sábado, 27 de dezembro de 2008

Afeganistão: CIA troca comprimidos de Viagra por informações


“Tome um destes. Vai gostar”. Com os cumprimentos do Tio Sam. A frase foi proferida por um agente da CIA no Afeganistão. O interlocutor era um senhor da guerra. A mercadoria era Viagra. Os homens de meia-idade não resistem à interesseira oferta americana. De acordo com o “Washington Post”, os serviços secretos norte-americanos estão a trocar o comprimido azul mais famoso do mundo por informações sensíveis.

O estratagema tem resultado. De acordo com o jornal americano, o agente da CIA, que descreveu o encontro ao jornal, regressou quatro dias depois de ter entregado o comprimido de Viagra ao sexagenário com quatro mulheres mais novas. No regresso, este partilhou com o americano informações vitais acerca das acções dos taliban. Mais comprimidos – que potenciam o desempenho sexual – dariam direito a mais informações.

De acordo com alguns agentes americanos, este é actualmente um dos estratagemas mais usados no Afeganistão para ganhar batalhas pontuais. A CIA tem já um longo historial de troca de dados sensíveis por dinheiro, mas esta estratégia é mais imaginativa, em sítios do globo onde a população rural não tem acesso a este tipo de medicação.

Canivetes, ferramentas, brinquedos, material escolar e médico, tratamentos dentários e vistos de viagem são igualmente usados em troca de informações.

“O que for preciso... para fazer amigos e influenciar pessoas – seja construir uma escola ou dar Viagra”, esclareceu um agente veterano da CIA citado pelo “Washington Post”, sob anonimato.

Vários outros agentes, que também falaram sob anonimato, confirmaram que este tipo de expedientes são necessários no Afeganistão, um país onde os senhores da guerra e os líderes tribais esperam ser pagos pela sua colaboração e que podem mudar de flanco em função das contrapartidas que recebem.

Se os americanos não oferecerem incentivos, há outros que o farão, incluindo os comandantes taliban e traficantes de droga.

Os instrumentos mais comuns de chantagem – dinheiro e armas – nem sempre são as melhores opções, dizem os agentes veteranos, com muitas horas de missão no Afeganistão.

A chave parece ser encontrar uma ponte entre pessoas que “vivem no século XVIII” e pessoas que “vêm do século XXI” e que trazem coisas, em forma de ajuda material, “que motivam as pessoas em qualquer parte do mundo”, indica o jornal. (Público, 26.12.08)




2 comentários:

JPinto disse...

O Viagra é, neste caso, uma boa "moeda" de troca como outra qualquer usada pelos soldados americanos, porque o famoso comprimido azul não se arranja tão facilmente no Afeganistão como nos EUA!
Além disso qualquer ideia inovadora como esta que ajude a obter informações para combater o terrorismo nestes paises é bem vinda por isso dou os meus parabéns a pessoa que se lembrou de trocar viagra por informações "sensiveis" .

João Pinto 11º I

alerts disse...

It seems my language skills need to be strengthened, because I totally can not read your information, but I think this is a good BLOG
jordan shoes