sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Parlamento rejeitou casamentos homossexuais


O PS, PSD e CDS-PP chumbaram hoje no Parlamento as propostas sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Segue-se a transcrição da notícia do site da RTP:


«A bancada do PS justificou o seu voto contra os dois projectos, recuperando argumentos já avançados ao longo das últimas duas semanas, como o "sentido de oportunidade" da discussão dos diplomas, defendendo a necessidade de um "amplo debate" prévio na sociedade. Em declaração de voto, que acompanhou o voto contra na votação dos projectos dos Verdes e do Bloco de Esquerda, a bancada socialista declara que o partido "não é contra os casamentos das pessoas do mesmo sexo, está é contra a oportunidade", ao mesmo tempo que garantiu a intenção do partido maioritário de abolir todos os tipos de discriminação. O deputado socialista Jorge Strech assegurou "a vontade do PS" de consagrar os casamentos entre pessoas do mesmo sexo mas não se comprometeu com datas, depois de desafiado a esclarecer se o fará na próxima legislatura. "O PS assume aqui hoje a vontade de eliminar toda e qualquer a discriminação em função da orientação sexual. O PS considera no entanto que não o pode fazer de forma fracturante", afirmou o deputado socialista. Os projectos do Bloco de Esquerda e do Partido Ecologista “Os Verdes” foram rejeitados com os votos contra do PS, PSD e CDS. PCP votou favoravelmente o projecto do partido ecologista "Os Verdes" e absteve-se no projecto do BE. O Bloco de Esquerda absteve-se no projecto dos Verdes, que fizeram o mesmo relativamente ao do BE. No PSD, Pedro Duarte, José Eduardo Martins, Pedro Pinto, Miguel Almeida, José Raul dos Santos, Sérgio Vieira, André Almeida e Luís Carloto abstiveram-se em relação ao projecto dos Verdes. Manuel Alegre, deputado do Partido Socialista quebrou a disciplina de voto e votou a favor do casamento entre homossexuais. «Acho que houve uma votação, mas eu não concordo. Acho que é um erro político», já tinha considerado Manuel Alegre após reunião do grupo parlamentar do PS a que não assistiu e que aprovou a disciplina de voto. Paulo Pereira Coelho, deputado do PSD, juntou-se aos votos favoráveis aos dois projectos de casamento entre serem do mesmo sexo.


Portugueses recusam casamentos homossexuais


Posição maioritária dos partidos que corresponde, de acordo com sondagens de opinião recentemente publicadas, à opinião dos portugueses. De acordo com essa sondagem, 53% dos inquiridos demonstraram ser contra a introdução no sistema jurídico português do casamento homossexual, enquanto 42% se revelavam a favor. De acordo com a sondagem da Universidade Católica dos inquiridos que responderam que não ou que não sabem 33% afirmam que a lei não deve reconhecer de forma alguma os casais formados por pessoas do mesmo sexo, enquanto 11% entendem que a lei deve limitar-se a reconhecer a existência de uniões de facto, como sucede hoje em dia. 51 por cento dos inquiridos entendem, no entanto, que o tema desse ser objecto de uma consulta popular, enquanto para 44% não se coloca essa hipótese. A sondagem foi realizada pela Universidade Católica para a Antena 1, RTP e Jornal de Notícias nos dias 4 e 5 deste mês. Foram obtidos 1297 inquéritos. O nível de confiança é de 95% sendo a margem de erro de 2,7 por cento. »


Eduardo Caetano, RTP, 2008-10-10




Este é assunto, de facto, muito polémico e fracturante na sociedade portuguesa. Como vimos na sondagem realizada pela Universidade Católica, a maioria dos portugueses sondados é contra o casamento de homossexuais. E, já agora, têm alguma opinião sobre este assunto? Deveria haver um referendo para que os portugueses podessem decidir este assunto?

6 comentários:

Cátia Cunha disse...

