quinta-feira, 22 de maio de 2008

Jorge Sampaio - A crise alimentar é um factor de agravamento da luta contra a tuberculose / A tuberculose no Porto e em Portugal


A crise alimentar é um factor de agravamento da luta contra a tuberculose. O alerta é do enviado especial das Nações Unidas para a luta contra a doença, Dr. Jorge Sampaio.

O ex-Presidente da República foi há dias à comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros dizer que são precisos novos medicamentos. O último antibiótico foi criado há mais de cinquenta anos. Em Portugal, há 26 tuberculosos por 100 mil habitantes, um dos valores mais altos da União Europeia. A nível mundial, a bactéria já contaminou um terço da população, estatística que continua a crescer. O aumento do número de seropositivos que contraem tuberculose é alarmante. A ligação entre a tuberculose e o HIV vai ser debatida nas Nações Unidas, a 9 de Junho, véspera da Assembleia-Geral sobre a SIDA. A iniciativa partiu de Jorge Sampaio.


Vejam um vídeo com uma reportagem da SIC sobre a iniciativa do Dr. Jorge Sampaio aqui.

Fonte: http://sic.aeiou.pt/online/noticias/vida/20080506+Jorge+Sampaio+lanca+alerta.htm (06/05/08)


Taxa de tuberculose no Porto idêntica à do terceiro mundo

A zona oriental do Porto apresenta uma taxa de incidência de tuberculose quase três vezes superior à média nacional, valores equivalentes aos de países do terceiro mundo. Também no resto do País o índice da doença é três vezes superior ao resto da Europa Ocidental - só em 2004 ocorreram 3500 novos casos. A média nacional, segundo dados de 2004, é de 34 por cem mil habitantes, enquanto no Porto é significativamente maior: 100 em cada 100 mil. "Valores que são uma desgraça, valores de África", explicou ao DN Agostinho Marques, director do serviço de Pneumologia do Hospital de São João e presidente do XIII Congresso de Pneumologia do Norte, que decorre até amanhã na Fundação Cupertino de Miranda, no Porto. O distrito é o pior do País e, no âmbito da cidade, são as zonas de Paranhos, Campanhã e Bonfim que apresentam os valores mais preocupantes - áreas mais degradadas, onde habitam estratos sociais mais desfavorecidos com poucas condições de salubridade. "O Programa Nacional de Luta contra a Tuberculose tem dez anos e está completamente moribundo", afirma Agostinho Marques, razão pela qual o Ministério da Saúde está actualmente a desenhar um novo programa.Este médico defende que as novas medidas não podem ser heterogéneas, sendo necessário "identificar a especificidade de cada lugar"."Fundamentalmente, é preciso assegurar um diagnóstico e garantir que cada doente seja tratado e acompanhado até ao final do mesmo" (a duração é de cerca de seis meses), acrescenta Agostinho Marques. A tuberculose, uma doença infecciosa que se transmite por via inalatória, atinge anualmente dez milhões de pessoas em todo o mundo e mata de dois a três milhões.

3 comentários:

Rute Cruz disse...

A tuberculose é uma doença que já fez milhares de vítimas e que pelos vistos continua imparável. No entanto, também é verdade que a situação já foi muito mais grave no nosso país, do que aquilo que é actualmente. Os valores já nem têm comparação. Mas se ainda existe, sendo notórias as suas consequências então tem de se continuar a luta para que desapareça definitivamente. Esperemos que seja assim, apesar das coisas não serem assim tão fáceis de se resolver. Como disse o nosso ex. Presidente da Republica a situação tende a piorar devido a outros factores, dando especial destaque à crise alimentar.

A solução passará certamente pela busca de fórmulas para novos fármacos de combate a esta doença. É grave que Portugal tenha os valores mais elevados de pessoas com esta doença, nas estatísticas da EU. O Porto apresenta mesmos níveis equivalentes aos que se verificam nos países do terceiro mundo, o que é incompreensível e assustador para nós portuenses.

Soraia disse...

Confesso que este reaparecimento da tuberculose é um tema que me preocupa bastante.
Eu acreditava que esta doença estava praticamente irradicada, mas parece que estava redondamente enganada.

É assustador saber que o Porto é tão afectado por esta doença.
Eu não sei muito sobre os sintomas nem sobre as causas desta doença, mas do pouco que sei, penso que uma das causas principais da tuberculose é a má alimentação.
É precisamente por isso, que esta doença afecta as zonas mais pobres, nomedamente Campanhã, pois é nestas zonas onde a população tem mais dificuldades económicas e como tal não tem uma alimentação tão equilibrada como a restante população. O nosso ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, tem toda a razão quando afirma que é necessário desenvolver novos medicamentos para combater a doença, pois os últimos foram desenvolvidos há 50 anos atrás.

Espero que o governo tome medidas para evitar que esta doença se propague.
Às vezes tenho a sensação, que a Humanidade em vez de evoluir está a regredir.

Vasco PS disse...

A tuberculose é a doença infecciosa durável que mais pessoas mata, todos os anos, no mundo (cerca de 2 milhões de pessoas), sendo que, o bacilo da tuberculose infecta, actualmente, cerca de um terço da população mundial. Há dez anos, a OMS declarou a tuberculose uma emergência mundial, o que desencadeou um novo processo de luta organizada contra esta doença, quer através de diversas instituições, mas também de novos fundos. O facto de ser uma doença tratável tem originado uma luta eficaz contra a mesma, em cerca de 60% da população mundial.

Em Portugal tem-se registado uma redução assinalável da tuberculose, através do Plano Nacional de Luta Contra a Tuberculose. No entanto, a situação desta doença tem-se mantido desfavorável em grandes áreas urbanas, especialmente no Porto, cidade com elevados índices de poluição e de humidade, que em conjunto coma habitação precária em áreas urbanas mais desfavorecidas, tem contribuído para que se mantenham níveis elevados de casos registados, aproximando-se de países do terceiro mundo. Há, todavia, que se registar que o programa levado a cabo no Porto, nos últimos anos tem sido bem sucedido, apesar da situação continuar a ser preocupante.

Em termos europeus, Portugal apresenta-se na cauda da Europa, como já é habitual, havendo ainda muito a fazer para que esta situação melhore. Assim, está-se a proceder a uma renovação no sistema de saúde que engloba também, um novo programa de luta contra esta doença.

A tuberculose apresenta-se como uma doença contagiosa, atingindo sobretudo os pulmões. Os seus sintomas mais evidentes são, por exemplo: tosse crónica, febre, suores nocturnos, dor de peito, falta de peso, falta de apetite, entre outros. A prevenção desta doença é feita através a vacina BCG (Bacilo de Calmette e Guérin), obrigatória e tomada por milhoes de crianças em todo o mundo.

A situação vivida na cidade do Porto é, a meu ver, preocupante. Urge desenvolver-se um plano de apoio social que consiga combater a pobreza e as más condições de vida em algumas zonas da cidade, especialmente, as da zona Oriental, aparentemente abandonada há vários anos pelos executivos camarários.