quinta-feira, 22 de maio de 2008

Portugal é o país da UE com mais desigualdades na distribuição de rendimentos


União Europeia é mais uniforme que os Estados Unidos

Portugal foi hoje apontado em Bruxelas como o Estado-membro com maior disparidade na repartição dos rendimentos, ultrapassando mesmo os Estados Unidos nos indicadores de desigualdade. O Relatório Sobre a Situação Social na União Europeia (UE) em 2007 conclui, no entanto, que os rendimentos se repartem mais uniformemente nos Estados-membros do que nos Estados Unidos, à excepção de Portugal. O relatório é o principal instrumento que a Comissão Europeia utiliza para acompanhar as evoluções sociais nos diferentes países europeus. Os indicadores de distribuição dos rendimentos mostram que os países mais igualitários na distribuição dos rendimentos são os nórdicos, nomeadamente a Suécia e Dinamarca."Portugal distingue-se como sendo o país onde a repartição é a mais desigual", salienta o documento que revela não haver qualquer correlação entre a igualdade de rendimentos e o nível de resultados económicos. Contudo, se forem comparados os coeficientes de igualdade de rendimentos dos Estados-membros com o respectivo PIB (Produto Interno Bruto) por habitante constata-se que os países como um PIB mais elevado são, na sua generalidade, os mais igualitários.

3 comentários:

Rute Cruz disse...

Bem, chegam-nos novas notícias acerca do nosso país! Apesar de muito desagradável que seja, as notícias não são as melhores, são menos boas. Só para ser simpática… Temos que encarar o problema e concluir que em Portugal as disparidades existentes a nível de rendimentos são bastante acentuadas. Conclui-se também a partir deste estudo que a situação global dos Estados-Membros da EU quando comparada com a dos EUA relativamente a este assunto, se apresenta muito melhor, à excepção de Portugal. Sendo assim Portugal terá de ter atenção a este tipo de problemas sociais para que se faça algo no sentido de melhorar a posição de Portugal nestas estatísticas tão vergonhosas para nós, portugueses. Talvez aprender com os países nórdicos não fosse uma má ideia, contudo, era necessário que tivéssemos as mesmas condições e características essenciais para que tudo isto tivesse algum impacto e contribuísse para melhorar a nossa má situação, que cada vez mais tem tendência para piorar.

Rute Cruz disse...

Professor, devo confessar que o meu tempo tem sido muito escasso para conseguir realizar tudo aquilo que gostaria, mas agora que as coisas já estão a acalmar um bocadinho, resolvi dar de novo o meu contributo a este blog, comentando tudo aquilo que me seja possível. Vá ver as páginas anteriores pois comentei muitas das noticias antigas.

Soraia disse...

Bem apesar de estar consciente da situação de Portugal no contexto da UE dos 27, confesso que fiquei bastante surpresa, quando ouvi no rádio que dados relativos a 2004, mostram que Portugal é o país da UE com mais desigualdades na destribuição de rendimentos.

Não imaginava que estávamos assim tão mal, mas pelos vistos estamos.
È notório desde há uns anos para cá, que em Portugal há cada vez maior disparidade entre ricos e pobres...é como diz a canção: "Os ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres".

Espero que o nosso governo, faça alguma coisa para atenuar a situação e saiba distribuir os rendimentos de forma mais justa e equitativa, exigindo mais daqueles que têm muito e ajudando aqueles que nada têm.

Sim Rute, se calhar tens razão, aprender com os países nórdicos era boa ideia, no entanto é necessário lembrar que os portugueses não são muito bons a adaptar modelos estrangeiros à realidade portuguesa. Lembram-se daquela história de se terem feito cacifos para os alunos colocarem o material de esqui que utilizavam para ir para a escola?

Penso que não preciso dizer mais nada. Pois não?