Não posso dizer que tenha ficado surpreendida com o desfecho desta votação; afinal,já se adivinhava que a proposta a favor do casamento entre homosexuais não obtivesse uma aceitação por parte dos grandes partidos.
O que realmente me choca nesta questão é o facto de, estando no sec. XXI, numa época em que o Homem conhece o Espaço, cria máquinas para tudo o mais alguma coisa, cada vez mais perfeitas, numa época em que se censuram os Estados onde a Ditadura, o preconceito e a discriminação perduram, choca-me perceber que ainda há quem olhe para a homossexualidade como uma doença.
Mas voltando à questão do casamento, eu sou a favor. A favor do casamento. Pondo de parte as questões económicas, os benefícios fiscais, o que leva duas pessoas a casarem-se? O amor, na maior parte dos casos (excluindo os acsamentos por interesse, que infelizmente ainda vão acontecendo).
O que leva duas pessoas a decidirem partilhar o seu espaço, a sua liberdade, o seu tempo, a sua vida, com outra pessoa? Um sentimento. Mas, se fosse só pelo sentimento, pela nesseciadde/vontade de estar com a outra pessoa, então não era necessário casar-se, uma relação de facto seria suficiente.
Então, o que leva realmente as pessoas a casarem-se? Eu não sou casada, nem vejo isso num futuro próximo, mas se quer a minha opinião, o que leva as pessoas a casarem-se é, antes de tudo, a oficialização de um compromisso. "Mostrar" ao mundo o que se sente. Usam-se alianças como forma ainda mais evidente de comprovar uma relação.

E, se qualquer um tem o direito de o fazer, a mim choca-me que alguns sejam impedidos, apenas por gostarem de alguém de quem não seria suposto gostarem.
Os homosexuais são, no fundo, pessoas, pessoas com direitos, deveres, responsabilidades, consciências e, acima de tudo, sentimentos. Não deveriam ter de sofrer tantas privações, olhares de lado, comentários, ameaças e verem os seus direitos negados só porque têm inclinações sexuais diferentes.
E voltando às perguntas colocadas no post, sim, acredito que esta temática deveria ir a referendo. SE bem que, normalmente, o governo apenas cria os referendos para "empurrar" para o povo a responsabilidade de uma decisão polémica, como foi no caso da despenalização do aborto.
E, apesar de tudo, acredito que a resposta, mesmo num referendo, continuaria a ser negativa. Portugal continua atrasado em relação à Europa da mesma forma que estava à 40 anos atrás, apenas em questões diferentes.
O mundo está em constante mudança. Talvez seja altura de as mentalidades mudarem também.

Mas isto é apenas a opinião de alguém que não tem voto na matéria.


Cátia Cunha
11º J

cristiana_alves disse...

O Parlamento chumba as propostas sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo , os resultados sobre as sondagens á opinião dos portugueses também é contra o casamento homessexual , mas aí pergunto eu , nos tempos em que hoje vivemos , em pleno século XXI será que as pessoas não mudam ? Serám que continuam a ser as mesmas preconceituosoas ? Será que estão tão presas ás tradições que nao possam aceitar este tipo de casamento ?
Do meu ponto de vista acho triste , que duas pessoas que se amem não possam casar, não possam fazer aquilo que querem apenas porque se tratam de duas pessoas do mesmo sexo.
Se as pessoas amam , se querem estar juntas , se realmente querem casar , qual é o mal ?
Não têm o direito de ser felizes do jeito que querem só porque ainda existe quem seja tão preconceituoso ao ponto de achar inceitável a relaçao entre homossexuais ?
Quando se fala em liberdade, referimo-nos ao estado de se ser livre, de dizer e fazer o que se quer, desde que se respeite os outros, e desde quando amar alguém passa por desrespeito ás pessoas em redor ?
São apenas pessoas, que se querem unir , sem magoar , sem desrespeitar , são apenas pessoas que se amam e querem ser felizes !

Eu estou de acordo em relaçao ao casamento homossexual , e na minha opinião deveria ser feito um referendo !

Cristiana Alves , 12ºH

Mariana_Magalhães disse...

