquê?

Esta é pergunta que ficou para sempre na história da Humanidade, em consequência de um dos seus períodos mais negros, hediondos, macabros. O Holocausto é uma vergonha para nós, humanos. Como é possível fazer-se tanto mal a tantas pessoas inocentes? Creio que não existe numa resposta plausível, não existe um “…porque…”.

Continuo a acreditar que a ignorância é um verdadeiro inimigo dos Homens, restringindo os pensamentos puros, equilibrados, elevados. A ignorância cobre os homens com uma sombra de vergonha, arrogância, estupidez. Como podem contentar-se os autores de tal massacre com o perdão!? Como aceitaram viver depois de tais negros dias? Como é possível, ainda hoje, existirem pessoas que aplaudem tais acções?

Espero que nunca ninguém se esqueça, jamais, dos dias tenebrosos do Holocausto; que haja sempre um Homem que repudie esse massacre e aplauda os seus heróis, aqueles que dedicaram a sua vida a salvar um mundo que ruía à sua volta.

Irena Sendler, “o Anjo do Gueto de Varsóvia”, foi alguém, que pelos seus actos, merece estar na linha da frente nas homenagens prestadas por toda a Humanidade. Alguém que não desistiu daqueles que haviam sido abandonados, esquecidos, escondidos, marcados para morrer numa câmara de gás.

Deixo aqui o meu tributo a alguém que só posso admirar e agradecer, porque são as pessoas como Irena Sendler, que nos fazem acreditar que existe um mundo melhor, que podemos construir e que nos fazem querer lutar contra as vozes que se levantam para lançar o terror, o medo, a humilhação.

Soraia disse...

Um tributo merecido a uma pessoa que infelizmente já não está entre nós. Pena que as boas pessoas que fazem realmente falta ao mundo não possam viver eternamente. O Holocausto foi realmente uma vergonha para a Humanidade e até hoje não consigo entender o motivo. Talvez o Vasco tenha razão, talvez não haja um porquê. E isso é o mais frustrante...Matar milhões de pessoas inocentes sem um "porquê"...é triste e assustador, pensar que um dia esta situação poderá repetir-se.

Esperemos que exista sempre uma Irena Sendler para ajudar os que estão esquecidos e abandonados.
São pessoas como ela que nos fazem acreditar que o mundo não é só coisas más e que mudá-lo está nas nossas mãos.
Deixo o meu tributo a um anjo que viveu o inferno do Holocausto.

Ps: professor, peço desculpa por não ter comentado as recentes notícias, mas neste momento é impossível. Estamos cheios de testes e de trabalhos e sentimo-nos muito cansados. O final do 12ºano é sempre complicado e desgastante.Voltarei aos meus comentários habituais logo que possa.

Rute Cruz disse...

Nunca tinha ouvido falar desta senhora, que pelos vistos tanto fez pela pequena humanidade que a rodeava. São actos que não devem ser divulgados e não esquecidos, assim como não devem ser esquecidos os seus heróicos protagonistas, neste caso Irena Sendler.

Paulo disse...

Também quero deixar aqui um tributo a esta senhora, grande mulher, da qual sinceramente nunca tinha ouvido falar, mas que pelos vistos tanta coisa boa fez. Uma verdadeira heroína.