Já estava à espera que esta notícia fosse "postada" no blog, para poder dar a minha opinião, visto que ontem à noite, vi esta notícia num telejornal.
Devo dizer que não achei correcta a decisão do Parlamento.
Estes políticos tão liberais com alguns assuntos e com outros não, o que, sinceramente, não é justo.
Penso que o casamento é uma escolha e assunto pessoais assim como a escolha do parceiro, logo ninguém tem a ver com isso, nem mesmo o Parlamento.
E se duas pessoas se amam e são do mesmo sexo só mostra a mentalidade do século passado das pessoas contra. Não tem qualquer mal, penso eu.
Em Espanha, o casamento entre homosexuais já é legal há mais de três anos, penso eu, por isso porque não deixarem-se de preconceitos e mentalidades ultrapassadas e aceitar este tipo de situações que nada têm de mal? Os homosexuais são pessoas normais, tal como nós, que apenas têm escolhas diferentes, e que devem ser aceites e respeitadas na nossa sociedade.
Logo, eu concordo com o casamento homosexual e penso que deve, de facto, ser feito um referendo.

ClaudiaSilva disse...

se me preguntassem a mim o que eu acharia dos casamentos homosexuais eu diria sem pensar "estou a favor do casamentos entre pessoas do mesmo sexo".... no entanto este país continua demasiado preconceituoso e nãp dá liberdade de opção de escolha às pessoas ditas como "diferentes". Diferentes porque procuram a felicidade e que são rejeitadas pela nossa sociedade, alguém que anseia viver uma vida normal e nao pode porque recebe várias criticas da população. será que as pessoas já nao podem ser felizes? mesmo que a pessoa que querem ao seu lado seja do mesmo sexo? qual é o mal disso? acham que estar a dizer Não ao casamento entre pessoas do mesmo sexo está a evitar que essas pessoas se gostem e se amem na mesma? não acho justo que essas pessoas estejam nas "mãos" do nosso governo para poderem decidir a sua felicidade própria.
No entanto, eu tambem nao fiquei supreendida com o resultado desta votação. parece que o nosso páis ainda nao está reparado para viver no sec.XXI. parece de rir mas não.
Sou a favor do referendo, porém nao sei o que nos espera no final.

Mara disse...

Só acho um pouco impressionante e intrigante como é que numa onda em que cada vez mais os jovens optam pela "união de facto" dizendo que o casamento nao passa de um simples papel e agora revoltam-se por os homossexuais quererem obter o "tal papel".

Não sou homofóbica, pelo contrario, mas acho bastante pertinente o facto dos jovens de hoje em dia se acharem demasiado liberais quando se calhar não sao capazes de verem dois homens/mulheres na rua cruzar as mãos ou até mesmo beijarem-se .


Cheers

Mara Gama

Diana Lemos disse...

Eu como a Cátia não estou espantada com o desfecho deste assunto,embora tivesse alguma esperança que a decisão tomada fosse o inverso.
Mas algo que eu compreendo é que a mentalidade das pessoas é muito difícil de mudar e podemos observar que é o que acontece neste caso.Mas também vejo um lado positivo, quase 50% das pessoas que responderam concordaram com esta mudança.
Pessoalmente sou a favor do casamento entre homossexuais,já que são pessoas como as outras, sofrem,amam,respiram,etc.Não vejo mal algum em que se duas pessoas do mesmo sexo tornem o seu relacionamento "oficial", pois já que a maioria, presumo viva junta. Qual é o mal de mostrarem ao mundo que se amam e que se respeitam e que querem ter uma vida igual a qualquer outro casal?
As pessoas que votaram contra, esta é uma forma de demonstrarem ao mundo o seu descontentamento por duas pessoas do mesmo sexo viverem juntas e não por serem oficialmente casadas. Pois duas pessoas do mesmo sexo não podem conceber uma criança e duas pessoas de sexos opostos podem, por isso devem achar que o normal é duas pessoas do mesmo sexo estarem juntas e não o oposto.
Espero sinceramente que a mentalidade dos portugueses mude, pois já nos basta estarmos atrasados na economia.

Diana Lemos 11ºJ